Publicidade:

Sabe quanto custa um funeral em Portugal?

Apesar de este não ser um tema agradável, é importante saber quanto custa um funeral para evitar pagar mais do que o necessário por uma cerimónia fúnebre.

Sabe quanto custa um funeral em Portugal?
Compare os preços das agências funerárias quando tiver de escolher uma

Quanto custa um funeral? Esta pergunta ainda é considerada tabu em Portugal, uma vez que o tema da morte não é muito abordado no país. No entanto, é necessária que a mesma seja feita, pois morrem pessoas diariamente, tendo os familiares das mesmas que lidar com os custos das cerimónias fúnebres, muitos deles sem saberem até ao momento dessa perda quanto custa a realização de um funeral. Em 2017 foram registadas 110 197 certidões de óbito, segundo os dados disponibilizados pela Direção-Geral da Saúde (DGS).

Por isso, o melhor é sabermos antecipadamente quanto custa aproximadamente todo este processo tratado com uma agência funerária, para percebermos se estamos a pagar muito ou não pelo serviço, caso algum dia tenhamos de ser nós a tratar do assunto.

Quanto custa um funeral em Portugal?

quanto-custa-um-funeral

Apesar do tabu que ainda existe em relação ao tema, não devemos esquecer que os rituais funerários advêm de um conjunto de crenças e práticas usadas por determinadas culturas para que os mortos sejam recordados, sendo os mesmos praticados há cerca de 300 mil anos.

Ao perderem alguém próximo, é normal que os familiares ou pessoas amigas da pessoa falecida não se sintam bem a nível emocional para tratarem de um funeral, acabando muitas vezes por deixar as agências funerárias tratarem de todo o processo inerente ao ocorrido. No entanto, aconselhamos que se houver algum familiar ou pessoa próxima e de confiança que consiga lidar com este processo sem deixar tudo na mão da agência funerária, esta o deva fazer. Basta que essa pessoa:

  • Peça orçamentos discriminados a várias agências funerárias, para assim poder comparar preços e escolher uma opção que não se torne muito dispendiosa;
  • Escolha o melhor financiamento para as necessidades que um funeral exige.

Despesas relacionadas com um funeral

Para percebermos quanto custa um funeral, devemos recordar que teremos de pagar por vários serviços que costumam ser necessários numa cerimónia fúnebre, entre eles:

  • Tratamento de burocracia
  • Transporte de materiais (para o velório)
  • Serviços paroquiais (ou seja, a cerimónia)
  • Caixão
  • Lençol e lenço para urna
  • Tanatopraxia
  • Pote
  • Sepultura
  • Cendrário
  • Arranjos florais
  • Cartões de agradecimento
  • Armações (como pano fúnebre e carpete, por exemplo)
  • Custo de pessoal
  • Viaturas e transporte fúnebres
  • Direito de cemitério

Existem ainda vários outros serviços que podem ser solicitados, como por exemplo:

  • Anúncios do óbito em jornais
  • Serviços de cafetaria para o velório
  • Viagem de barco para depósito das cinzas no mar

Exemplos de preços

A resposta à pergunta “Quanto custa um funeral?” varia consoante a escolha da agência funerária e dos serviços da mesma, uma vez que os valores destas agências não são sempre os mesmos. No entanto, iremos dar-lhe o exemplo de preços médios praticados por uma agência em Lisboa. Se optar pela opção básica, por exemplo, serão estes os preços apresentados:

  • Tratamento de burocracia: 130€
  • Transporte de materiais (para o velório): 16€
  • Serviços paroquiais (ou seja, a cerimónia): 140€
  • Caixão: 565€
  • Sepultura: 85€
  • Arranjos florais: 95€
  • Custo de pessoal: 300€
  • Viaturas e transporte fúnebres: 300€
  • Direito de cemitério: 85€
  • Armações (como pano fúnebre e carpete, por exemplo): 10€

No total, este funeral custaria 1.726€. No caso da opção intermediária, da qual não fazem parte o pote e o cendrário, os valores seriam:

  • Tratamento de burocracia: 130€
  • Transporte de materiais (para o velório): 16€
  • Serviços paroquiais (ou seja, a cerimónia): 140€
  • Caixão: 2 875€
  • Sepultura: 85€
  • Arranjos florais: 245€
  • Custo de pessoal: 300€
  • Viaturas e transporte fúnebres: 300€
  • Direito de cemitério: 85€
  • Armações (como pano fúnebre e carpete, por exemplo): 10€
  • Lençol e lenço para urna: 30€
  • Cartões de agradecimento: 70€ por cada 50 cartões
  • Tanatopraxia: 450€

Feitas as contas, esta cerimónia fúnebre iria custar 4.736€.

