Publicidade:

Parques de diversões: 11 segredos para poupar e evitar multidões

Os parques de diversões são caros, mas quando começa o bom tempo estão sempre cheios. Descubra alguns truques para contornar estes dois problemas.

Parques de diversões: 11 segredos para poupar e evitar multidões
Prepare-se para rentabilizar as suas atividades de verão ao máximo

Quem não gosta de visitar parques de diversões, especialmente os aquáticos, no verão? Mesmo para quem não é fã, se tiver filhos em casa é quase certo que, pelo menos uma vez na vida, vai ter de enfrentar o desafio. Sim, é um desafio! Porquê? Porque muitos destes parques são aquáticos e, como é natural, enchem quando está calor. Mas mesmo os que não são aquáticos, como os da Disney, têm entradas caras e costumam receber sempre muita gente ao mesmo tempo!

Mas fique a saber que há alguns truques para minimizar qualquer um destes dois problemas. Não perca mais tempo e leia todas as nossas dicas sobre como pode pagar menos para visitar estes espaços e para fugir dos grandes ajuntamentos de pessoas!

6 formas de poupar nos parques de diversões

segredos parques de diversão

1. Amigos nos parques

Sabia que alguns parques de diversões permitem que os seus funcionários cedam entradas gratuitas aos seus amigos e familiares? É o caso da Disneyland, onde um funcionário pode dar 15 entradas triplas por ano, com um limite de 3 pessoas por dia. Mesmo que o grupo seja maior, já não é mau ter 3 entradas oferecidas. Por isso, se tiver amigos na Disneyland, não se esqueça de combinar muito bem a sua ida!

2. Residência local

Por vezes, ser residente local dá direito a entradas mais baratas. Não sendo propriamente um parque de diversões, o Zoo da Maia é um bom exemplo. Quem mora nas freguesias do concelho da Maia tem direito a um preço especial, que pode variar de acordo com a freguesia em questão. Verifique sempre se os parque de diversões que pretende visitar têm esta vantagem.

3. Descontos de associado

Ser associado de uma determinada empresa ou entidade pode dar acesso a vários produtos ou serviços noutros espaços. São parcerias que as empresas e instituições por vezes fazem, de forma a oferecer vantagens aos seus clientes e associados.

Por exemplo, ter o cartão FNAC dá descontos na aquisição de bilhetes para o Zoomarine, Oceanário, Aquaparque de Santa Cruz, Aquashow, Dino Parque da Lourinhã, Jardim Zoológico de Lisboa, Portugal dos Pequenitos, Zoo de Santo Inácio, Sealife, World of Discoveries – Museu Interativo e Parque Temático no Porto, entre muitos outros espaços.

Mas tenha atenção que há muitos outros cartões que permitem ter descontos não só no espaço onde são adquiridos, mas noutros locais. Os bancos, o cartão EDP Mais e o ACP são bons exemplos. Em caso de dúvida, sempre que visitar um parque de diversões, pergunte que descontos são possíveis aplicar.

4. Comprar online

A menos que um desconto mais vantajoso do que o da compra online obrigue à aquisição dos bilhetes à entrada do parque de diversões, compre sempre pela internet. Geralmente, os preços são mais baratos, para além de não perder esse tempo, caso haja mais gente a fazer a compra no local.

5. Atenção às épocas

Se não levar crianças, não há dúvida. A melhor altura para visitar parques temáticos é durante o período escolar. Para além de mais vazios, alguns parques, especialmente os mundialmente conhecidos, poderão ter preços mais caros nas férias escolares. Às vezes, por uma questão de dias, pode poupar muito dinheiro. E não é só no parque, mas também no alojamento.

6. Identificar a música

No início do dia é comum ouvir-se música mais acelerada nos parques de diversões, para que as pessoas circulem pelo espaço. Mas, para incentivar as pessoas a relaxar e passarem pelas lojas, a música é mais calma. Não se deixe enganar e fuja da armadilha das recordações!

5 segredos para evitar multidões nos parques de diversões

segredos parques de diversão

1. Chegar cedo

Ser o primeiro da fila faz toda a diferença. Se conseguir, vá para os parques mais concorridos 1 hora antes da abertura. Assim que abra, dê prioridade às diversões mais populares, para garantir que não fica eternamente nas filas!

Na Disney de Orlando, nos Estados Unidos da América, cada minuto que chegue depois da hora de abertura do parque representa mais dois à espera nas filas.

2. Aderir ao chapéu de chuva

O chapéu de chuva pode ser o seu melhor aliado em dias duvidosos. Muitas pessoas evitam os parques quando está mau tempo. Isso significa que as filas serão menores nesses dias. Para não se tornar num desistente, faça-se acompanhar por esta acessório fundamental!

3. A escolha da data

Apesar de a época alta e fins de semana serem, obviamente, as alturas em que vão mais pessoas aos parques de diversões, esses também são os períodos em que há um reforço das equipas que aí trabalham. Isto significa que, mesmo estando cheios, por vezes pode acabar por se despachar mais depressa nesses dias, porque há mais funcionários a fazer as coisas acontecer.

4. Planeamento de horários

Almoçar mais cedo ou mais tarde do que o normal é uma forma de aproveitar a hora mais comum de almoço para ir às diversões mais concorridas, que estarão mais vazias nesse período, e também de não apanhar muitas filas para fazer as próprias refeições!

As enchentes das diversões dão-se mais durante a tarde, por isso esta é uma boa altura para fazer uma pausa, para regressar mais para o final do dia, no caso de parques que fechem apenas de noite.

5. Os melhores hotéis

Falando concretamente da Disney, os “melhores” hotéis do parque nem sempre são os melhores! Isto porque, geralmente, se ouve o barulho nas piscinas até tarde, para onde estes hotéis costumam estar virados, assim como as pessoas que vão cedo para os pequenos almoços e autocarros.

Esta pode ser uma realidade de outros parques, especialmente os de grandes dimensões, que nos levam a fazer uma viagem propositadamente para os visitar.

Assim, por vezes, é melhor ficar fora do parque, numa zona menos confusa e concorrida. Para além do mencionado, de certeza que será mais barato.

Veja também: