Publicidade:

As 5 melhores plantas medicinais para a menopausa

Descubra as melhores plantas medicinais para aliviar os sintomas da menopausa e saiba como usá-las no seu dia a dia, conquistando saúde, bem-estar e energia.

As 5 melhores plantas medicinais para a menopausa
Diga adeus ao desconforto de forma natural

A menopausa é um longo estágio na fisiologia da mulher, que dura cerca de metade a dois terços da sua vida. Parece incrível, não é? É um período de transformação com sintomas desconfortáveis, que dificultam o dia a dia da mulher, mas que podem ser controlados naturalmente. Como? Indicamos as melhores plantas medicinais para a menopausa e uma coisa é certa: esta ajuda vai aliviar o seu desconforto.

5 plantas medicinais para aliviar os sintomas da menopausa


Sob a forma de chás ou suplementos, são uma grande ajuda quando o assunto é dizer adeus aos incómodos. Confira as plantas que podem minimizar os efeitos da menopausa.

Angélica-chinesa

angélica-chinesa

É uma planta vivaz que cresce espontaneamente na China e no Japão, sendo uma poderosa vasodilatadora que fortalece o organismo feminino, para além de ser hepatoprotetora e adaptogénica. São utilizados os rizomas da planta no tratamento dos sintomas da menopausa.

Na menopausa, a Angélica-chinesa previne o risco de hipertensão arterial – ao diminuir a pressão sanguínea nas artérias – e reduz a formação de placas nos vasos, diminuindo assim os riscos cardiovasculares – como enfarte e angina de peito.

A Angélica-Chinesa é considerada o ginseng-feminino por ter uma ampla aplicação na saúde da mulher: a planta ajuda a nutrir os tecidos vaginais, evitando a secura, e os seus fitoestrogénios (contidos na raiz) ajudam a conter as ondas de calor súbitas no rosto e peito.

Como usar? A raiz pode ser usada em pó, desidratada em extrato seco, numa infusão de uma colher de chá do pó numa chávena de água a ferver, 1 ou 2 chávenas por dia.

Cimicifuga

plantas medicinais

Nativa do Canadá e dos EUA, é atualmente cultivada na Europa. A sua raiz possui componentes fitoquímicos com excelente ação reguladora hormonal – o que faz desta planta uma das melhores alternativas à terapia de substituição hormonal.

A cimicifuga é ativadora dos recetores de estrogénios, reduzindo drasticamente as manifestações de afrontamentos, depressão, suores, cefaleias, tonturas, palpitações, zumbidos, insónias e irritabilidade.

A ação benéfica da cimicifuga sobre os ossos diminui o risco de osteoporose, mas não é só: esta super planta também previne o cancro da mama e do útero, aumentando a qualidade e esperança média de vida das mulheres.

Como usar? A infusão para uma chávena de água a ferver deve conter uma colher de chá da raiz de cimicifuga.

Anho-Casto

casto lilac

Encontra-se em Portugal em sebes, margens dos rios e terrenos húmidos. Os frutos desta gentil árvore têm uma potente ação sobre o sistema hormonal, tornando-se uma importante planta para as mulheres.

Na menopausa, esta planta ajuda a diminuir os suores, controla a ansiedade, afasta a depressão, a irritabilidade e as cefaleias, além de regular o apetite por doces e chocolates.

Como usar? Podem ser tomadas 40 gotas da tintura (1:5) de Anho-casto diluída em água, por dia.

Soja

soja

O extrato glicosídeo de isoflavonas, obtido a partir do óleo das sementes de soja, é bastante benéfico no tratamento das perturbações da menopausa. A ação das isoflavonas da soja reduz as ondas de calor, melhora o humor, diminui o colesterol, previne as doenças cardiovasculares, mantém a saúde óssea, melhora as características da pele e previne o risco de cancro de mama.

Como usar? O extrato padronizado da soja poderá ser tomado sob a forma de suplemento alimentar.

Salva

salva

É típica no clima temperado e com muita luz, e, por vezes, cresce espontaneamente em Portugal. As isoflavonas obtidas a partir do óleo essencial das folhas e flores da salva têm ação estrogénica. Os constituintes desta planta são reguladores do sistema hormonal, reduzindo substancialmente a transpiração excessiva, os calores e os afrontamentos.

Como usar? A infusão deve conter uma colher de sobremesa por chávena de água a ferver. Beba 3 chávenas por dia.

Monopausa: o que é e quando acontece?


A menopausa é o período que decorre a partir da última menstruação da mulher, sendo difícil definir com exatidão quando vai ter início. No entanto, é possível prever que as idades assinaladas para o início desta fase estejam situadas entre os 45 e os 50 anos.

O encerramento dos ciclos menstruais e ovulatórios pode durar cerca de um ano, período que chamamos de climatério. Durante este intervalo, haverá interrupção da menstruação e, ocasionalmente, meses com ovulação. O que acontece é que, gradativamente, o organismo vai deixando de produzir as hormonas estrogénios e progesterona.

Esta fase representa a transição da fase reprodutiva para a fase não reprodutiva. Assim, ocorrem várias transformações no organismo, que se manifestam, sobretudo, por ondas de calor, ausência de menstruação, secura vaginal, suores noturnos, insónia, diminuição da libido, perda de massa óssea, irritabilidade e falta de memória.

Experimente estas plantas medicinais para a menopausa, que ajudam a mulher a lidar melhor com os sintomas e a viver melhor.

Veja também:

Ana Luisa Santo Ana Luisa Santo

Enfermeira especializada em acupuntura e medicina tradicional chinesa. É uma apaixonada pela saúde natural e terapias alternativas, explorando ativamente formas seguras de cuidar a saúde e o bem-estar. Trabalhou no Serviço de Cuidados Intensivos do Hospital Geral Santo António, Porto. Atualmente trabalha na consulta de acupuntura do Hospital da Lapa. Docente no Instituto Jean Piaget. Enfermeira voluntária na AMI.