Publicidade:

Outono é uma estação especial para visitar o Gerês. Veja as vilas, aldeias e trilhos a não perder

Visitar o Gerês é descobrir um imenso Parque Natural que se estende desde o Planalto da Mourela a Castro Laboreiro, junto à fronteira no extremo norte.

Outono é uma estação especial para visitar o Gerês. Veja as vilas, aldeias e trilhos a não perder
Descubra este imenso anfiteatro natural

Ao longo de quatro impressionantes maciços de granito no extremo norte de Portugal, o Parque Nacional da Peneda-Gerês está rodeado de vales íngremes e florestas exuberantes, enquanto as águias sobrevoam o que é habitado por veados, lobos ibéricos e cavalos selvagens, que não encontrará em mais nenhum lugar neste nosso Portugal. Visitar o Gerês é descobrir as mais de cem aldeias de granito que, em muitos aspectos, pouco ou nada mudaram desde a fundação de Portugal no século XII.

Elevado em 1971 a Parque Nacional da Peneda-Gerês, o primeiro e único parque nacional de Portugal, ajudou a preservar não apenas um conjunto único de ecossistemas como também a própria existência humana neste local. Se gosta de natureza, venha descobrir este impressionante e inspirador lugar em estado imaculado. Se não gosta, dê uma oportunidade e venha na mesma. Asseguramos-lhe que não se vai arrepender. Não deixe de visitar o Gerês.

O que não poderá perder quando visitar o Gerês


Lindoso 

Esta admirável aldeia, pertencente ao concelho de Ponte da Barca, é conhecida, essencialmente, pelo seu castelo fronteiriço em ruínas dramáticas, agora guardado por pastores e respectivos rebanhos. As suas fortes muralhas do século XVII erguem e combatem uma aconchegante barreira ao vento, tornando-o local idílico para piqueniques e serões bem passados. Se a sua ideia é embrenhar na história, siga as lajes romanas através de florestas profundas até ao Penedo do Encanto, uma pedra de musgo coberta de esculturas pré-históricas que, segundo rezam as lendas, esconde tesouros encantados. São as lendas que rezam, não somos nós.

gerês

Soajo

Uma das maiores e mais bonitas aldeias de toda a região, com uma vasta colecção de espigueiros sobre enormes pedras vigiadas pelas muralhas do castelo de Lindoso. Uma aldeia com poucos habitantes humanos mas com a sua própria raça de bovinos que vão mantendo o ecossistema e fazendo as delícias dos amantes da gastronomia que visitam o Soajo. Existem vários caminhos pedonais que ligam Soajo a Lindoso, Peneda e aldeias vizinhas. Não deixe de percorrer os Caminhos do Pão e da Fé. O Caminho da Fé porque é uma das rotas de peregrinação à Senhora da Peneda e a outros locais religiosos, o Caminho do Pão porque leva-o aos moinhos de grãos no topo da aldeia.

Santuário da Nossa Senhora da Peneda

Depois de percorrer um cenário em constante mutação, passando por várias vacas a pastar à beira das estradas de Lindoso/Soajo, vai encontrar o Santuário da Senhora da Peneda. Muito provavelmente, terá feito a viagem no seu automóvel (um dos problemas desta região é precisamente a má oferta de transportes colectivos), pelo que poderá aproveitar para esticar as pernas e subir as centenas de degraus que o levarão até ao topo da Igreja. O Santuário é um centro para os peregrinos da região que seguem rotas das aldeias desde Monção e Arcos de Valdevez. No entanto, se for mais resistente, atreva-se a fazer ambas as rotas a pé.

Ponte Medieval de Mizarela 

A Ponte de Mirazela, popularmente conhecida como a Ponte do Diabo, foi erguida sobre o rio Rabagão durante a Idade Média para ligar as aldeias de Frades e de Vila Nova (actualmente freguesias de Ruivães e Ferral, no concelho de Montalegre). Uma Ponte medieval sustentada por um arco (e por uma lenda do Diabo) é um dos encantos maiores a ver, quando visitar o Gerês. Vale pela lenda, pela cascata, pelo desfiladeiro e por toda a paisagem e tranquilidade envolvente.

Visitar o Gerês: trilhos


gerês

O trilho de São Bento é uma combinação entre distintas paisagens florestais e locais de culto religioso, que abrem uma janela única sobre alguns dos cultos e lendas mais antigos de Portugal. Estendendo-se ao longo dos 15km de falésias ao longo do Vale do Caldo, aqui irá encontrar, com toda a certeza, uma parafernália de surpresas ao longo do caminho. Visite o Santuário de São Bento, o segundo maior Santuário de Portugal que atrai centenas de milhares de peregrinos. Aprecie ainda os antigos fornos de carvão e faça atenção às armadilhas para os lobos ao longo do percurso. No entanto, o destaque desta jornada são as pedras de granito com as antigas pegadas de Santa Eufemia, que alimentam a mitologia local há séculos.

Percorrer o Trilho dos Corrais é mergulhar nas antigas tradições pastoris da região do Gerês, através de uma fascinante caminhada por uma das mais belas paisagens do Parque Nacional. Caminhe ao longo de três vales profundos no terreno baldio de Vilar da Veiga e observe como os pastores acompanham o gado para pastar nesta região montanhosa durante dias – às vezes semanas! Ao longo do caminho, encontrará paisagens de granito, colinas íngremes e linhas de água bem definidas que transformarão esta árdua caminhada numa aventura inesquecível; apesar de fisicamente desgastante e desafiadora.

Por último, mas não menos arrebatador,  o Trilho de Preguiça é uma das melhores rotas para levá-lo ao coração desta rica paisagem natural do Parque Nacional da Peneda-Gerês. Respire o ar fresco e comece a caminhar perto do miradouro da Casa da Preguiça. A partir daqui, deverá focar o olhar para sul e contemplar o vale do Gerês a estender-se até ao horizonte da Barragem da Caniçada. Vire para norte e observe os diferentes tons de verde que cobrem a densa floresta. É aqui que a sua aventura recomeça.

Onde e o que comer


Se estiver pelo Soajo não quererá nem poderá perder a oportunidade de comer a bela da posta Cachena (uma espécie de Wagyu do norte da nação) nas respectivas variações: grelhada, assada, estufada a baixa ou a alta pressão. Uma carne verdadeiramente tenra e suculenta que não precisa de grandes pruridos nem floreados para se tornar numa das maiores experiências gastronómicas da sua vida. Recomendamos-lhe o Saber ao Borralho, um pequeno restaurante de família e comida honesta que, pela sua pequena dimensão e confecção fabulosa, está sempre cheio, pelo que, antecipadamente, deverá reservar a sua inesquecível refeição.

Onde dormir


O Parque Natural de Peneda-Gerês é colossal e necessita de tempo para ser convenientemente explorado e absorvido. Poderá acampar, escolher uma simpática e tranquila casa em ambiente de turismo rural, ou escolher equilibrar as incursões pela natureza com o requinte e relaxamento de um dos modernos spas da região.

 

O Gerês é um tesouro com algumas das tradições mais antigas de Portugal. O seu tamanho e diversidade garantem que todos possam desfrutar e explorar esta região diversificada.

Veja também: