Publicidade:

Melhores carros usados 2018, segundo o relatório Dekra

Dekra, especialista em automóveis, avaliou 15 milhões de viaturas e catalogou os melhores carros usados 2018 em cada segmento. Conheça os resultados.

Melhores carros usados 2018, segundo o relatório Dekra
Foram testados 15 milhões de viaturas usadas, ao longo de 2 anos

Os melhores carros usados 2018 são sempre assunto de interesse quando se pretende comprar um carro usado e queremos algumas linhas de orientação em matéria de fiabilidade de motores e não só. A Dekra, empresa alemã com vasta experiência em avaliar automóveis, efectuou um trabalho exaustivo ao longo de 2 anos, recolhendo informação sobre automóveis de 9 segmentos diferentes.

Com critérios de análise muito específicos para reunir e avaliar os melhores carros usados, a Dekra analisou pelo menos 1000 unidades de cada modelo em cada um dos intervalos de quilometragem abaixo indicados. Esta foi uma forma de garantir que os resultados eram homogéneos e fidedignos em cada um dos segmentos analisados e não apenas situações casuais. Ao todo, segundo dados da Dekra, foram avaliados 15 milhões de automóveis ao longo de dois anos.

Melhores carros usados 2018: idade não é (o maior) problema


mulher num carro

Uma das questões que se coloca nos carros usados é a idade do veículo. Claro que, sendo um parâmetro importante, muitas vezes não é aquele em que nos devemos concentrar, mas sim na utilização dada ao automóvel. Pelo menos, este é um dos parâmetros considerados pela Dekra no seu relatório sobre melhores carros usados 2018.

Nesta avaliação dos melhores carros usados, os responsáveis do relatório afirmam que os problemas dos automóveis usados estão relacionados, mais com a quilometragem, do que com a idade, e consideraram anomalias diretamente relacionadas com o automóvel e não por alguma intervenção do utilizador. Assim, impuseram vários intervalos de quilómetros como um dos critérios de avaliação:

  • 0 a 50.000 km;
  • 50.000 a 100.000 km;
  • 100.000 a 150.000 km;
  • 150.000 a 200.000 km.

Outra das divisões na análise da Dekra diz respeito às áreas em que se registaram as anomalias dos veículos, passando por campos como mecânica, carroçaria e sistemas eletrónicos e elétricos, tais como:

  • Motor e emissões;
  • Chassis e direção;
  • Travagem;
  • Iluminação, eletrónica e sistema elétrico;
  • Carroçaria e interior.

Alemanha 9 – 0 Resto do mundo

carros num parque

Embora as marcas japonesas sejam conhecidas como sendo das mais fiáveis do mundo, neste trabalho da Dekra, realizado a 15 milhões de viaturas, além das marcas alemãs, nenhum outro fabricante de automóveis – nipónicos ou não – conseguiu resultados suficientes para alcançar um lugar nestes 9 segmentos apresentados.

À semelhança do que foi, em tempos, o mundo do futebol, a Alemanha vem aqui ganhar em casa contra a seleção do “Resto do mundo”. E as “taças” vão para:

  • Segmento A e B – Citadinos e Utilitários: Audi A1 (1ª geração);
  • Segmento C – Pequenos Familiares/Compactos: Audi A 3 (3ª geração);
  • Segmento D – Familiares Médios: Audi A4 (4ª geração);
  • Segmento E – Grandes Famliares: Audi A6;
  • Desportivos / Cabrios – Audi TT (2ª geração);
  • SUV: Mercedes-Benz ML (3ª geração);
  • Monovolumes: Mercedes-Benz Classe B (2ª geração);
  • Comerciais Ligeiros: Volkswagen Amarok (1ª geração);
  • Furgões: Mercedes-Benz Sprinter (2ª geração).

Veja também: