Publicidade:

Escapadinhas: o que fazer em Lisboa em 2 dias

A cidade das sete colinas com vista para o rio Tejo é o lugar ideal para uma escapadinha. Saiba o que fazer em Lisboa em 2 dias e como aproveitar ao máximo a capital.

Escapadinhas: o que fazer em Lisboa em 2 dias
Há muito para ver e fazer na capital portuguesa

Portugal está na moda e a sua capital não é exceção. Atente ao nosso guia sobre o que fazer em Lisboa em 2 dias e conseguir, em pouco tempo, aproveitar aquele que é um dos destinos mais populares da Europa e a cidade perfeita para uma escapadinha.

Bons motivos não faltam para visitar Lisboa: população acolhedora, calorosa e charmosa, que reflete bem o encanto de uma cidade global com um toque provinciano. A capital portuguesa é, sem dúvida, uma cidade deslumbrante, com muito para experimentar, desde a arquitetura, à história, cultura, estilo de vida e, claro, a fabulosa gastronomia. Saiba o que fazer em dois dias em Lisboa.

O que fazer em Lisboa em 2 dias? Nós dizemos tudo


Dia 1

10h: Praça Marquês de Pombal. Provavelmente a praça mais famosa da capital, este é um ponto de paragem obrigatório em qualquer visita. Após o terramoto de 1755, no qual Lisboa ficou bastante afetada, o então Ministro do Reino, Marquês de Pombal, encabeçou a planificação e a reconstrução da capital portuguesa. Como tal, mesmo no centro da praça, em 1934, foi-lhe dedicado o Monumento a Marquês de Pombal, onde, no topo da coluna central está a sua imagem com a mão pousada num leão (símbolo de poder) a contemplar a sua obra prima: a Baixa Pombalina de Lisboa.

praça do marquês de pombal

10h30: Praça Dom Pedro IV / Rossio. Este local é, historicamente, o coração de Lisboa e é aqui que têm decorrido algumas das iniciativas e eventos mais marcantes da cidade, desde touradas, a festivais, paradas militares, comícios políticos e mesmo autos-de-fé na época da Inquisição. Facilmente se percebe que percorrer este caminho é quase entrar num livro de história e achar que se faz parte dela.

11h30: Elevador Santa Justa. Também conhecido como Elevador do Carmo, não pode mesmo perder um dos monumentos mais interessantes do centro histórico lisboeta, de estilo neogótico e romântico, que liga a Baixa ao Bairro Alto. Foi inaugurado em 1902, ainda a vapor e apenas cinco anos depois começou a trabalhar a energia elétrica, tornando-se no único elevador vertical em Lisboa a prestar um serviço público. Após uma subida de 45 metros, terá uma das vistas mais bonitas da cidade de Lisboa e do Rio Tejo.

elevador santa justa

12h30: Rua Augusta. Sendo um dos principais centros de comércio da Baixa Lisboeta e fechada ao trânsito, este arruamento disponibiliza grande oferta comercial e histórica, onde se vislumbra ainda artistas de rua, artesãos e vendedores ambulantes. Ao fundo, encontra o Arco da Rua Augusta, de estilo neoclássico, que funciona como uma porta para o mar ou para a cidade, dependendo de onde se encontra. Este monumento funciona como uma homenagem a figuras incontornáveis da história de Portugal, como Viriato, Vasco da Gama, Nuno Álvares Pereira e Marquês de Pombal e possui ainda uma inscrição latina como referência aos Descobrimentos.

arco da rua augusta

14h30: Castelo de São Jorge. A maneira mais bonita de chegar ao Castelo e viver uma verdadeira experiência lisboeta é apanhar o elétrico 28, para um dos passeios mais encantadores que poderá fazer. O Castelo de São Jorge localiza-se na mais alta colina de Lisboa e foi declarado Monumento Nacional em 1910. Ao longo dos anos foram efetuadas várias intervenções que permitiram registar testemunhos de ocupação de vários povos: Fenícios, Gregos, Cartaginenses, Romanos e Muçulmanos. Além disso, pode ainda aproveitar bem o tempo a passear pelos jardins e miradouros de onde se pode observar toda a cidade, assistir a um espetáculo multimédia e a exposições.

castelo são jorge Fonte: Pixabay / juliaorige

16h30: Parque das Nações / Oceanário. Dado que foi uma área reabilitada para a Expo98, o Parque das Nações é uma das zonas mais modernas da cidade, com vários bares, restaurantes e até um centro comercial e, claro, o Oceanário de Lisboa – um grande aquário e museu de biologia marinha cujo objetivo é o de alertar consciências para a necessidade da proteção e conservação do grandioso património natural que são os oceanos. É também o local ideal para apreciar a vista da impressionante da Ponte Vasco da Gama, considerado o maior viaduto da Europa.