E quanto custa um funeral com a opção da Cremação? Esta acabaria por resultar num total de 2.037,10€ com o pote incluído (62,50€) ou 2.026,60€ se se optasse pelo cendrário (52€), sendo que o montante das restantes despesas corresponderiam a:

  • Tratamento de burocracia: 130€
  • Transporte de materiais (para o velório): 16€
  • Serviços paroquiais (ou seja, a cerimónia): 140€
  • Caixão: 790€
  • Arranjos florais: 140€
  • Custo de pessoal: 300€
  • Viaturas e transporte fúnebres: 300€
  • Direito de cemitério: 148,60€
  • Armações (como pano fúnebre e carpete, por exemplo): 10€

Fonte: ComparaJá

Custos associados ao município

Há despesas que se tornam obrigatórias nestas alturas, entre elas as dos custos associados ao município onde irá ser realizada a cerimónia fúnebre, uma vez que existe algo que pode ser descrito como taxas municipais, que variam de acordo com a localidade onde é feito um funeral.

O montante dessa espécie de taxas pode ser pago diretamente pelo cliente ou então a agência funerária pode tratar de tudo, como da sepultura, dos serviços paroquiais e do direito de cemitério, tendo estes já sido referidos anteriormente neste artigo quando foram feitas as contas dos custos de um funeral. Já foram também mencionados os gastos com a burocracia que envolve este processo, bem como os arranjos florais e a escolha de um caixão, além da decisão de se comprar um pote caso os familiares da pessoa falecida não quiserem deixar as cinzas no cemitério.

De forma resumida, quanto mais serviços forem solicitados para a realização da cerimónia, maiores serão os custos totais. Por isso, a resposta à pergunta “Quanto custa um funeral?” irá depender de várias escolhas dos familiares ou pessoas chegadas à pessoa falecida, a começar pela escolha da agência funerária. Existem funerais que podem custar milhares de euros.

Quanto custa um funeral: ajudas de custos

Nem todas as famílias têm possibilidades económicas para pagarem o total de uma cerimónia fúnebre, existindo para tal o subsídio de funeral, cujo valor fixo é de 214,93€. O referido subsídio é uma prestação em dinheiro, atribuída de uma só vez, destinada aos cidadãos que comprovarem o pagamento das despesas do enterro de um familiar ou de outra pessoa, inclusive os nascituros. No entanto, este apoio da Segurança Social só poderá ser solicitado se o cidadão falecido tiver sido residente em território nacional e beneficiário do regime de Segurança Social.

Quem tem direito ao subsídio de funeral?

Só pode ter direito ao subsídio o cidadão que:

  • Residir em Portugal ou em situação equiparada, ou então pertencer a um país com o qual Portugal tenha um acordo para estas situações;
  • Não tiver direito a subsídio por morte nem a reembolso de despesas de funeral;
  • Comprovar o pagamento das despesas de funeral através do original das despesas efetuadas.

Como requerer o subsídio de funeral?

Quem quiser solicitar esta ajuda financeira terá de preencher o requerimento Mod.RP5033-DGSS, que deve ser entregue nos serviços de atendimento da Segurança Social da sua área da residência. O interessado deve ainda entregar os documentos indicados no requerimento::

  • Fotocópia de certidão de óbito ou certidão de nascimento com o óbito averbado ou declaração do médico do estabelecimento ou serviço de saúde, no caso de feto ou nado morto;
  • Recibo da agência funerária comprovativo do pagamento das despesas de funeral (original);
  • Documento da instituição bancária comprovativo do IBAN, no caso de pretender que o pagamento seja efetuado por depósito em conta bancária;
  • Mod. RP 5078-DGSS, no caso de morte resultante de ato da responsabilidade de terceiro.

O prazo para a entrega do requerimento e dos documentos acima mencionados é de 6 meses, contados a partir do primeiro dia do mês seguinte àquele em ocorreu o falecimento.

Não é necessário declarar o subsídio no IRS

Os valores que o contribuinte venha a receber a título de despesas de subsídio de funeral não precisam de ser declarados no Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS).

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.