Publicidade:

Casas dos centros históricos deixam de pagar IMI

Proprietários de prédios em centros históricos classificados pela UNESCO conseguiram a tão reclamada isenção IMI.

Casas dos centros históricos deixam de pagar IMI
Supremo Tribunal Administrativo deu razão aos proprietários

Os proprietários de prédios em centros históricos classificados pela UNESCO conseguiram a isenção de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

A decisão do Governo já foi comunicada pela subdiretora-geral dos impostos sobre o património, Lurdes Ferreira, a todas as repartições de Finanças do país, e surge na sequência de um acórdão do Supremo Tribunal Administrativo, que uniformizou jurisprudência, dando razão aos cidadãos após os processos apresentados.

Assim sendo, os proprietários vão suspender os processos que tinham dado entrada em tribunal para ver reconhecido o direito a não pagar IMI. Mal se soube da decisão, os proprietários clamaram vitória, depois de uma década de cobranças ilegais – como alegavam.

Recorde-se que as zonas classificadas pela UNESCO são: Porto, Guimarães, Évora, Sintra, Angra do Heroísmo, Óbidos e Elvas.

Veja também:

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O E-Konomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].