Publicidade:

9 segredos que as hospedeiras de bordo não contam

Sempre a viajar e de aparência impecável, parecem estar sempre felizes... Mas, há segredos que as hospedeiras de bordo não contam.

9 segredos que as hospedeiras de bordo não contam
Uniformes sempre impecáveis

Há algumas décadas uma das profissões mais desejadas pelo sexo feminino era a de hospedeira de bordo. Hoje em dia, as tripulações aéreas são bem mais “mistas”, quer no grupo dos comissários, quer no dos pilotos. Mas é ainda uma profissão glamorosa? Fique a conhecer 9 segredos que as hospedeiras de bordo não contam.

O seu estilo e aspeto sempre impecáveis, a inesgotável paciência, o facto de estarem sempre a viajar e até terem a possibilidade de passar alguns dias nos destinos, sempre criaram um certo fascínio à volta da profissão. Mas, será que é assim?

9 segredos que as hospedeiras de bordo não contam


1. Quando voar, não beba

Até pelo menos 12 horas antes da descolagem, nenhum membro da tripulação pode tomar bebidas alcoólicas. Podem ser submetidos a testes aleatórios de despistagem de álcool e drogas antes dos voos.

hospedeira

2. Rígidos padrões de beleza

As hospedeiras (e comissários) de bordo estão sujeitos a uma grande exigência no que toca à apresentação física. As regras são mais apertadas para as mulheres, que, de acordo com algumas regras que podem ser consideradas retrógradas, são proibidas de ganhar peso enquanto estiverem sob contrato. E essa questão é controlada. Os uniformes têm de estar impecáveis, com saia acima do joelho, lábios pintados de tons vermelhos e unhas sempre encarnadas ou rosa. Outras regras variam de acordo com a transportadora.

3. Nascimentos a bordo

Normalmente, a tripulação tem treino específico para fazer partos no avião, caso aconteça alguma coisa durante a viagem. Isto claro, além de outros conhecimentos de suporte básico de vida e socorrismo, assim como treino de sobrevivência.

4. Simpatias seletivas

Um dos segredos que as hospedeiras de bordo não contam de alguma maneira, mas é um facto, é que os passageiros atraentes e/ou simpáticos podem receber um tratamento especial. Mesmo que as intenções de cada um possam não ser compatíveis com a ética da profissão, ser simpático nunca magoou ninguém.

5. Testes do dia

O membro mais sénior da cabine pode decidir testar os membros mais novos da equipa. São feitas perguntas sobre procedimentos de segurança, o que fazer em caso de emergência médica, regras da empresa, etc. Falhar estes testes pode significar não voar.

voar

6. Segredos de diversão

Quem melhor que as hospedeiras e comissários de bordo para conhecer os locais para onde voam tantas vezes? Podem dar-lhe dicas para aproveitar os melhores locais de diversão noturna, restaurantes, bares, etc.

7. Backgrounds diferentes

Até as hospedeiras de bordo mais antigas ou aquelas que sempre o desejaram ser, vêm de áreas completamente distintas. É normal que tenham formações bem distintas, de todas as áreas.

8. Bebidas complicadas

Se entra no avião a pensar pedir uma bebida gaseificada fresca de imediato, vai ter de esperar. As bebidas com gás demoram algum tempo a estabilizar em altitude, por isso, só lha vão poder servir quando isso acontecer.

9. Mandar desligar os telemóveis

As hospedeiras não esperam que todos os passageiros desliguem os telemóveis, nem o facto de os aparelhos ficarem ligados vai provocar problemas no aparelho. Mas são instruções preventivas, devido às frequências dos dispositivos, por isso, pense em dar uma ajuda aos profissionais para que a viagem corra bem.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.