Publicidade:

Vida de 'influencer': quem são, quanto ganham e como se tornar um

Ser social media influencer está na moda e não faltam exemplos de sucesso. Saiba quanto ganham os influenciadores digitais em Portugal e como se tornar um.

Vida de 'influencer': quem são, quanto ganham e como se tornar um
Conheça, ao pormenor, esta nova profissão

O que é um social media influencer? O que faz? Como o faz? Quanto ganha? Estas são algumas das questões que continuam a suscitar muitas dúvidas quando se fala de influenciadores digitais.

O termo tem vindo a ganhar destaque (e muito), sobretudo entre as camadas mais jovens da sociedade que parecem viver ligadas online a absorver toda a informação transmitida por um ou dois nomes a quem reconhecem total credibilidade e que assumem como referência.

Ser influencer de profissão


A internet domina a sociedade atual. Não há como negar. E nesse meio, há quem assuma um papel de destaque, o de social media influencer ou digital influencer. São youtubers, instagrammers, bloggers e usam as redes sociais (social media em inglês) para “influenciar” os seus seguidores.

É este princípio que dá lugar à designação influencer ou, em português, influenciador. Através dos conteúdos que partilham, no meio digital – sobre as mais diversas matérias – conseguem despertar o interesse e inspirar o público, assim como o investimento das marcas nas suas páginas. E não faltam exemplos de sucesso, nomeadamente em Portugal.

Muitos social media influencers trabalham em televisão, moda, culinária ou desporto. Alguns já eram figuras públicas: atores, apresentadores, manequins, e não só. Outros saltaram do anonimato para os rankings de preferência à conta dos “gostos” que conquistaram no mundo virtual.

Uns e outros, são comunicadores, partilham paixões, estão atentos às ultimas novidades e tendências, e apostam tudo nos conteúdos que produzem diariamente – dicas, experiências, receitas, produtos, etc. O que partilham deve ser interessante e útil para quem os segue. Assim, vão ganhando cada vez mais visibilidade… E a vida.

Da moda às tecnologias, passando pela maternidade, os videojogos e o exercício físico, há influencers para todos os gostos, interesses ou necessidades. Do meio digital saltam para o espaço real. Marcam presença em eventos, fazem palestras e muito mais. Chegam a reunir multidões e a faturar milhões. Ser social media influencer é, já, uma ocupação a tempo inteiro, uma fonte de rendimento, uma profissão de futuro.

6 tipos de influencers


influencer

Há um sem fim de possibilidades. Entre os influencers da atualidade contam-se áreas, temas e estilos muito diferentes. Conheça os mais comuns:

1. Healthy

Aquele que se dedica a promover um estilo de vida saudável. Assume a missão de informar e consciencializar a ​​sociedade sobre a importância de uma dieta e exercício equilibrados, para uma vida saudável.

2. Stylist

Um tipo de influenciador dedicado à moda que se torna um ícone graças à sua própria personalidade e estilo, muito além das marcas de que fala ou que promove.

3. Gamer

Os videojogos reúnem um público muito característico e fiel. Estes influenciadores dedicam-se a exibir seus vídeos, mostram as novidades no mercado ou ensinam truques e técnicas para conseguir passar pelas várias fases e concluir um jogo.

4. Cozinheiro

Gostam de cozinhar, mas não são necessariamente chefs. Através de vídeos e imagens dão dicas e receitas para fazer pratos, habitualmente, simples e rápidos, sem perder muito tempo na cozinha. Pela utilidade, reúnem muitos seguidores.

5. Traveler ou viajante

O influenciador que transforma a paixão por viajar numa profissão. Enquanto conhece outros países, conta as suas experiências, deixa dicas, conselhos e sugestões. Informação muito útil para quem pretende viajar e quer saber mais sobre o destino escolhido, antes de se fazer à aventura.

6. As “supermães”

Nos últimos anos, a maternidade ganhou uma grande (enorme) visibilidade nas redes sociais. Não faltam exemplos de quem quer mostrar ao mundo o que é ser mãe, o lado bom e menos bom, a partilha de experiências e apoio, desde a gravidez até aos mais pequenos pormenores de gestão familiar e conciliação entre a maternidade e a vida profissional.

Casos de sucesso, dentro e fora de portas


A italiana Chiara Ferragni, uma das principais influencers da atualidade, iniciou um blogue de moda em 2009 e hoje tem a sua própria coleção de jóias e sapatos, para além de ter sido capa da Vogue e rosto de várias marcas. Tem 16 milhões de seguidores só no Instagram.

Outro caso é o de Dulceida (Aida Domenech) que em 2009 decidiu a criar um blogue de uma forma amadora e hoje tem a sua própria marca e evento de moda e música. Tem participado de programas de televisão e conta com 2,3 milhões de seguidores.

