Publicidade:

TAEG: o que significa e como calcular

É uma sigla famosa no mundo dos créditos bancários, por isso vamos focar-nos nela: o que é a TAEG, o que significa e que impacto tem no seu empréstimo.

TAEG: o que significa e como calcular
Conheça bem as siglas dos bancos

Quem lida com créditos conhece bem esta sigla, mas quem só agora começou a lidar com bancos pode ter dificuldade em perceber a TAEG. O que significa? Para que serve? Que impacto tem nas contas que vai pagar?

Vamos debruçar-nos sobre este “palavrão” e deixá-lo bem claro. Se já está desconfiado porque não gosta de contas, relaxe: vai acabar este artigo com à vontade suficiente para ser mais forte nas negociações na próxima reunião com o gestor de conta.

TAEG: o que significa?


TAEG: o que significa

Vamos começar pelo mais básico: TAEG é a sigla de Taxa Anual de Encargos Efetiva e diz respeito, de forma geral, à percentagem que vai pagar ao banco para obter um crédito (não se preocupe, já vamos explicar melhor mais à frente).

É importante não confundir com a TAN – Taxa Anual Nominal -, que não contabiliza a mesma coisa e não tem o mesmo significado. Se lhe disserem que é a mesma coisa, não se deixe enganar e exija transparência no negócio.

Para que serve a TAEG?

É o segundo ponto da lição sobre a TAEG: o que significa, para que serve e como se calcula. A TAEG serve para o cliente perceber, de forma evidente, o custo de um crédito.

Ao encontrar a TAEG na Ficha de Informação Normalizada (é obrigatório por lei que lá esteja, por isso procure-a), o cliente pode comparar diferentes propostas e ver, sem dificuldade, qual é mais vantajosa.

Como calcular a TAEG?

TAEG: o que significa

Chegamos ao ponto 3 da lição da TAEG: o que significa, para que serve e como se calcula. Agora agarre-se bem à cadeira e não perca o foco, porque vamos entrar na explicação avançada.

Para calcular a TAEG vamos somar:

  • Os juros que vai pagar pelo crédito;
  • O total das comissões de processamento;
  • O total dos custos de manutenção de conta (quando esta é obrigatória);
  • Os impostos relativos ao crédito e às operações deste;
  • Os seguros exigidos pelo banco;
  • Os emolumentos;
  • A remuneração do intermediário de crédito;
  • Todos os outros encargos associados ao contrato de crédito.

Para chegar à TAEG, tem de pegar na soma destes valores e transformá-la numa percentagem do valor que pediu emprestado. Vamos a um exemplo prático:

  • Valor emprestado: 100.000€;
  • Prazo: 10 anos (120 meses);
  • Taxa de juro: 2%;
  • Comissões de processamento: 0,50€ / mês;
  • Manutenção da conta: 5€ / mês;
  • Seguro: 12€ / mês.

No final dos dez anos, terá pago ao banco:

  • 2000€ de juros;
  • 60€ de comissões de processamento;
  • 600€ de manutenção de conta;
  • 1.440€ de seguros.

Agora basta uma regra de três simples para ver que este total (4.100€) representa 4,1% dos 100.000 euros que pediu ao banco, ou seja, a sua TAEG é de 4,1%.

Agora que sabe tudo sobre a TAEG: o que significa, para que serve e como se calcula, destaque-a em todas as propostas que receber e compare. Vai ver que, no fim das contas, nem sempre um spread mais baixo lhe sai tão mais barato como os bancos prometem!

Se ainda não estiver confiante…

Se, apesar de já conhecer a TAEG e o que significa, ainda não se sentir muito confortável com a comparação das percentagens, tem outro truque na manga: o MTIC.

Esta sigla é o Montante Total Imputado ao Cliente e é, basicamente, a TAEG expressa em euros e somada ao valor emprestado. Recorrendo ao exemplo acima, o MTIC deste empréstimo seria de 104.100€. Muito mais fácil de comparar agora, não é?

Veja também: