Publicidade:

Residências universitárias: custos e opções

As residências universitárias são uma opção de alojamento para estudantes do ensino superior. Das públicas às privadas, fique com informações necessárias.

Residências universitárias: custos e opções
O que é preciso saber sobre este alojamento

Para quem vai ingressar no ensino superior no próximo ano letivo, ou para quem está já a meio da licenciatura ou mestrado, viver numa das muitas residências universitárias no país, pode ser uma boa opção.

É importante perceber que existem residências universitárias publicas e privadas, direta ou indiretamente, ligadas às respetivas universidades. Segundo dados de um inquérito de 2017 do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, apenas 12% do total de estudantes universitários deslocados em Portugal têm direto a alojamento universitário pela sua instituição.

Sabe-se que existe uma intenção pelo Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior para que instituições e autarquias colaborem no sentido de reabilitar edifícios para criar mais residências, de modo a dar resposta ao crescente número de estudantes deslocados.

Residências Universitárias: públicas e privadas


universitario

As residências universitárias a nível privado estão a tornar-se num novo nicho de mercado e existem já algumas empresas dedicadas a este conceito, como a Uniplaces ou a SPRU. Os preços variam entre os 300 e os 600 euros mensais, entre estúdios individuais e espaços partilhados – dependendo da entidade incluem alguns serviços, como televisão e internet, limpeza semanal e, claro, segurança. Alguns incluem cozinha e lavandaria à parte.

Algumas, mais luxuosas do que outras, se vão espalhando em pontos estratégicos das grandes cidades universitárias portuguesas: Lisboa, Coimbra e Porto. Estes espaços são também muito procurados por estudantes de Erasmus, que preferem este tipo de residência do que procurar por apartamentos ou quartos “normais”. Existem alguns projetos de entidades que providenciam alojamento, não só para estudantes como para jovens profissionais deslocados.

Os alojamentos dirigidos pelas próprias universidades são opções mais em conta, apesar de não haver capacidade para todos os candidatos. Nestes processos de candidatura a alojamento universitário, a prioridade vai para os alunos bolseiros. Por isso, estudantes que entrem pelo primeiro ano na faculdade, só se podem candidatar depois da matrícula.

É muito importante tratar da burocracia o mais rápido possível para garantir lugar. As rendas variam de acordo com o escalão de bolsa em que o estudante está inserido, normalmente começando nos 70 euros, e pode ser geograficamente dentro dos campus universitários ou localizadas em diversos pontos da respetiva cidade. Nestes espaços, normalmente só o quarto é individual, se assim for pretendido. Todos os restantes espaços são partilhados.

Universidades portuguesas com alojamento

Para pedir alojamento junto da própria universidade, é necessário candidatar-se junto dos Serviços Sociais respetivos. Deixamos-lhe alguns links úteis, sobre prazos e processos de candidatura em algumas universidades portuguesas:

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.