Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
18 Set, 2022 - 23:57

Como falar de diversidade com as crianças de forma natural

Catarina Milheiro

Saber como falar de diversidade com as crianças é essencial para aprendermos a viver em sociedade e sem estigmas associados.

Como sabemos, os primeiros anos escolares são aqueles em que a criança inicia o contacto com pessoas fora do círculo familiar. E nesse momento é crucial sabermos como falar de diversidade com as crianças, abordando algumas questões fundamentais.

Afinal, esta será uma nova fase na vida dos mais pequenos onde irão começar a experienciar novas coisas e a entender que conviver com as diferenças é realmente algo positivo – e necessário para respeitarmos os outros.

Por vezes, mesmo antes dos mais pequenos começarem a ter contacto com outras crianças, começam a surgir algumas perguntas – ou quando lemos uma história, quando ouvem as notícias ou até mesmo algumas das conversas de adultos.

Este é um tema que deve ser abordado com a maior naturalidade possível – quer pelos pais, como pelos educadores -, para que as crianças entendam que respeitar os outros é aquilo que realmente importa para aprendermos a viver em sociedade.

Como falar de diversidade com as crianças

4 dicas para o ajudar

O mundo está a evoluir constantemente e a cada dia que passa as pessoas são mais encorajadas a serem quem realmente desejam, sem medos nem estigmas associados. No fundo, trata-se de uma questão de liberdade de expressão – que durante muitos anos foi reprimida pela sociedade em geral.

É crucial que as crianças compreendam desde cedo a importância de respeitarem o próximo e de entenderem que somos todos iguais, quer em relação a direitos como deveres também.

Assim, quer para os pais, como para os educadores e professores torna-se importante saber como falar de diversidade com os mais pequenos, da melhor forma possível e sem que este seja um tema forçado.

Para o ajudar, temos algumas dicas que consideramos valiosas e que irão permitir conversas fluídas e naturais.

1.

Converse sobre diversidade desde cedo

Quanto mais cedo este tema for abordado com os mais pequenos, mais fácil será a sua adaptação ao ambiente escolar. Isto porque quando interagirem com os colegas da turma e até com os professores, as crianças vão-se sentir mais seguras e familiarizadas com todas as pessoas que as rodeiam.

Para além disto, é importante conversar sobre a diversidade desde cedo também para que as crianças compreendam que este é um tema que precisa de ser ainda trabalhado.

Fazer referências diversificadas no dia-a-dia dos mais pequenos de forma totalmente natural e honesta sobre a existência do preconceito, e sobre como este ainda é um problema que atinge muitas pessoas, é uma boa forma de começar a conversar sobre o tema.

Quando a criança não é preparada para conhecer pessoas novas e diferentes da sua família, pode (sem que tenha a noção) ter atitudes um pouco preconceituosas por se sentir ameaçado com aquela situação bem distante da sua rotina diária.

2.

Explique o que é diversidade

Ao conversar com os mais pequenos, os pais ou educadores podem explicar este conceito demonstrando que as diferenças existem e que são boas. Caso contrário, seríamos todos iguais e o mundo não teria piada nenhuma.

O mais importante na abordagem deste assunto é explicar que as diferenças não fazem uma pessoa ser melhor ou pior do que outra. No fundo, são apenas maneiras distintas de ser, de compreender situações diárias ou de fazer.

A palavra “diversidade” refere-se às múltiplas diferenças encontradas em características humanas, psicológicas, físicas, sociais, culturais, religiosas, entre outras – e a verdade é que o tema pode parecer complexo quer para adultos, como para as crianças.

3.

Visite lugares diferentes

Uma das dicas mais importantes para as crianças terem vivências com realidades distintas das delas, é visitarem lugares diferentes. E ao contrário do que possa pensar, não tem que ser necessariamente uma viagem fora do país ou cidade.

Portugal tem uma riqueza cultural grande e por isso mesmo, por vezes visitar uma vila vizinha ou um monumento na cidade, já faz com que nos transportemos para outras descobertas e ganhemos outra perspetiva.

Manter a mente das crianças aberta é o que importa, acima de tudo. Por isso já sabe: experimente apanhar um autocarro, visitar monumentos históricos locais, dar um passeio pelo jardim da sua cidade e provar comidas diferentes, por exemplo.

4.

Utilize filmes e livros

Todas as crianças adoram filmes e livros, não é verdade? Então porque não apostar neles para nos ajudarem a trazer um conteúdo rico em informação e benéfico para o desenvolvimento dos mais pequenos?

Algumas mensagens passadas nos filmes e livros infantis, são principalmente pensadas para o bom entendimento das crianças para além de serem comunicadas de forma bastante subtil.

Esta dica é válida quer para os pais, como para os educadores e professores que também lidam diariamente com esta questão nas escolas. E após a visualização do filme ou do livro, é essencial que as crianças sintam que podem partilhar os seus pensamentos livremente e demonstrar o que aprenderam.

Deixamos algumas sugestões de filmes e livros infantis que abordam o tema e ajudam pais/formadores a saberem como falar sobre diversidade com as crianças:

  • Shrek (filme);
  • Moana (filme);
  • Float (filme);
  • Leo e o polvo, de Isabelle Marinov e Chris Nixon (livro);
  • Coleção Superpoderes, de Tracy Packiam Alloway (livro);
  • O livro da família, de Todd Parr.

A diversidade está em lodos os lugares e em todos os momentos, e é através dela que a sociedade se vai moldando. Explique isso às crianças sem receios, para que também elas compreendam que ser diferente em algum aspeto é normal.

Afinal, aquilo que todos queremos é ensinar os mais pequenos a crescerem sem o hábito de julgar os outros e a respeitarem a diversidade à sua volta. Por isso já sabe, faça-o de forma natural, dando espaço para um debate e estando recetivo a ideias.

Veja também