Publicidade:

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Fique a saber no regresso às aulas: como vender o material que já não usa. Dicas simples que podem fazer muita diferença no orçamento.

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa
Faça o velho pagar pelo novo

Infelizmente, as férias passam rápido e, quando menos esperar, o regresso às aulas vai estar a bater-lhe à porta. Existem muitos textos que ensinam como poupar dinheiro nesta fase, mas a nossa ideia é inverter a situação: vamos apresentar-lhe um roteiro prático, simples e muito útil para que fique a saber no regresso às aulas: como vender o material que já não usa, aumentando o seu rendimento.

Não seja apanhado desprevenido: comece já a fazer um pé-de-meia que lhe permita fazer face às despesas. Nós ajudamos!

Regresso às aulas: como vender o material que já não usa


1. Decida-se a vender

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Antes de mais, vender o que temos em casa e já não usamos compensa mesmo! Inicialmente, a reciclagem e reutilização era feita dentro de portas, com os mais variados bens a circular entre a família (que se acuse quem nunca usou um casaco ou um livro usado de um irmão ou primo mais velhos).

Atualmente, a necessidade de reduzir gastos e gerar um rendimento extra leva cada vez mais pessoas a investir na compra e venda de materiais usados. Liberte-se de pudores e aproveite a onda: não há qualquer vergonha em aproveitar boas oportunidades!

2. Escolha o método de venda

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Sobre regresso às aulas: como vender o material que já não usa, há uma opção que vem logo à cabeça: vender online. Claro que o OLX e outros portais de venda entre particulares são importantíssimos aliados na hora de vender o que já não usa, mas não se esqueça de que há outras opções igualmente boas e que não lhe exigem conhecimentos informáticos ou confiança cega em pessoas que nunca viu.

Há, por exemplo, as lojas de produtos em segunda mão. Nelas pode vender praticamente de tudo: dos livros escolares aos casacos que já não vão servir aos pequenos quando chegar o inverno. Carregue-se com tudo e procure a loja mais perto de si: vai sair de lá muito mais feliz do que quando entrou.

3. Defina o que vai vender

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Quando dizemos que pode vender tudo é mesmo tudo: de cintas de maternidade a raladores de frutos secos. Neste caso, estamos a aproveitar uma procura sazonal, pelo que nos vamos centrar apenas em artigos associados ao regresso às aulas.

Assim, comece por dar uma volta aos armários e gavetas dos seus filhos e recolha tudo o que eles nunca usaram, já não querem ou até querem mas já não serve – a saber:

Livros escolares

Se tudo correr bem, a sua renovação anual é inevitável; nota positiva: sendo o maior investimento desta altura, são também o bem mais procurado – e agora, com a nova lei que impõe a estabilidade nos manuais escolares, esta tarefa ficou muito mais fácil.

Mochilas, pastas e estojos com canetas

Por vezes, têm mesmo de ser trocadas: por se tornarem pequenas ou demasiado infantis, porque a decoração já não responde ao gosto das crianças/adolescentes, etc.

Computador, tablet, máquina calculadora, fones e outro material informático

Se tem de fazer um upgrade, não descure a venda das versões anteriores; são também dos artigos mais pesquisados. Lembre-se que também pode vender apenas peças que quer melhorar, não precisa de desfazer-se do conjunto inteiro.

Compasso, esquadro, régua e outro material semelhante

Se vai ter de comprar versões melhores/superiores, venda as anteriores. Não falta quem as procure.

Roupa e calçado

Não fazendo diretamente parte do regresso à aulas, pode também aproveitar esta altura para vender os artigos que já não usa; isto porque coincide com a entrada do tempo frio e, como o guarda-roupa do inverno passado já não serve, a sua renovação representa outro investimento importante para os pais.

4. Prepare o material para venda

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Tenha em conta que quanto mais estimados e com melhor aspeto estiverem os produtos, mais as pessoas estão dispostas a pagar por eles:

a) O ideal é ter as caixas originais, etiquetas, manuais de utilização e qualquer outro eventual material de apoio. Nos produtos tecnológicos, os talões de garantia são tão importantes que, sem eles, os preços baixam para metade;

b) Se já não tem as caixas nem os talões, lave, arranje e prepare o melhor possível todos os artigos: têm de parecer novos ou, pelo menos, estar em muito boas condições. Tente disfarçar o melhor possível todos os riscos, amolgadelas e danos que existam;

c) Nos livros escolares apague todas as referências ao dono original (nome, morada, anotações, etc.) e, se conseguir, os exercícios resolvidos. Tente também minimizar as marcas de uso, pintando com um marcador ou caneta qualquer desgaste na capa e miolo;

d) A roupa deve ser lavada, passada, botões e bainhas cosidos, etc. No calçado é importante que elimine os odores – ninguém vai comprar sapatos que cheiram a chulé.

