Publicidade:

Passe único de Lisboa chega em abril. Saiba o que vai mudar

Está confirmado o passe único em Lisboa e, com ele, chegam novidades e mudanças. Saiba tudo sobre as novas mensalidades dos transportes.

Passe único de Lisboa chega em abril. Saiba o que vai mudar
Uma “revolução na mobilidade urbana” de Lisboa

As novidades são boas para os utilizadores dos transportes públicos em torno da capital: o passe único de Lisboa é uma realidade confirmada pelas autoridades e isso pode significar uma boa poupança no final do mês.

A Área Metropolitana de Lisboa anunciou, a partir de abril, uma “revolução na mobilidade urbana”, que se inicia com a simplificação do tarifário e a criação de um passe único nos transportes públicos dos 18 concelhos que a compõem.

As perguntas, claro, sucedem-se, mas as respostas seguem-nas a bom ritmo. No geral, tudo parece pensado para que a utilização dos transportes públicos ganhe força e perca peso na carteira. No detalhe, contudo, há coisas que ainda não sabemos como vão ficar. Veja tudo, ponto por ponto.

Passe único de Lisboa: 9 perguntas e respostas


1. O que é o passe único de Lisboa?

O passe único de Lisboa é um bilhete mensal que lhe permite viajar em toda a rede de transportes públicos da capital portuguesa a um preço reduzido, face aos que eram praticados até agora.

passe único em Lisboa

2. Que tipos de passe único posso encontrar?

A medida implementada pelo Governo divide os utilizadores dos transportes públicos de Lisboa em dois grupos: os que viajam sempre e apenas dentro da cidade e os que circulam entre a capital e os municípios vizinhos, circulando dentro do perímetro que é conhecido como Área Metropolitana de Lisboa.

Para os primeiros, que não saem da cidade, foi criado o Navegante Municipal: um passe mensal que custa 30 euros e serve para todos os transportes da rede. O preço é igual para todos e independente da distância que percorre ou da frequência com que viaja.

São também criados 18 passes Navegante Municipal, um para cada dos 18 concelhos que integram a AML e, neste caso, permite apenas viajar no concelho para o qual foi adquirido por 30 euros.

Para os segundos foi criado o Navegante Metropolitano, que custa 40 euros e permite viajar dentro de toda a Área Metropolitana de Lisboa, ou seja, em Alcochete, Almada, Amadora, Barreiro, Cascais, Lisboa, Loures, Mafra, Moita, Montijo, Odivelas, Oeiras, Palmela, Seixal, Sesimbra, Setúbal, Sintra e Vila Franca de Xira.

3. Quem pode beneficiar do passe único em Lisboa?

Todos os utilizadores dos transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa podem beneficiar do passe único, só têm de comprá-lo nas bilheteiras.

4. Como se carrega o passe único?

Da mesma forma que, até aqui, carregou o outro passe: nas bilheteiras ou no multibanco. Tenha apenas em consideração que o passe único de Lisboa é válido por um mês, e não por 30 dias, como acontecia até aqui com os passes tradicionais.

Isto significa que, independentemente do dia em que o compra, o passe único só é válido para aquele mês – ou seja, compensa mais se comprar logo nos primeiros dias de cada mês.

passe único em Lisboa

5. O que acontece às tarifas especiais para reformados?

Os descontos para reformados mantêm-se: continuam a pagar 20 euros para circular dentro da Área Metropolitana de Lisboa e 15 euros para circular dentro da capital. Para estes, não se aplica o passe único de Lisboa, porque é mais caro do que o desconto que têm atualmente.

6. E os descontos para estudantes e carenciados?

Tal como as tarifas especiais para idosos, os descontos nos passes para estudantes e beneficiários de ação social mantêm-se no passe único de Lisboa.

Portadores do passe 4_18 (destinado a jovens até aos 18 anos, estudantes do ensino básico e secundário) e do passe Sub_23 (para estudantes do Ensino Superior até aos 23 anos) continuam a beneficiar de 25% de desconto, e beneficiários de ação social continuam a ter um desconto de 60% na tarifa.

A diferença agora é que, em vez de serem aplicados sobre o valor total do passe original, estes descontos passam a ser aplicados sobre o valor do passe único de Lisboa, isto é, estudantes têm 25% de desconto sobre os 40 euros do passe único de Lisboa e beneficiários de ação social pagam apenas 60% do mesmo valor.

As crianças até ao mês em que completam os 13 anos podem viajar gratuitamente em toda a AML com o cartão Lisboa Viva.

7. Em que meios de transporte é válido?

O passe único é válido em todos os meios de transporte público de um concelho, no caso do Navegante Municipal, ou dos municípios da AML, no caso do Navegante Metropolitano, nomeadamente: CP – Comboios de Portugal, Fertagus, incluindo os serviços rodoviários da Sulfertagus, Metropolitano de Lisboa, MTS – Metro Transportes do Sul, SOFLUSA, Transtejo, Carris, Mobi (Cascais Próxima, Empresa Municipal), Transportes Coletivos do Barreiro (TCB), Barraqueiro Transportes, incluindo parte das marcas Mafrense e Boa Viagem, Henrique Leonardo Mota (HLM), Isidoro Duarte (ID), JJ-Santo António, Rodoviária de Lisboa, Scotturb, TST, incluindo serviços da SulFertagus, e Vimeca Transportes.

8. Quando posso comprar o passe único em Lisboa?

O passe único de Lisboa começa a ser vendido a 26 de março, mas só entra em vigor no dia 1 de abril. Se precisa de carregar o seu passe, o nosso conselho é que procure a bilheteira com antecedência, para chegar ao dia 1 já preparado para circular a preço baixo.

9. E se não comprar a tempo?

A pensar nos utilizadores que, por algum motivo, não compraram o passe no início do mês e agora precisam dele por menos tempo, foi criada uma edição especial do passe único que custa 10 euros e é válida por sete dias. Pode usá-la até terminar o mês corrente e depois comprar o verdadeiro passe único.

passe único em Lisboa

O Passe Família


Além do passe único de Lisboa, o Governo pensou ainda em criar o Passe Família. Este bilhete ainda não existe, mas, a ser criado, vai aliviar a carteira de muitas famílias: ele estabelece um valor máximo a gastar pelo agregado familiar nos passes de cada elemento.

A ideia é que, por exemplo, um agregado familiar de quatro pessoas – dois adultos e dois estudantes – não pague mais do que 80 euros pelos passes todos (se cada um pagar o seu, são, pelo menos, 80 euros dos pais mais algumas dezenas pelos passes dos filhos).

O limite desce para 60 euros se em causa estiverem apenas Navegantes Municipais, ou seja, se forem passes para circular sem sair da cidade.

Veja também:

Marta Maia Marta Maia

Jornalista de formação, trabalhou no Público e na Fugas, mas logo passou para o lado do Marketing. Apaixonada pelo digital e por pessoas, é poupada por natureza e faz questão de tratar o dinheiro com o respeito que ele merece. Ecologista convicta, não dispensa música, livros e boas conversas offline.

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O E-Konomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].