ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Teresa Campos
Teresa Campos
21 Jul, 2021 - 09:46

Endoscopia: exame essencial para despistar problemas digestivos

Teresa Campos

A endoscopia permite observar o tubo digestivo, através de imagens captadas por endoscópios conectados a monitores de televisão. Saiba mais.

Médico a fazer endoscopia

A endoscopia revela-se um importante meio complementar de diagnóstico na deteção de problemas do tubo digestivo, como úlceras, pólipos, tumores ou hemorragias internas. Este exame permite ainda colher biopsias de tecidos e realizar tratamentos, como estancar hemorragias, resolver obstruções ou retirar pólipos.

Para executar a endoscopia, são usados tubos flexíveis e finos, com pontas manobráveis e um sistema de iluminação e uma câmara na extremidade, a qual possibilita a visualização do interior do tubo digestivo, desde a boca até ao duodeno. Este tubo é introduzido e retirado pela boca do doente. Saiba mais.

Endoscopia: perceba como tudo funciona

A forma mais comum de endoscopia é a endoscopia digestiva alta (esofagogastroduodenoscopia), em que é observado o esófago, o estômago e o duodeno. Este exame é bastante seguro e pode ser feito em regime de ambulatório.

Através dele é possível perceber a causa de alguns problemas como:

Além disso, pode ser feita a colheita de biopsias e tratamentos, como:

  • dilatação esofágica;
  • remoção de corpos estranhos;
  • excisão de pólipos;
  • fulguração de vasos anómalos;
  • injeção endoscópica de fármacos;
  • aplicação de clipes para controlo de hemorragias digestivas;
  • execução de procedimentos bariátricos, em caso de obesidade;
  • colocação de sondas nasogástricas, nasojejunais ou de gastrostomia;
  • colocação de próteses.
médico a fazer endoscopia

Como funciona a endoscopia?

Durante a endoscopia, o paciente deve estar deitado, geralmente em decúbito lateral esquerdo. Se necessário, pode ser administrada medicação sedativa endovenosa e um spray anestésico que se aplica na garganta (caso não haja sedação, a recuperação do exame é praticamente imediata. Já se houver sedação, o doente deve permanecer acompanhado e não deve conduzir, nem ir trabalhar, pelo menos na hora seguinte à realização da endoscopia).

No início do procedimento, o paciente deve começar por trincar um dispositivo de plástico, através do qual passa o endoscópio. Depois, o doente deve engolir o tubo, de modo a que ele chegue ao esófago.  

Durante o exame, o paciente não pode falar.  Enquanto isso, o médico vai insuflando ar através do endoscópio, de modo a conseguir captar as imagens necessárias. Sempre que sejam  diagnosticados problemas no tubo digestivo, o médico pode gravar essas imagens. No final do exame, o médico remove o tubo pela boca do paciente.

A endoscopia pode demorar, em média, 5 a 20 minutos.

Quando se deve fazer a endoscopia?

Há situações em que a realização da endoscopia é recomendada. É o caso das seguintes manifestações:

  • sentir-se muito ou pouco satisfeito, depois de comer;
  • ter a sensação de que a comida está presa atrás do esterno;
  • apresentar fezes negras;
  • vomitar sangue;
  • ter azia;
  • ter anemia;
  • sentir dor ou desconforto na parte superior do abdómen;
  • ter problemas de deglutição ou sentir dor ao engolir;
  • registar uma perda de peso sem razão aparente;
  • suspeitar de Helicobacter pylori.
Colonoscopia
Veja também Colonoscopia: tudo o que precisa de saber

Preparação prévia necessária

Antes de se sujeitar a este exame, deve ter em conta os seguintes aspetos:

  • estar em jejum há 6 a 8 horas;
  • fazer jejum de líquidos até 2 horas antes do exame;
  • indicar a medicação que toma habitualmente, nomeadamente anticoagulantes e antiagregantes plaquetares.
Veja também