Publicidade:

Recrutamento interno ou externo: descubra as diferenças

Quando há necessidade de preencher uma vaga de emprego, a escolha do candidato pode ser feita através de recrutamento interno ou externo.

Recrutamento interno ou externo: descubra as diferenças
Vantagens e desvantagens de cada um dos processos

Perante a necessidade de um trabalhador para uma determinada vaga, qualquer empresa, independentemente do setor de atividade, pode escolher o recrutamento interno ou externo. Ou seja, pode recorrer aos recursos humanos já existentes e atribuir-lhes outras funções ou cargos ou, por outro lado, procurar um candidato no mercado de trabalho. Este é um assunto ainda pouco claro para si? Então, continue a ler. Vamos esclarecer todas as suas dúvidas.

A opção entre o recrutamento interno ou externo tem em consideração alguns fatores, tais como: o tipo de trabalho a realizar, a urgência do recrutamento, a política de recursos humanos da empresa, a inovação ou expansão do negócio, o custo e a duração.

A seleção de mão de obra qualificada ou adequada é a base essencial do bom funcionamento, sucesso e futuro de qualquer negócio. Assim, há que saber avaliar a melhor maneira de o fazer, optando pelo recrutamento interno ou externo, de acordo com as características e necessidades de cada momento e/ou empresa.

Promover um funcionário exemplar pode, nalguns casos, ser a decisão mais segura. Porém, nem sempre é possível ou responde aos objetivos, nomeadamente de aposta em novas áreas de negócio.

Descubra as diferenças, as principais vantagens e desvantagens do recrutamento interno e externo.

Recrutamento interno ou externo: vantagens e desvantagens


Curriculum Vitae criativos: exemplos de sites onde se inspirar

Recrutamento interno

Trata-se de um processo de seleção realizado dentro da própria empresa, com recurso aos trabalhadores já contratados. Permite manter e motivar os colaboradores, através de promoção ou de transferência entre departamentos.

Vantagens e Desvantagens

A grande vantagem do recrutamento interno é o conhecimento prévio do perfil do candidato. A empresa já possui, à partida, dados sobre o trabalhador que são difíceis de obter ou de mensurar, como sendo a qualidade do seu trabalho, o nível de produtividade, a sua eficiência ou o relacionamento que estabelece com os seus colegas de equipa.

Entre as desvantagens deste tipo de recrutamento, estão o facto de a empresa dispor de um reduzido número de opções/candidatos, a possível dificuldade de adaptação do trabalhador ao novo cargo ou mesmo a “viciação” de métodos de trabalho que bloqueiam a capacidade de inovação.

Vantagens

  • Baixos custos
  • Recrutamento e integração mais rápidos
  • Candidatos já familiarizados com a empresa
  • Aumento da motivação dos trabalhadores
  • Candidatos já inseridos na equipa
  • Promove a competição saudável
  • Permite a retenção de talentos
  • Rentabilização do investimento em formação
  • Substitui outros meios de promoção

Desvantagens

  • Baixo número de candidatos
  • Comodismo por parte do trabalhador
  • Conflitos internos pela disputa da posição
  • Candidatos não aprovados com queda de produtividade
  • Menor fluxo de novas ideias e experiências
  • Eventual saída de trabalhadores não selecionados
  • Envelhecimento da equipa
  • Dificuldade de adaptação do trabalhador ao novo cargo
  • Desânimo dos gestores de equipa pela perda de elementos

Recrutamento externo

Este é o tipo de recrutamento mais habitual, feita através da procura de candidatos no mercado de trabalho, ou seja, fora da empresa.

Vantagens e Desvantagens

O recrutamento externo permite atingir um maior número de candidatos e introduzir novas ideias e métodos de trabalho na empresa, o que pode ser muito benéfico para o negócio.

Comparativamente com o processo interno, este exige um investimento muito maior, a todos os níveis. Mesmo após a seleção do candidato, ainda é necessário sensibilizá-lo para os valores e a missão da empresa, integrá-lo numa equipa e dar-lhe formação. Tudo isso requer tempo e dinheiro.

Vantagens

  • Maior número de candidatos
  • Aquisição de novas ideias e métodos de trabalho
  • Construção de base de dados de candidatos
  • Maior receptividade a aprender
  • Possibilidade de seleção mais exigente

Desvantagens

  • Processo de recrutamento e integração demorado
  • Expetativas frustradas por parte de candidatos internos
  • Afetação da política salarial da empresa
  • Elevados custos em formação
  • Maior probabilidade de erro

9 modelos de CV que deve conhecer >>

7 boas fontes de recrutamento externo


Curriculum Vitae criativos: exemplos de sites onde se inspirar

Sendo o recrutamento externo o mais comum em qualquer setor de atividade, público ou privado, são muitas as fontes a considerar.

1. Agências de emprego

Agências especializadas em seleção de recursos humanos. De acordo com os requisitos apresentados pelas empresas selecionam o(s) candidato(s).

2. IEFP

Através do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) é possível encontrar o perfil pretendido para um determinado lugar, entre os inscritos no centro de emprego respetivo.

De acordo com as necessidades, pode optar-se por um profissional qualificado, com experiência ou alguém à procura do primeiro emprego, candidato a um estágio profissional, por exemplo. Esta última opção (estágio profissional) oferece alguns benefícios financeiros à entidade empregadora.

3. Escolas e universidades

As instituições de ensino – profissional e universitário – são fontes cada vez mais requisitadas. O interesse em recrutar jovens que, apesar de sem experiência, apresentam o perfil adequado para determinadas funções a par da ambição e capacidade de inovação, atraem muitas empresas.

4. Familiares e amigos de colaboradores

Algumas empresas divulgam as vagas internamente, para que sejam os seus funcionários a identificar e referenciar, entre o seu grupo de familiares e amigos, pessoas da sua confiança para integrar determinada posição. Este é o método de recrutamento inicial de muitas entidades. Quando o mesmo não dá resultado, avançam para a publicação de um anúncio público de emprego.

5. Antigos trabalhadores

O recurso a antigos colaboradores pode apresentar vantagens, caso se trate de recursos com um historial positivo na empresa. Esta situação pode ocorrer por interesse de ambas as partes: de um trabalhador que saiu e deseja regressar ou da empresa que um dia se viu obrigada a dispensar um bom funcionário, mas que entretanto obteve capacidade para o voltar a contratar.

6. Anúncio de emprego

É uma das soluções mais comuns e rápidas de reunir candidatos. Os anúncios são publicados em redes sociais, websites de procura de emprego ou jornais, chegando a um vasto número de interessados.

Esta não é a estratégia mais adequada quando a necessidade urgente.

7. Base de dados

Muitas empresas recebem diariamente candidaturas espontâneas e mantêm o registo de anteriores candidatos não admitidos. Todos os contactos constam de uma base de dados usada sempre que necessário. No caso de surgir uma nova vaga adequada a um perfil “em carteira”, a empresa entra em contacto com o candidato.

Agora já conhece as diferenças entre recrutamento interno e externo, as suas principais vantagens e desvantagens. De acordo com esta informação, se necessário, poderá avaliar e decidir a qual a melhor opção.

Veja também:

Elsa Santos Elsa Santos

Formada em comunicação, conta com uma vasta experiência na área. Do jornalismo ao marketing digital, a escrita é o elo comum. Apaixonada por histórias, tem desenvolvido, nos últimos anos, diversos projetos de storytelling, copywriting e locução. É mãe de duas crianças, o que não lhe dá superpoderes, mas a obriga a estar permanentemente ligada.

Saiba tudo sobre emprego