Publicidade:

Remédio para afta: ponha um fim às aftas!

Normalmente a afta desaparece espontaneamente. Mas por vezes é necessário recorrer a algum remédio para afta, para ajudar a aliviar os sintomas.

Remédio para afta: ponha um fim às aftas!
20% da população sofre de aftas recorrentes em algum momento da vida

A afta é, por definição, uma lesão superficial da mucosa da boca, geralmente dolorosa, com tendência a apresentar-se recorrentemente e com cura espontânea. Todos nós já tivemos uma afta em algum momento e, apesar de não ser grave, é uma lesão dolorosa e incómoda. Vamos tentar descobrir qual o melhor remédio para afta!

O que são aftas?


A mucosa oral, que cobre toda a nossa cavidade oral, tem importantes funções de proteção. Protege contra bactérias, vírus, fungos e substâncias tóxicas, controla a troca de fluidos e nutrientes e permite saborear alimentos e bebidas. Uma afta é uma ferida na mucosa oral.

Ter uma ou mais aftas na mucosa oral é uma situação muito frequente e apesar de serem consideradas benignas podem ser muito dolorosas. Podemos classificar as aftas em diferentes categorias:

a) aftas menores: pequenas úlceras que normalmente se localizam nas zonas moles da mucosa oral; são as mais frequentes e costumam curar-se em 6-14 dias sem deixar sequelas;

b) aftas maiores: costumam aparecer isoladas, geralmente nos lábios, língua, faringe, palato e zona interna das bochechas; são menos frequentes e mais profundas que as aftas menores; podem deixar cicatriz e demorar até 6 semanas a desaparecer;

c) herpetiforme ou “agrupadas”: múltiplas lesões distribuídas por toda a boca; juntam-se com frequência e formam úlceras maiores; pouco frequentes.

sabe o que são aftas?

Causas para o aparecimento de aftas


As aftas podem dever-se à presença de estomatite aftosa, podem surgir como efeito secundário da toma de certos medicamentos ou podem dever-se à presença de outras doenças sistémicas e mais graves, como por exemplo:

  • Doença celíaca;
  • Colite ulcerosa;
  • Doença de Crohn;
  • Lúpus eritematoso;
  • Doença de Reiter;
  • Infeção pelo VIH;
  • Tumores malignos do aparelho digestivo – estômago e intestinos.

No entanto, quase sempre surgem associadas a situações de stress emocional, mordeduras acidentais, alterações hormonais, infeções, hipersensibilidade a certos alimentos ou deficiências nutricionais.

Remédio para afta: ponha um fim às aftas!


A intensidade da dor, o tempo de cicatrização e a resposta aos tratamentos para a estomatite aftosa variam de pessoa para pessoa mas, na maioria dos casos, a cicatrização ocorre em cerca de 15 dias. O objetivo do tratamento passa por minimizar os sintomas e prevenir a sua recorrência.

Encontrar remédio para afta é relativamente simples e existe uma grande variedade de opções de tratamento disponíveis. A escolha depende sempre da gravidade da lesão e deve aconselhar-se com o seu médico e farmacêutico.

Alguns dos fármacos mais eficazes e mais comumente utilizados são os anestésicos e analgésicos tópicos, os antimicrobianos e os corticoides tópicos. Uma boa solução pode também passar por tentar alcalinizar a mucosa da boca, através de leveduras ou do bochecho com bicarbonato de sódio. Quando a boca está mais alcalina a proliferação de microrganismos que podem complicar as úlceras aftosas torna-se mais difícil.

Nos casos de maior gravidade pode ser considerado um tratamento sistémico à base de corticoides injetáveis ou orais ou mesmo com fármacos imunossupressores. É importante ressalvar que todas as lesões de duração superior a 2 semanas devem ser referenciadas ao médico.

O melhor remédio para afta é uma boa higiene oral

Melhor remédio para afta é a prevenção!


É possível prevenir o aparecimento ou a frequência das aftas adotando alguns cuidados simples:

1) assegure a hidratação da mucosa oral com bons produtos;

2) evite alimentos muito ácidos, picantes ou muito quentes;

3) evite alimentos relacionados com o aparecimento das aftas orais, como morango, limão, chocolate e frutos secos;

4) adote uma dieta equilibrada de forma a evitar carências de nutrientes e vitaminas importantes;

5) utilize escovas de dentes suaves e garanta que são substituídas com frequência;

6) mantenha uma higiene oral adequada.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Além da Psicologia. é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que traga mais felicidade!