Em Portugal, há 15 anos, muito antes de se começar a falar de influenciadores digitais, Ana Garcia Martins lançou o blogue “A pipoca mais doce“. De acordo com a autora, a plataforma tinha o objetivo de servir para escrever tudo o que lhe viesse à cabeça. O sucesso foi tal que há cinco anos deixou a profissão de jornalista e dedicou-se a tempo inteiro ao projeto.

Segundo a blogger muita coisa mudou em 15 anos. E se no início a vertente comercial não era tão explorada, com muitas marcas a ignorarem o potencial da internet para se promoverem de forma eficaz e mais próxima do público, hoje a realidade é completamente diferente. Essa é aliás uma das razões pela qual é agora possível encarar o papel de influencer como uma profissão.

Quanto ganham os influenciadores em Portugal?


Os youtubers destacam-se entre os social media influencers como os que mais faturam, em especial os que se dirigem ao público adolescente.

Em Portugal, um dos nomes que lideram o pódio é Wuant (Paulo Borges). Atualmente, com 3,4 milhões de subscritores, o youtuber, natural de Aveiro, recebe mensalmente entre 4.700€ e 75.700€. Por ano, arrecada entre 56.800€ e 908.500 €.

SirKazzio também é um dos grandes. Com 25 anos, tem quase quatro milhões e meio de subscritores. O site de estatísticas e análises de redes sociais Social Blade estima que, só através do canal no youtube, Sirkazzio ganhe entre 4.500€ a 72.500€ por mês.

Na área de beleza e lifestyle, o destaque vai para Sofia Barbosa, com mais de 269 mil subscritores. Por mês, Sofia consegue obter uma receita que varia entre 117€ e os 2.000€. Por ano, a youtuber pode receber entre 1.400€ e 22.400€.

Também no feminino, destaca-se Mariana Cabral, autora do Bumba na Fofinha. Com quase 200 mil subscritores, por mês, consegue arrecadar entre 210€ e 3.400€. Por ano, as receitas situam-se entre 2.500€ e 40.400€.

Em suma, para atingir o estatuto de social media influencer ou influenciador digital não há receitas infalíveis, mas investir na qualidade do conteúdo e manter contacto diário com os seguidores são, alguns dos aspetos essenciais.

5 dicas para dar os primeiros passos enquanto influenciador digital


influencer

1. Definir um objetivo

Antes de começar a aventura, deve definir um objetivo concreto. Não basta publicar conteúdo, é importante ter uma estratégia a seguir. É para isso é fundamental estabelecer objetivos, definir o estilo, o público a quem quer chegar e o que quer mostrar.

Conhecer os seus pontos fortes e o que defende, sem dúvida, ajudará a a marcar a diferença. Há milhões de pessoas que sabem cantar, que jogam videojogos ou que estão atentas às últimas tendências da moda. É importante descobrir o que o diferencia delas. Lembre-se que ver sempre a mesma coisa pode ser aborrecido.

É importante ter um estilo e um tema definidos para que o público se identifique e obter, dessa forma, mais likes e mais seguidores.

2. Ser autêntico

A marca pessoal é essencial para quem pretende tornar-se influenciador. É fundamental evitar imitações que em nada abonam a favor da credibilidade e autenticidade. Ser único é o segredo.

3. Conteúdo de qualidade

Uma plataforma online e o trabalho de um influenciador depende da qualidade do conteúdo publicado. É essencial que seja claro, apelativo e útil. Dessa forma será visto, reunirá “gostos” e será partilhado.

A qualidade do conteúdo desempenha um papel decisivo. Fazer publicações com imagens de má qualidade, por exemplo, é algo que não pode acontecer. Os smartphones já permitem ótimos resultados, de imagem, video e som.

Recomenda-se que as publicações sejam acompanhadas de texto, de preferência curto, direto, com links e, acima de tudo (muito importante) sem erros ortográficos.

Recomendações válidas para todas as publicações, em qualquer formato. Usar a geolocalização pode influenciar a visibilidade. Usar o Instagram Stories, também pode ser uma boa maneira de atrair novos seguidores e manter os já existentes, contanto que sejam divertidos, originais e com um tom mais próximo.

4. Ter seguidores de “qualidade”

Seguidores de qualidade são muito mais do que um número, são aqueles que interagem, gostam comentam e partilham os conteúdos.

Os chamados haters também podem ser benéficos, na medida em que falam sobre os assuntos publicados. Porém, esta é uma “comunidade” que só ganha verdadeira relevância no caso de influencers já com grande visibilidade.

5. Uso de hashtags e marcações

Usar hashtags, desde que seja feito com moderação, é uma boa maneira de aumentar a visibilidade do conteúdo. De acordo com o assunto, é conveniente perceber quais são as hashtags mais populares e usá-las.

O uso de marcações também é recomendado, pois fazem com que as imagens apareçam nos perfis das marcas e pessoas identificadas. Isto trará maior visibilidade às suas contas nas redes sociais.

Veja também: