Publicidade:

Transtorno de stress agudo: causas, sintomas e tratamento

Pessoas que sofrem de transtorno de stress agudo foram expostas a um evento traumático e sentem uma enorme ansiedade. Conheça os sintomas e os tratamentos.

Transtorno de stress agudo: causas, sintomas e tratamento
Ocorre logo após um evento extremamente traumático

O transtorno de stress agudo, ou perturbação aguda de stress, supõe que a pessoa tenha sido exposta a um acontecimento traumático, ou seja, tenha vivenciado um acontecimento que desencadeou uma resposta de medo intenso na pessoa que o experimentou.

Compreender o transtorno de stress agudo


O transtorno de stress agudo surge após a exposição a ameaça de morte, morte real, ferimento grave ou violação sexual. A exposição ao acontecimento traumático pode acontecer de várias formas: exposição direta ao trauma; testemunhar acontecimentos que ocorreram a outras pessoas; tomar conhecimento do trauma ocorrido a amigos ou familiares próximos; exposição repetida ou extrema a pormenores aversivos do trauma.

Neste transtorno, tipicamente, os sintomas têm início após o trauma, mas a persistência por pelo menos 3 dias até um mês é necessária para preencher os critérios de diagnóstico. Causa mal-estar significativo e interfere na vida diária da pessoa.

transtorno de stress agudo

Principais sintomas do transtorno de stress agudo


1) Lembranças intrusivas, involuntárias e recorrentes dos acontecimentos traumáticos que geram mal-estar;

2) Sonhos recorrentes que geram mal-estar, nos quais o conteúdo e as emoções do sonho estão relacionados com os acontecimentos traumáticos;

3) Reações dissociativas (flashbacks) nas quais a pessoa sente ou atua como se os acontecimentos traumáticos estivessem a ocorrer novamente;

4) Mal-estar psicológico intenso ou prolongado ou intensas reações fisiológicas face à exposição a estímulos que simbolizam ou se assemelham aos acontecimentos traumáticos;

5) Humor negativo: incapacidade persistente para sentir emoções positivas (por exemplo, felicidade ou sentimentos amorosos);

6) Sensação alterada da realidade do ambiente envolvente (por exemplo, ver-se a si mesmo de outra perspetiva ou estar desorientado);

7) Incapacidade para lembrar um aspeto importante do acontecimento traumático;

8) Esforço para evitar memórias, pensamentos ou emoções sobre os acontecimentos traumáticos;

9) Esforço para evitar lembranças, pessoas, lugares, objetos, conversas e situações que despertam memórias sobre os acontecimentos traumáticos;

10) Perturbação do sono (por exemplo, sono agitado ou dificuldade em adormecer);

11) Comportamento irritável e acessos de raiva com a mínima provocação, muitas vezes expressos através de agressões físicas e verbais;

12) Hipervigilância;

13) Dificuldades de concentração;

14) Resposta de sobressalto exagerada.

Tratamento do transtorno de stress agudo


O tratamento pode ter melhores resultados quando associa o tratamento psicológico com a farmacoterapia.

Tratamento psicológico

Psicoeducação: proporciona informação sobre os sintomas que geralmente se seguem a um acontecimento traumático e estabelece uma base para o tratamento.

a) Controlo da ansiedade: as suas técnicas (treino da respiração; exercícios de relaxamento; afirmações positivas) ajudam os pacientes a controlar os seus medos e a reduzir os níveis de ativação.

b) Reestruturação cognitiva: ensinar os pacientes a identificar e avaliar os pensamentos negativos automáticos e avaliar as suas crenças acerca do trauma, de si próprios, do mundo e do futuro, baseando-se em evidências.

c) Exposição: requer que o paciente imagine o trauma e pode também incluir a exposição gradual aos estímulos relacionados com o trauma, tais como voltar ao local onde aconteceu.

d) Prevenção de recaídas: ajudar as pessoas que estão a tentar modificar o seu comportamento a identificar, antecipar e lidar com as pressões e problemas que possam levar a uma recaída.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Além da Psicologia. é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que traga mais felicidade!