parque das naçõesFonte: Pixabay / bernswaelz

20h30: Chiado e Bairro Alto. Ao cair da noite, este é o melhor sítio para estar. O Chiado é, hoje em dia, um dos locais mais prestigiados de Lisboa, mesmo sendo um bairro histórico, com uma forte componente intelectual, liberal, modernista e também romântica. E é lá que se localiza um dos mais famosos cafés da capital portuguesa: a Brasileira. Por sua vez, o Bairro Alto é um dos bairros mais típicos e pitorescos de Lisboa, caracterizando-se pelas ruas estreitas e íngremes, cheia de bares, tasquinhas, restaurantes tradicionais e as casas de fado, que oferecem espetáculos musicais a não perder.


Dia 2

10h: Mosteiro dos Jerónimos. Trata-se de uma obra fundamental da arquitetura Manuelina e a sua construção em 1502 iniciou-se após Vasco da Gama ter regressado da viagem à Índia. A sua extensão preenche a vista e reconforta a alma. Lá encontram-se os túmulos dos reis D. Manuel I e sua mulher, D. Maria, D. João III e sua mulher D. Catarina, D. Sebastião e D. Henrique, Vasco da Gama, Luís Vaz de Camões, Alexandre Herculano e Fernando Pessoa.

mosteiro dos jerónimosFonte: Pixabay / dassel

11h30: pastéis de Belém. É tempo para fazer uma pausa para se deliciar com os famosos pastéis de Belém – uma iguaria portuguesa cuja receita é um segredo bem guardado pelos mestres pasteleiros da Fábrica dos Pastéis de Belém.

pastel de belém

12h: Padrão dos Descobrimentos. Este monumento foi erguido pela primeira vez em 1940, integrado na Exposição do Mundo Português e simboliza a expansão ultramarina portuguesa, que em tanto enalteceu o passado e a grandeza deste país, principalmente pelas obras de Infante D. Henrique, o impulsionador das descobertas.

padrão dos descobrimentosFonte: MaxPixel / CC0

12h30: Torre de Belém. Este monumento é um ícone da arquitetura do reinado de Manuel I, e funcionava como uma torre de menagem de tradição medieval, onde se dispunham peças de artilharia. Ao longo do tempo, este espaço foi perdendo a sua função de defesa da barra do Tejo. Atualmente, é possível visitar os quatro pisos, vendo a Sala do Governador, a Sala dos Reis, a Sala de Audiências e a Capela.

torre de belémFonte: MaxPixel / CC0

15h: Palácio Nacional de Belém. Em tempos albergava reis, hoje é classificado de monumento nacional e sede da Presidência da República Portuguesa, pelo que, sempre que o presidente se encontra nas instalações o estandarte presidencial é hasteado. O edifício é representa um conjunto arquitetónico e paisagístico com vista privilegiada para o rio Tejo e merece uma visita. Se puder, agende-a para o terceiro domingo do mês, às 11 horas, momento em que pode assistir à Rendição Solene ou Render da Guarda, realizado pela guarda de honra do Palácio Nacional de Belém.

16h: Alfama. É um dos mais típicos bairros da capital e um ponto de paragem incontornável para o que fazer em dois dias em Lisboa. Aqui conhece a cidade na sua génese: com as ruas e ruelas sinuosas, os becos esguios e escadarias íngremes, tudo isto enriquecido com pormenores genuínos: os estendais e floreiras na janela, uma população que não disfarça o que é nem na presença dos turistas, as crianças a brincarem na rua em liberdade…

alfama

17h: Elevador da Glória. Realiza um percurso de 265 metros e liga a Praça dos Restaurados ao Bairro Alto. Foi elaborado pelo engenheiro português Raoul Mesnier du Ponsard e os dois aparelhos são compostos por duas coxias de comando, em cada extremidade, e por uma zona de passageiros com dois bancos corridos de costas viradas para as janelas.

elevador da glória

17h30: Miradouro de São Pedro de Alcântara. Já que entrou no Elevador da Glória, aproveite para fazer uma paragem neste miradouro, para obter uma bonita perspetiva sobre os bairros da Graça e de São Vicente de Fora e o Castelo de São Jorge. É também o local ideal para descansar um pouco, devido às inúmeras árvores que rodeiam o miradouro e que fornecem sombras bem apetecíveis.

miradouro são pedro de alcântara

Agora que já sabe o que fazer em Lisboa em 2 dias, desfrute de uma pausa merecida na capital – e aproveite para respirar tudo que a cidades das 7 colinas tem para oferecer.

Veja também: