Publicidade:

10 dicas para uma boa saúde financeira pessoal

Gerir bem o seu dinheiro é essencial para uma boa saúde financeira pessoal. Já a avaliou? O que pode melhorar? Faça um diagnóstico seguindo as nossas dicas.

10 dicas para uma boa saúde financeira pessoal
Organização, planeamento e poupança são essenciais

Controlar as finanças pessoais é essencial para uma vida tranquila. Gerir um orçamento faz parte da rotina, mas manter uma boa saúde financeira pessoal é mais do que pagar faturas e ver dinheiro a entrar e a sair. Ter uma noção real de como estão as suas contas requer avaliar diversas variantes e exige trabalho e organização.

Para garantir uma boa saúde financeira pessoal tem de começar por traçar um diagnóstico da mesma. Só assim irá perceber se está a gerir bem o seu dinheiro. Depois dessa avaliação deve mapear as suas despesas e rendimentos, planeando como vai gastar o dinheiro de forma criteriosa. Nesta equação é obrigatório incluir metas de poupança.

Resumimos o que pode fazer para controlar as suas finanças, evitar stress e aproveitar melhor o seu dinheiro.

Avalie a sua saúde financeira pessoal

saude-financeira-pessoal

O primeiro passo para garantir uma boa saúde financeira pessoal é traçar um diagnóstico. Faça um levantamento dos seus rendimentos e também das suas despesas. Estipule um orçamento mensal e verifique, a cada mês, se foi cumprido. Ou seja, avalie os gastos reais e compare mensalmente. Só assim terá uma noção exata para onde vai o dinheiro e poderá tomar decisões acertadas.

Para fazer o diagnóstico vai precisar de criar um mapa financeiro. Crie uma grelha no computador, anote num papel ou use uma app para o efeito mas certifique-se que inclui a seguinte informação:

  • Receita líquida do agregado, ou seja, todo o dinheiro que efetivamente recebe;
  • Dinheiro disponível na conta corrente;
  • Ativos tais como bens que possam ser vendidos e passivos, nomeadamente dívidas;
  • Despesas fixas como alimentação, carro, prestação da casa ou renda, luz, água, internet, despesas escolares, etc.;
  • Quantia extra de margem para despesas ocasionais como um arranjo no carro, compra de roupa ou lazer;
  • Despesas com cartão de crédito e prazos de pagamento.

Subtraia o dinheiro que sai ao valor dos rendimentos e o saldo será uma perspetiva real da sua situação financeira. Não se esqueça de atualizar os dados todos os meses para identificar gastos supérfluos e fazer mudanças se necessário.

Dicas para boa gestão financeira

Agora que organizou os números e traçou o diagnóstico da sua saúde financeira pessoal já consegue saber em que pode poupar ou até estudar formas de rentabilizar o dinheiro que sobra. Tome nota destas 10 dicas práticas:

1. Compre apenas o necessário

saude-financeira-pessoal

A nova coleção da sua loja preferida é tão gira que só apetece comprar tudo? Tente resistir aos impulsos consumistas e não seja refém da moda. O seu guarda-vestidos se calhar já está bem composto. De igual modo não vá ao supermercado com fome. Faça uma lista de compras em casa e siga à risca.

2. Compare os preços

saude-financeira-pessoal

Entre em várias lojas ou perca algum tempo a olhar para os panfletos dos supermercados para comparar os preços dos produtos e optar pelo mais barato. Aproveite as promoções para poupar nas compras do dia-a-dia.

3. Pague a pronto

saude-financeira-pessoal

Se tiver que fazer uma compra grande tente juntar o máximo do valor possível e pague a pronto. É um descanso! Os pagamentos a prestações regra geral acrescem juros que vão pesar no orçamento.

4. Use o cartão de crédito quando for benéfico

saude-financeira-pessoal

Os cartões de crédito permitem-lhe pagamentos faseados, o que pode ser uma ajuda para gerir o seu orçamento, desde que consiga manter o rasto das despesas. Aproveite benefícios como milhas que pode usar para a viagem das férias, ou descontos para cinema, concertos e outros eventos.

5. Pague o cartão de crédito a 100%

saude-financeira-pessoal

Se usar o cartão de crédito opte por pagar a fatura a 100% no mês seguinte. Isso vai ajudá-lo a controlar melhor os seus gastos e o dinheiro que sai sem ter surpresas desagradáveis.

6. Não gaste mais do que o que tem

saude-financeira-pessoal

Viva um padrão de vida que possa pagar. Viver acima das suas possibilidades vai trazer-lhe dissabores mais cedo ou mais tarde. Se não pode manter um carro topo de gama compre um de classe média.

7. Estipule metas

saude-financeira-pessoal

Quer mudar a decoração da casa ou fazer uma viagem de sonho? Estabeleça esses desejos como metas e faça poupanças para as concretizar. Ter um objetivo em mente vai ajudá-lo a manter o foco e motivá-lo a poupar.

8. Seja realista nos seus objetivos

saude-financeira-pessoal

Ao estipular as suas metas seja realista. Não conte com o possível aumento de salário ou aquele juro que espera que o investimento em ações renda. Planeie de acordo com o que os números lhe indicam e siga plano. Não se esqueça que há sempre imprevistos!

9. Estime o seu potencial de poupança

saude-financeira-pessoal

Olhe para o seu diagnóstico e perceba quanto põe de lado todos os meses. Se não poupa controle os gastos e comece a fazê-lo o quanto antes. Estabeleça metas de poupança no início de cada mês, nem que seja 20€. Se ajudar coloque um mealheiro à vista para o lembrar do compromisso!

10. Ponha o dinheiro a render

saude-financeira-pessoal

Se tem um dinheiro de sobra procure soluções de investimento que o façam render. Informe-se junto do seu banco das soluções com maior rentabilidade e sem risco, ou pondere investir em património imobiliário.

Veja também:

Alexandra Nunes Alexandra Nunes

Alexandra Nunes é jornalista com experiência em imprensa e rádio. Depois de quase uma década a trabalhar na Rádio TSF partiu rumo ao Médio Oriente. A sede de conhecer novos mundos levou-a até ao Dubai, onde vive atualmente. Por lá, tem-se dedicado a explorar novas áreas da Comunicação e escreveu a biografia “Uma Mulher no Topo do Mundo” sobre a primeira portuguesa a chegar ao topo do Monte Evereste. É apaixonada por viagens, pessoas e as suas estórias.