Pode ou não ter animais em apartamento? Saiba o que diz a lei

Ter animais em apartamento é permitido, mas exige o cumprimento de algumas regras e deveres. Descubra quais já de seguida!

“sponsored by fidelidade”
Pode ou não ter animais em apartamento? Saiba o que diz a lei
Não são permitidos mais de 4 animais por habitação

No geral, todos gostamos de ter animais em apartamento. Porém, há que ponderar acerca das condições do espaço e, antes de mais, tomar conhecimento de toda a legislação relacionada com esta matéria. Se, por um lado, ninguém se pode opôr a ter animais em apartamento, por outro lado, há regras e normas apertadas que devem ser cumpridas, para que não vá contra a lei e, sobretudo, não seja posto em causa o bem-estar dos animais.

Ter animais em apartamento: fique a conhecer todas as regras


Até há bem pouco tempo era muito comum encontrar senhorios ou mesmo condomínios que proibiam a existência de animais de estimação no interior dos apartamentos. Acontece que o novo estatuto jurídico dos animais e outras alterações que surgiram na forma de olhar e tratar os animais de companhia fizeram como que esse género de restrições, especificações ou preferências perdessem todo o sentido e legitimidade.

Porém, algumas regras mantêm-se, nomeadamente no que diz respeito ao número máximo de animais permitido em cada habitação, o que no caso de um apartamento não deve exceder os três cães ou quatro gatos adultos e, em nenhuma circunstância ultrapassar os quatro animais de estimação. Em todo caso, também aqui pode haver exceções, se houver um pedido expresso do proprietário e um parecer favorável do médico veterinário municipal e do delegado de saúde. Nestas situações, pode ser autorizado o alojamento de um máximo de seis animais adultos.

No fundo, o pretendido é a salvaguarda das regras básicas de higiene, sossego e boa vizinhança. Por essa razão, nunca é de mais recordar a alínea r) do artigo 3º do decreto-lei n.º 9/2007 que diz, precisamente, “«Ruído de vizinhança» o ruído associado ao uso habitacional e às actividades que lhe são inerentes, produzido directamente por alguém ou por intermédio de outrem, por coisa à sua guarda ou animal colocado sob a sua responsabilidade, que, pela sua duração, repetição ou intensidade, seja susceptível de afectar a saúde pública ou a tranquilidade da vizinhança;”. Isto é, se o seu animal de companhia provoca um barulho constante e repetido que perturba os vizinhos, pode bem vir a ter problemas e, em alguns casos, pode fazer sentido equacionar a possibilidade do seu cão, por exemplo, frequentar aulas de treino de comportamento.

E, já que falamos em vizinhos, há que frisar que, para já, a assembleia de condóminos pode proibir a circulação de animais nas suas áreas comuns sim, mas nunca dentro dos apartamentos. Portanto, a escolha de ter animais de estimação deve ser exclusivamente sua, sem ter de ponderar acerca da opinião do senhorio ou do condomínio.

Frações autónomas em propriedade horizontal e prédios rústicos ou mistos

No caso das frações autónomas em regime de propriedade horizontal, o regulamento do condomínio pode estabelecer um limite de animais inferior ao anteriormente indicado. Já nos prédios rústicos ou mistos podem ser alojados até seis animais adultos, podendo tal número até ser excedido se a dimensão do terreno o permitir e as condições de alojamento obedecerem aos requisitos estabelecidos.

Não cumprimento

Se os limites e condições de alojamento dos animais não forem respeitados pelos seus donos, as câmaras municipais, após vistoria conjunta do delegado de saúde e do médico veterinário municipal, devem notificar o detentor dos animais acerca da retirada dos mesmos para o canil ou gatil municipal no prazo estabelecido por aquelas entidades. Isto, caso o dono dos animais não sugira outro destino que reúna as condições estabelecidas na lei, como a casa de um familiar, por exemplo.

Se se levantarem obstáculos ou impedimentos à remoção dos animais por parte do seu detentor, o presidente da câmara municipal pode mesmo solicitar a emissão de um mandado judicial que lhe permita aceder ao local onde estes se encontrem e proceder à sua remoção.

Para mais informações e esclarecimentos, visite a Liga Portuguesa dos Direitos do Animal.

animais

Novo estatuto jurídico dos animais

Já aqui falámos do novo estatuto jurídico dos animais. Com efeito, desde 1 de maio deste ano foi ganha uma grande batalha por todos aqueles que gostam de animais. Assim, os nossos amigos de quatro patas, assim como todos os outros animais de companhia, deixaram de ser considerados “coisas” e sim seres vivos, dotados de sensibilidade e merecedores de proteção legal.

Os donos, por sua vez, mais do que “proprietários”, são responsáveis pelo bem-estar dos seus animais, o que não permite que lhes provoquem, deliberadamente, dor ou exerçam sobre eles qualquer tipo de maus-tratos resultantes em sofrimento, abandono ou morte. Os donos devem ainda respeitar as caraterísticas de cada espécie e zelar pelo seu bem-estar garantindo, nomeadamente, o acesso a água, comida, vacinas, cuidados veterinários e formas de identificação.

No caso de cães de raças potencialmente perigosas, como rottweiller ou pit bull terrier, os donos destes animais devem contratar um seguro de responsabilidade civil, com um capital mínimo de 50 mil euros. É importante salientar que os donos podem ser responsabilizados criminalmente pelos danos provocados a terceiros por parte dos seus animais.

Na hora de ir passear o animal na via pública, tanto cães como gatos devem circular com coleira, indicação do nome do animal e morada ou telefone do dono. Caso os cães não sejam transportados com trela, devem ser colocados açaimes e estar acompanhados pelo respetivo dono.

Todos os incumprimentos destas regras podem e devem ser denunciados, estando previstas penas por maus-tratos a ser imputadas aos seus praticantes. Para mais informações, consulte o decreto-lei nº 8/2017.

Se achava que ter animais em apartamento era impossível, pois ia contra a lei ou o seu senhorio não o permitia, já ficou a saber que não é bem isso que dizem os regulamentos e, no geral, desde que sejam cumpridas algumas normas, é perfeitamente possível ter animais em apartamento. Se este é um verdadeiro desejo seu, então não adie mais e, agora, que já conhece os seus direitos e deveres, cumpra o sonho de ter um ou mais animais de companhia para encher de amor e verá como o retorno desse amor não se fará esperar.

Veja também: