Torção gástrica: o que é, sintomas e tratamento

Os donos de cães sabem que há doenças que podem ser uma verdadeira dor de cabeça. A torção gástrica é uma delas e está na altura de a conhecer.

“sponsored by fidelidade”
Torção gástrica: o que é, sintomas e tratamento
Saiba como prevenir este problema

Já não é novidade para ninguém que cães e comida são quase como o casamento perfeito. Afinal, os canídeos são conhecidos pelo seu apetite voraz e gulodice, que os torna atentos a todas as hipóteses de comer um biscoito, mais uns pedacinhos de ração ou, com sorte, um pedaço de carne oferecido pelos donos. Ora, o verdadeiro transtorno surge quando a comida se torna um problema, como acontece nos casos de torção gástrica.

Não é por acaso que os alertas feitos em relação à comida do seu amigo de 4 patas são constantes. A verdade é que uma alimentação incorreta pode ter efeitos extremamente nocivos, pelo que deve estar atento aos conselhos do veterinário.

Ter um animal de estimação implica estar informado e consciente dos problemas de saúde que poderão afetar o seu fiel companheiro. Esta regra torna-se ainda mais crucial quando falamos de raças específicas de cães, que, geralmente, podem ser mais propensas a desenvolver determinadas maleitas. É por isso muito importante que conheça bem os comportamentos do seu cão para estar alerta em caso de qualquer alteração repentina.

Conheça a torção gástrica de A a Z


Mais comum em raças de grande porte, como o Pastor Alemão, o São Bernardo e o Dobermann, a torção gástrica mas pode, em casos mais raros, atingir cães de pequenas dimensões. Normalmente é uma condição despoletada entre 2 a 3 horas após a ingestão de alimentos e pode afetar animais dos 2 meses aos 15 anos. Importa, no entanto, referir que não existe uma predisposição no que se refere ao sexo.

Contrariamente ao que possa pensar, não se trata de um problema que possa ser desvalorizado. A realidade é que falamos de uma doença fatal em 50% dos casos, sendo que o cão poderá morrer em entre 6 a 12 horas se não for tratado. Isto significa que, em caso de dúvida, o cão deve ser imediatamente levado ao veterinário e socorrido.

Conheça as principais doenças dos cães >>

Também conhecida como dilatação-volvo gástrico, a torção gástrica é uma patologia em que o estômago fica dilatado e, consequentemente, torcido sob o seu eixo, o que resulta na acumulação de gases, alimentos ou líquidos. Acontece que após esta torção, a drenagem estomacal fica bloqueada, o que impede a saída dos alimentos que se encontram dentro do estômago.

Resultado? Ocorre um processo de aprisionamento e fermentação do conteúdo estomacal, o que, logicamente, traz graves problemas ao animal. O orgão não só deixa de funcionar corretamente como acaba por aumentar de volume. Eventualmente, poderá mesmo ocorrer um processo de necrose (morte de tecidos) por estrangulamento do estômago e de orgãos vizinhos.

Infelizmente, ainda não foi possível perceber de forma concreta aquilo que está na origem deste problema, sendo apenas possível listar as causas mais comuns. É importante que as conheça de cor de modo a atuar preventivamente e, em caso de necessidade, saber identificar qualquer comportamento inadequado:

  • histórico familiar de torção gástrica;
  • níveis elevados de stress;
  • excitação excessiva;
  • má digestão dos alimentos;
  • ingestão exagerada e rápida de comida;
  • ingestão exagerada e rápida de líquidos;
  • prática de exercício físico após a refeição;
  • acumulação de ar no estômago;
  • dieta incorreta;
  • má nutrição no pós-parto nas cadelas.

Veja aqui mais sinais de que o cão está doente >>

Sintomas

conheça os sintomas da torção gástrica

Tratando-se de uma patologia de extrema urgência, é crucial que saiba identificar os sinais associados à torção gástrica de modo a atuar o mais rapidamente possível. Se o seu fiel companheiro de 4 patas apresentar alguns destes sintomas deve apressar-se e levá-lo imediatamente ao veterinário:

  • Abdómen dilatado;
  • Dificuldades respiratórias;
  • Produção excessiva e anormal de saliva;
  • Vómitos – o animal tenta vomitar mas não consegue devido à obstrução;
  • Ansiedade;
  • Fraqueza;
  • Falta de apetite;
  • Depressão;
  • Inquietação;
  • Sensibilidade na zona abdominal;
  • Alteração de cor das gengivas;
  • Aumento da frequência cardíaca.

Para além dos sintomas acima referidos, que são os mais comuns em episódios de torção gástrica, o animal pode ainda entrar em choque. O gás acumulado no estômago comprime as veias abdominais pelo que o sangue não é corretamente transportado até ao coração. Os tecidos ficam assim privados de sangue e, em consequência, há uma diminuição no aporte de oxigénio, o que resulta no choque do cão.

Tratamento

A assistência por parte de um especialista deve ser célere, pelo que é uma situação de máxima urgência. Deve, em primeiro lugar, ser muito cuidadoso ao tocar no animal e evitar ao máximo que ele faça movimentos bruscos durante o transporte.

O tratamento passa depois por uma cirurgia com o intuito de aliviar a pressão no estômago e colocar o orgão na posição correta. Claro está que este procedimento aliviará também qualquer tensão provocada nos orgãos circundantes. Depois, o animal terá de ficar internado durante uns dias, tomar antibióticos e beber muitos fluídos, de modo a garantir que não existem sequelas.

Importa ainda referir que, durante a intervenção, o médico avalia também a necessidade de retirar uma parte do estômago, em caso de necrose.

Veja também: