Publicidade:

Ugo, um robot mordomo para todas as tarefas de casa

O futuro é, cada vez mais, uma realidade presente. Ugo é um robot mordomo que desempenha as tarefas de casa e falta pouco para estar à venda.

Ugo, um robot mordomo para todas as tarefas de casa
A máquina é capaz de dobrar roupa

A abordagem a gadgets deste género não é recente, mas as funcionalidades que esses apresentam é, de dia para dia, uma novidade. O Ugo é um robot mordomo que, entre outras tarefas, é capaz de colocar uma máquina a lavar e dobrar a roupa após o fazer.

Ugo é o robot mordomo que sempre quis


Quantas vezes suspirou por ter que fazer uma tarefa de casa que, naquele(s) momento(s), não queria nada? E quantas foram as vezes em que desejou ter alguém que desempenhasse essas tarefas por si? Certamente que muitas e que esse é um desejo que tem recorrentemente.

É precisamente para ir de encontro as essas pessoas que a Mira Robotics criou o Ugo, um robot que pode ter em casa para o ajudar naquilo que precisar. Esta não é a primeira vez que assistimos à criação de um gadget do género, mas estamos perante uma ideia pioneira uma vez que pode ter o Ugo em casa.

Este robot foi anunciado no início de 2019 e não demora a ser uma realidade bem presente. Ainda que o lançamento oficial só esteja previsto para 2020, os testes mais importantes vão ser feitos durante os meses de verão que se aproximam – “em casas reais, com pessoas reais”, tal como afirma a empresa.

A utilidade do Ugo

As primeiras funcionalidades contempladas por este robot prendem-se com as “lides” domésticas, mas não vão ficar por aí. Para já, o Ugo é capaz de dobrar roupa e programar uma máquina para a lavar, tudo isto de forma totalmente remota.

Podem parecer tarefas simples, mas não para um robot. Para um humano que não tenha qualquer limitação, ainda que tenha de combater alguma preguiça, é fácil colocar roupa a lavar a dobrar a mesma a seguir – mas o mesmo não acontece para um robot.

Para que uma “máquina” dessas seja capaz de concluir tarefas tão “humana” é necessário um nível de complexidade de código e programação inimaginável para a maioria dos comuns mortais. Por esse motivo, estamos perante um robot que se pode tornar extremamente útil.

A longo prazo, o objetivo da empresa é ajudar as pessoas que, por qualquer motivo, não sejam capaz de concretizar este tipo de tarefas. De acordo com Ken Matsui, CEO da Mira Robotics, este é apenas o início, dado que a utilidade destes robots pode ser vasta.

Matsui acredita na capacidade destas “máquinas” fazer muito mais do que isso, servindo como um ajudante funcional e necessário a uma casa. Outras funções estão em vista, “como limpar divisões, preparar refeições, supervisionar a ajuda a pessoas idosas, tomar conta de animais de estimação”, entre tantas outras possibilidades.

Testes feitos com famílias numerosas

A Mira Robotics tenciona testar o Ugo em casos reais, levando-o a casas onde o aglomerado familiar seja maior. Esta estratégia da empresa prende-se com o facto de querer apresentar o robot como uma verdadeira ajuda na vida de uma pessoa.

Para Matsui, esta escolha foi óbvia, já que falamos de famílias que simplesmente não têm tempo de levar a cabo as tarefas domésticas mais simples. Com estes testes, previstos para o verão de 2019, a empresa espera conseguir comprovar a utilidade do Ugo – tanto para proveito próprio como para as próprias famílias que o acolherem.

robot dobra roupa

Fonte da Imagem: Mira Robotics/Divulgação

Ainda que não esteja na finalizado, a empresa está a trabalhar numa forma de as pessoas poderem controlar o Ugo “de perto”. Esses controladores já estão a ser desenvolvidos de maneira a poderem ser utilizados num computador ou dispositivo móvel.

À partida, este robot mordomo vai poder ser controlado a partir de uma app especificamente desenvolvida para o efeito. Assim, a concretização de tarefas será facilitada e qualquer eventualidade poderá ser mais rapidamente solucionada.

Preços (ainda) acima da média

A Mira Robotics prevê uma mensalidade para ter o Ugo em casa. Ainda que os preços não estejam finalizados, a empresa aponta para o pagamento de 225$ mensais (aproximadamente 200,27€/mês). Ainda assim, existe a noção de que este pode ser um valor demasiado elevado para a maior parte das famílias.

No entanto, o CEO da empresa explica que, enquanto o custo de produção de um robot destes for tão elevado, há pouco a fazer em termos de redução do preço de venda. Por exemplo, os valores associados à construção de robots dedicados (e especializados em detonação de bombas, por exemplo) pode custar à volta de 5000$ (aproximadamente 4.450,35€).

À medida que esta realidade for, cada vez mais, uma prática desenvolvida por outras empresas, a concorrência irá aumentar e fazer com que, gradualmente, o valor de compra destes robots baixe e, assim, se torne mais acessível para qualquer pessoa – sobretudo para aquelas que têm maior necessidade de ter uma ajuda por perto.

Para já, é preciso que o Ugo seja bem sucedido nos “testes reais” para que comece a ser comercializado em 2020.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.