Publicidade:

Retomas de bancos: uma janela de oportunidades

Já ouviu falar em retomas de bancos? Se está a pensar comprar casa, esta pode ser uma boa oportunidade de investimento para si. Conheça os prós e contras.

Retomas de bancos: uma janela de oportunidades
Conheça este nicho de negócio no mercado imobiliário

Dá-se o nome de retomas de bancos aos imóveis tomados ou penhorados por estas instituições financeiras, algo que acontece devido à falta de pagamento das prestações do crédito à habitação, por parte dos proprietários.

Apesar desta realidade ser bastante dura para quem ficou sem a casa, muitos especialistas consideram as retomas de bancos uma ótima oportunidade de investimento para quem deseja comprar casa a preços mais baixos. Perceba, então, como funciona todo este processo.

Retomas de bancos: saiba como funcionam


retomas de bancos

Como funcionam?

Após as retomas de bancos, o objetivo destas instituições é vender o mais rapidamente possível os imóveis penhorados para assim recuperarem o empréstimo feito aos proprietários e obterem alguma liquidez imediata.

É por este motivo que as condições e os preços para a obtenção destes imóveis são bastante atrativos para quem quer comprar casa, pois o valor dos mesmos torna-se inferior ao preço de mercado, podendo atingir por vezes descontos que vão até aos 40%.

As retomas de bancos tornaram-se, assim, um nicho de negócio no mercado imobiliário porque se transformam em oportunidades de investimento.

Vantagens e desvantagens das retomas de bancos

Vantagens

  • Preços muito atrativos, pois os bancos pretendem vender estes imóveis o mais rapidamente possível;
  • Spreads mais baixos;
  • Períodos de carência;
  • Isenção do pagamento de comissões;
  • Oferta do serviço de documentos habitação;
  • Benefícios no acesso ao Crédito Habitação, que pode ser mais barato e praticamente garantido (financiamento até 100% do valor da habitação);
  • Não é obrigatório aderir a outros produtos bancários;
  • Prazos de pagamento mais alargados (entre os 40 e 50 anos);
  • Dispensa de avaliação e de encargos inerentes;
  • Dispensa de realização dos registos provisórios.

Desvantagens

  • A maioria das casas oriundas das retomas de bancos estão localizadas na periferia das grandes cidades, o que pode não agradar aos clientes interessados;
  • A oferta é limitada às casas nestas condições de retomas de bancos, o que pode não agradar aos futuros proprietários;
  • Condições específicas do banco;
  • Alguns imóveis podem estar em dívida a mais do que uma instituição;
  • Alguns imóveis, apesar do preço baixo, podem precisar de algum investimento a nível de obras.

Cuidados a ter com as retomas de bancos

Podemos falar de casas para habitar, como também de terrenos, lojas e armazéns, entre outros imóveis. Em qualquer um dos casos, pode poupar consideravelmente e criar possibilidades de investimento.

No entanto, analise bem as vantagens e desvantagens caso a caso. Alguns imóveis, apesar do preço baixo, podem precisar de algum investimento a nível de obras, por exemplo, como já foi acima referido. Convém analisar bem antes de proceder à compra, para que o barato não saia caro.

Não se esqueça de verificar ainda as condições do contrato de crédito à habitação, pois algumas das vantagens de financiamento atribuídas nestas situações, como spreads mais baixos, podem ser válidas apenas para o período inicial do empréstimo.

Onde dirigir-se para comprar imóveis penhorados

Se pretende aproveitar as retomas de bancos para obter um imóvel mais barato, deve dirigir-se aos bancos ou a uma agência imobiliária.

Caso prefira usar a Internet em vez de ter que se deslocar, pesquise nos sites dos bancos ou em imobiliárias especializadas e conheça assim a oferta existente, como a Caixa Imobiliário, o Millennium BCP, o BPI Expresso Imobiliário, a REMAX e a ERA. Os leilões das Finanças também podem ser uma boa oportunidade.

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.