Publicidade:

O Wi-Fi faz 20 anos. Uma história sem fios

A rede sem fios parecia impossível, até acontecer. O Wi-Fi faz 20 anos e tem muitas designações associadas que devem ser esclarecidas.

O Wi-Fi faz 20 anos. Uma história sem fios
A Internet sem fios não pára de evoluir

Duas décadas depois da Wi-Fi Alliance® ter criado a Internet sem fios, ainda são muitos os conceitos associados à rede sem fios. Aquela que foi uma das tecnologias mais importantes e revolucionárias continua, ainda hoje, a ser uma das mais imprescindíveis. Voltemos 20 anos atrás para relembrar como o Wi-Fi começou.

Duas décadas de Wi-Fi


redes wifi

Hoje em dia, imaginava a sua vida sempre “ligada” por um fio a qualquer dispositivo? Certamente que não esperava “ligar” o seu tablet ou smartphone através de uma conexão invisível que lhe iria permitir movimentar-se sem nunca perder a rede.

Os cabos de rede não são tão antigos quanto isso e a verdade é que nunca ninguém pensou poder ligar-se à Internet sem eles. A comunicação sem fios veio revolucionar a forma como se navega na Web hoje em dia e parece reinventar-se a cada década que passa.

Wi-Fi, WiFi ou WLAN?

São muitos os conceitos associados à rede sem fios e que convém esclarecer. A verdade é que todos se referem à possibilidade de se conectar à Internet sem que precise de um cabo dedicado, mas cada um varia no seu significado.

Em alguns sítios, esta rede é conhecida WLAN (Wireless Local Area Network) e é também associada a conceitos como Wi-Fi ou WiFi – designação pela qual é conhecida internacionalmente e também em Portugal – até porque foi esta a marca registada pela Wi-Fi Alliance®, entidade que criou a rede sem fios.

Ainda que possam parecer semelhantes, estes conceitos têm significados distintos:

  • WLAN: tal como o próprio nome indica, uma Wireless Local Area Network diz respeito a uma rede sem fios em geral, que pode existir em qualquer local;
  • Wi-Fi (ou WiFi): refere-se a um caso mais específico, isto é, a uma rede sem fios constituída por componentes baseados nas normas 802.11, estabelecidas pelo IEEE (Institute of Electrical and Electronics Engineers).

O que estabelecem essas normas? São “regras” que facilitam a compatibilidade entre dispositivos de fabricantes diferentes. As normas 802.11 certificam que o Wi-Fi está tão estandardizado quanto possível, de forma a que qualquer aparelho consiga aceder à rede sem que sejam precisas grandes configurações.

pessoas usam tablet

A evolução do Wi-Fi

20 anos passados, quase parece impossível que estejamos quase a conhecer o Wi-Fi 6, a versão mais rápida de Internet alguma vez criada. Mas a verdade é que, duas décadas depois, há acontecimentos dos quais nem nos lembrávamos.

Recorda-se da primeira vez que a rede sem fios foi utilizada num avião comercial? Corria o ano de 2004 quando esse feito aconteceu, tendo evoluído sem limites nos últimos anos. Em 2019, já existem mais de 30 mil milhões de dispositivos certificados em todo o mundo.

A par da quantidade de aparelhos espalhados globalmente, outras melhorias foram acontecendo ao longo dos anos, possibilitadas por novas normas estabelecidas. Essas, para além de cimentarem a estandardização do acesso à rede sem fios, incrementaram velocidades de transmissão mais rápidas e deram a conhecer os routers dual band.

Mas, por muito rápidas que sejam essas ligações, é frequente ouvirmos que “só as ligações com fios são verdadeiramente rápidas” – afirmação que, de facto, está desatualizada há algum tempo. Para que isso aconteça, tem de existir uma conexão Fast Ethernet de 100 Mbps, suficientemente rápidas para dispositivos ligados dentro de uma casa, por exemplo.

Hoje em dia, as ligações Wi-Fi não têm qualquer problema de atingir velocidade igual ou superior à da rede com fios. De facto, falamos de uma tecnologia em constante evolução.

Wi-Fi 6: mais rápido é impossível

Pelo menos para já. Também conhecido como norma 802.11ax, o Wi-Fi 6 vem trazer maior qualidade nas ligações sem fios. As bandas de frequência utilizadas serão de 2,4 e 5 GHz, que permitem que mais dados sejam enviados e recebidos em simultâneo.

Esta nova “atualização” é especialmente útil em locais onde vários dispositivos estejam ligados ao mesmo tempo, garantindo igual velocidade de navegação para todos. O Wi-Fi 6 também será revolucionário em sítios que tenham pouca rede (como pisos subterrâneos) ou que tenham paredes divisórias de grande espessura, isto porque a velocidade de navegação não será comprometida em nenhum dos contextos.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.