5. Atribua um preço justo a cada artigo

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Em primeiro lugar, quando atribuir o preço aos seus artigos tenha presente que o objetivo dos compradores é fazer uma boa poupança – se o valor pedido não compensar, vão preferir investir nas habituais lojas de produtos novos.

Assim, vai ter de encontrar uma solução de compromisso que lhe permita fazer algum dinheiro sem sacrificar a poupança de quem compra.

Após a recolha dos artigos vendáveis, divida-os em três grupos com preços distintos:

a) Novos: procure o preço dos mesmos produtos em loja. Se os seus nunca foram usados, pode vendê-los a ⅔ desse valor;

b) Como novos: se os produtos estão usados mas em excelente estado, é perfeitamente possível vendê-los a metade do preço praticado pelas lojas tradicionais;

c) Usados, em bom estado: se não conseguiu mesmo eliminar todas as marcas de uso, o preço destes artigos vai ter de ser baixo. Calcule ⅓ do valor desses produtos em estado novo e prepare-se para negociar, porque é comum os compradores serem mais agressivos na abordagem a este tipo de mercadoria.

Falando em negociar… Preveja no preço um possível pedido de desconto: a compra e venda de material usado é o palco ideal para os negociadores natos. Esteja preparado para defender o seu preço, mas não seja forreta e ofereça descontos quando tiver margem para isso – além de agradarem aos compradores, potenciam muito a venda e ajudam a escoar o stock.

Pode depois minimizar o impacto da redução de preço combinando a entrega perto da sua casa/emprego ou propondo o pagamento a meias de eventuais portes de envio.

6. Crie os anúncios

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Quando os produtos já estiverem preparados, tem de pensar nos anúncios. Nós sugerimos a criação de um anúncio individual por produto, exceto nos casos em que vários produtos formam um conjunto. Aproveite para referir, em cada anúncio, que tem mais produtos para vender. Compradores interessados vão aproveitar para ver o resto da ofertas.

Tire fotografias de qualidade – tenha especial cuidado com a resolução, com a iluminação e com a forma como apresenta os artigos: uma imagem vale mais do que mil palavras, pelo que os anúncios agradáveis à vista recebem muito mais contactos.

Mesmo não sendo um fotógrafo profissional, pode seguir alguns conselhos:

  • Fotografar num cenário limpo e agradável, como um jardim ou um pedaço inspirador da sua sala (de preferência no ambiente em que o produto será usado – calçado no exterior, brinquedos no quarto das crianças…);
  • Apresentar os artigos de forma apelativa – por exemplo, a roupa, lavada e passada, deve ser colocada em cabides e pendurada contra um fundo neutro e contrastante, que a destaque;
  • Fotografar de todos os ângulos – o ideal é ter, no mínimo, 4 fotos: frente, ambos os lados e trás; se for relevante, inclua também alguns detalhes, como o interior das mochilas ou as máquinas em funcionamento.

Prepare uma descrição simples, direta e concisa – a incluir:

  • No título: o nome do produto (com marca e modelo, se se aplicar);
  • No texto: uma descrição o mais completa possível: estado (incluindo, por exemplo, se é entregue com a caixa, lavado, etc.), tamanho, características, funções, etc.
  • Dica extra: pode fazer uma pesquisa do produto novo e tirar ideias do texto original dos fabricantes (quanto a imagens, estas têm de ser mesmo do seu produto, para não induzir o comprador em erro).

7. Faça a gestão dos contactos e finalize a venda

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Responda rápida e educadamente a todos os interessados: comece por agradecer o contacto, responda às questões ou ofertas apresentadas e despeça-se indicando que aguarda o feedback ou combinando de imediato a entrega/pagamento do produto. Se o produto já tiver sido vendido, responda na mesma a dizer isso mesmo.

Finalize o processo e prepare a entrega do artigo: indique qual o método de pagamento pretendido e, uma vez recebido o dinheiro (recomendamos que nunca antes da entrega), entregue o artigo; faça-o com a maior rapidez possível e preveja uma embalagem adequada para assegurar que chega em boas condições.

Nota: o importante é ser o vendedor que gostaria de encontrar e entregar o produto da forma como gostaria de o receber.

8. Perceba exatamente o que ganhou

Regresso às Aulas: como vender o material que já não usa

Para ter uma noção exata do valor que conseguiu amealhar e de quanto vai conseguir poupar neste ano letivo, faça uma tabela simples e anote os produtos vendidos e os rendimentos obtidos.

Veja também: