Publicidade:

Tensões baixas: causas, sintomas e soluções

Muitas vezes desvalorizadas, as tensões baixas podem ser sinónimo de problemas de saúde mais graves. Fique agora a conhecer o tema de A a Z.

Tensões baixas: causas, sintomas e soluções
Saiba como identificar este problema

Se há assunto relacionado com a saúde que parece estar muitas vezes no centro das conversas é a questão da tensão alta. Contudo, o que pode não saber é que existem também pessoas que sofrem com o problema inverso: tensões baixas. E se por um lado há quem já tenha naturalmente uma tensão com valores baixos e, portanto, sem motivos para alarme, por outro há quem se depare com este cenário de forma inesperada – o que pode ser sinónimo de problemas mais graves.

A realidade é que a pressão arterial de qualquer pessoa varia ao longo do dia e depende das atividades que a pessoa está a realizar. Quando está a dormir, por exemplo, a sua tensão baixa naturalmente, aumentando depois quando desperta e se levanta para começar mais um dia.

Ora, isto significa que, muitas vezes, nem sequer registará sintomas. No entanto, em alguns casos existem sinais de alerta que deve saber identificar para evitar consequências. Está na hora de ficar a conhecer as causas e os possíveis sintomas das tensões baixas, bem como as soluções que tem ao seu alcance.

Saiba tudo sobre tensões baixas


saiba tudo sobre tensões baixas

Queixa-se de uma tontura ou de uma indisposição e alguém comenta que deve ter a tensão baixa. De certeza que este é um cenário familiar para muitas pessoas, dado o facto de ser tão comum. É precisamente por causa deste tipo de episódios que medir a tensão de forma regular é algo importante, de modo não só a evitar problemas maiores como a controlar os seus valores habituais.

Por tensão baixa, também chamada hipotensão, entende-se o fenómeno em que a pressão arterial de um indivíduo está mais baixa do que aquele que é considerado o valor normal. De forma geral, este cenário não é problemático e não levanta motivos para preocupação. Contudo, é preciso estar atento, uma vez que a pressão pode baixar rapidamente e forma repentina, originando sinais mais alarmantes.

Embora a pressão arterial varie de pessoa para pessoa e, até, ao longo do dia, assume-se que leituras da pressão arterial sistólica inferior a 90 mm Hg ou da pressão arterial diastólica inferior a 60 mm Hg são consideradas tensões baixas. Posto isto, é importante saber que, habitualmente, os especialistas consideram que os valores ideais são 115/75.

A pressão sistólica nada mais é do que a quantidade de pressão gerada pelo coração enquanto bombeia sangue através das artérias para o resto do corpo. Já a pressão diastólica é a quantidade de pressão existente nas artérias quando o coração está em repouso entre batidas. Importa referir que, aquando da medição, a pressão arterial sistólica é o valor que se encontra no topo do ecrã e, por oposição, a pressão arterial diastólica encontra-se na zona inferior do visor.

Saiba mais sobre as tensões altas >>

Causas

Infelizmente, as causas da hipotensão são muito variadas, o que, por vezes, poderá dificultar a perceção da gravidade (ou falta dela) da situação. Fique então a conhecer os motivos que podem desencadear episódios de tensões baixas:

  • Níveis de stress elevados;
  • Má condição física;
  • Desidratação;
  • Efeitos secundários de determinados medicamentos;
  • Alimentação descuidada e falta de nutrientes;
  • Problemas cardíacos;
  • Temperaturas altas;
  • Fadiga;
  • Infeções graves;
  • Perdas de sangue;
  • Problemas endócrinos;
  • Gravidez;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

Isto significa que a prevenção do problema está, em muitos casos, ao seu alcance. É importante que se esforce por ter uma vida o mais saudável possível, praticando exercício, descansando e apostando numa alimentação saudável.

Sintomas

Agora que já sabe quais as causas das tensões baixas, está na altura de ficar a conhecer os sintomas a que deve estar a tento para identificar o problema. Apesar de não se tratar de algo grave, é importante que se aconselhe junto do seu médico e faça exames de rotina para despistar qualquer dúvida. Ora, tome nota:

  • Problemas de visão (especialmente quando repentinos);
  • Cansaço;
  • Tonturas;
  • Sonolência anormal;
  • Problemas de concentração;
  • Maior sensibilidade às temperaturas;
  • Vertigens;
  • Enjoos e vómitos;
  • Desmaios.

Soluções

As soluções para as tensões baixam passam muito pela prevenção, o que significa que este é um trabalho que deve ser feito no seu dia-a-dia. Com bons hábitos poderá livrar-se desta preocupação e estar melhor preparado para a eventualidade de, em algum momento, ter de a enfrentar.

No que se refere às ações preventivas, a mais importante é, claro, garantir que consome entre 1 a 2 litros de água por dia, de modo a manter o corpo hidratado. Deve também evitar lugares demasiado quentes e roupas apertadas, bem como as refeições demasiado pesadas – o ideal serão refeições leves de 3 em 3 horas. Não se esqueça também de adicionar o exercício físico à sua rotina.

No caso de um episódio de baixa tensão, e para evitar desmaios, deverá deitar-se ou sentar-se com as pernas ligeiramente elevadas. Quando voltar à normalidade deverá descansar e consultar o seu médico.

Veja também:

Inês Pereira Inês Pereira

Licenciada em Jornalismo e Pós-Graduada em Branding e Content Marketing, sempre se deu bem com a escrita. Embora prefira escrever com um teclado, não acredita nessa ideia de ler um livro através de um ecrã: um livro lê-se em papel e tem um marcador. Gosta de fotografia, de história e de conhecer o mundo.