Publicidade:

Samsung Galaxy Fold: o futuro chegou

O futuro está mesmo aí e o novo Samsung Galaxy Fold veio provar isso mesmo. É o primeiro telemóvel dobrável da marca sul-coreana e é impressionante.

Samsung Galaxy Fold: o futuro chegou
É o primeiro telemóvel dobrável da marca

Dez anos depois de ser lançado o primeiro modelo da família Galaxy, a empresa voltou a inovar ao anunciar mais três modelos, que formam a família S10 (Samsung Galaxy S10, o S10e e o S10+). Mas não foi essa a única novidade apresentada em São Francisco, em fevereiro de 2019. A apresentação do Samsung Galaxy Fold foi o momento que realmente deixou a plateia de boca aberta.

Review Samsung Galaxy Fold: o telemóvel que dobra


Os rumores confirmaram-se e levaram a gigante tecnológica a apresentar o seu primeiro telemóvel dobrável: o Samsung Galaxy Fold. Trata-se de um smartphone que, à primeira vista, parece mais pequeno e com um ecrã de menor dimensão (em largura) do que o convencional, mas rapidamente se apercebe que há mais por descobrir.

O novo e revolucionário modelo da marca sul-coreana desdobra-se em tecnologia, dando lugar a um ecrã que, afinal, é bem maior do que parece e que pode ser aberto e fechado a qualquer altura. Digamos que, de um telemóvel, passa a ter um pequeno tablet para levar para todo o lado.

Ainda que não esteja, para já, disponível nas lojas, tudo indica que o Samsung Galaxy Fold chegará às mãos dos consumidores em meados de abril. Contudo, são já conhecidas algumas características importantes, confirmadas pela própria marca.

Características que impressionam

Como se de um livro se tratasse, o novo telemóvel da Samsung pode ser aberto e fechado a qualquer altura, consoante a tarefa que está a levar a cabo. O seu ecrã principal (quando aberto) tem 7.3” e é um QXGA+ Dynamic AMOLED Display.

A qualidade de imagem é impressionante e mantém-se quando o ecrã está também fechado, apresentando agora um HD+ Super AMOLED Display de 4.6”. Ora, de uma forma ou de outra, é facilmente percetível a mestria aqui aplicada, numa experiência de visualização, e utilização, nunca antes disponível.

Em termos de desempenho, há informações ainda por confirmar, mas tudo indica que será incluído um processador 7nm 64-bit Octa-Core. Não se sabe, ainda, se o processador Exynos (tipicamente utilizado pela Samsung) será incluído neste smartphone (numa versão mais avançada), mas tudo indica que a eficiência não ficará comprometida seja de que forma for.

O sistema operativo mantém-se o Android, na sua versão 9 Pie, a última a ser lançada – não seria de esperar nada de inferior. Estão, por isso, todas as condições reunidas para uma excelente performance, seja a assistir aos vídeos de maior qualidade, seja a jogar os jogos mais pesados.

samsung galaxy fold

Fonte da Imagem: Samsung/Divulgação

Uma das novidades que podemos já contar-lhe é que, ao contrário da maior parte dos produtos lançados pela marca sul-coreana, o Samsung Galaxy Fold não terá espaço para inserir um cartão microSD, hardware que normalmente é utilizado para expandir a memória já existente por predefinição.

No entanto, a verdade é que, muito provavelmente, não precisará desse cartão para nada, até porque terá disponíveis 512GB de memória interna para guardar as suas fotografias e vídeos, para além de ficheiros de qualquer ordem.

Outro dos números que realmente impressiona é a quantidade de memória RAM que este dispositivo inclui: nada mais nada menos do que 12GB, um valor (muito) superior à maioria dos computadores portáteis que hoje encontra no mercado.

Outra das confirmações que já podemos avançar prende-se com as características das câmaras deste “telemóvel do futuro”. Vamos por partes, até porque precisamos. Em mente, deve ter em conta três locais onde existem câmaras e que se relacionam com as formas como pode utilizar este smartphone.

Se o Samsung Galaxy Fold estiver fechado, encontrará de imediato uma câmara frontal, também designada pela marca como cover camera – esta lente tem 10MP e uma abertura de F2.2. Ao abrir o smartphone (como se de um livro se tratasse, não se esqueça), irá deparar-se com duas novas lentes: uma de 10MP (abertura de F2.2) e outra de 8MP (abertura de F1.9), com sensor de profundidade.

Como se não bastasse, pode ainda encontrar uma câmara traseira tripla (vista como a principal) com 12MP (Telephoto/abertura de F2.4)  + 12MP (Wide-angle/dupla abertura de F1.5 e F2.4) + 16MP (Ultra Wide/abertura de F2.2). Resta-nos concluir que 6 câmaras nunca são demais!

Outra grande novidade relaciona-se com a autonomia da bateria, que tem uma capacidade que, até então, nunca se viu em qualquer produto da marca. Por outras palavras, falamos de 4380mAh para usar e abusar, sem correr riscos desnecessários de ficar sem bateria a qualquer momento.

Não se sabe qual a tecnologia incluída em termos de carregamento, mas confirma-se que será semelhante à do Samsung Galaxy S10, pelo que terá o telemóvel completamente carregado mais rápido do que poderá pensar. Assim sendo, e para além de poder carregar o Samsung Galaxy Fold da forma convencional, este também é compatível com wireless charging, por isso só precisará de uma dock adequada ao efeito para carregar o smartphone sem fios.

Parece que a Samsung está a tentar entrar num mercado mais luxuoso, apostando agora num dispositivo que é mais do que um telemóvel, mas um verdadeiro gadget do futuro. Espera-se que o preço inicial deste smartphone comece nos 1,980$ (1,744€, aproximadamente), dependendo do país onde seja vendido.

 Especificações técnicas
Ecrã  AMOLED de 7.3” (resolução de 1536 x 2152 píxeis)
Processador  Qualcomm SDM855 Snapdragon 855 (7 nm)
Memória RAM  12GB
Bateria  4380mAh
Câmara Traseira (Principal)  12MP (Telephoto/abertura de F2.4)  + 12MP (Wide-angle/dupla abertura de F1.5 e F2.4) + 16MP (Ultra Wide/abertura de F2.2)
Câmara Frontal (Secundária)  Cover Camera de 10MP (abertura de F2.2)

Dual Camera de 10MP (abertura de f/2.2) + 8 MP (abertura de f/1.9)

Preço  a partir de 1,744€

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.