Publicidade:

Contra a sinistralidade rodoviária: ACP quer radares nos semáforos

Automóvel Clube de Portugal assegura que a sinistralidade rodoviária continua a aumentar e aponta o dedo ao Estado. Exige medidas urgentes de prevenção.

 
Contra a sinistralidade rodoviária: ACP quer radares nos semáforos
Estado não está a cumprir o Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária

O Automóvel Clube de Portugal (ACP) prevê que, no próximo ano, a sinistralidade rodoviária custe a vida a 520 pessoas, mais do que as 513 do ano passado.

Considera a este propósito que o objetivo de chegar a 2020 com 399 vítimas mortais nas estradas será largamente ultrapassado, pela negativa, olhando à evolução até 2018.

Acusa, por isso, o Estado de não cumprir o Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária (PENSE) e pede com urgência medidas de prevenção, nomeadamente a instalação de radares de controlo de velocidade nos semáforos.

Recorde-se que o PENSE integra 107 medidas e a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária assegura que está cumprido a 40%. Porém, a ACP acredita que as medidas que estão a ser cumpridas são as menos importantes.

Esta opinião é partilhada pelo presidente da Prevenção Rodoviária Portuguesa, José Miguel Trigoso. Em declarações ao JN, afirmou que “algumas medidas previstas são estruturantes, outras são vírgulas. Não basta criar um documento técnico, é preciso divulgá-lo, dar formação, assegurar que é executado”.

Veja também: