Publicidade:

Infarmed manda retirar medicamentos para afeções das vias respiratórias

Infarmed determina suspensão de medicamento commumente prescrito para tratar quadros de gripe, asma e outras complicações respiratórias.

Infarmed manda retirar medicamentos para afeções das vias respiratórias
Origem da determinação está em possíveis alterações no ritmo cardíaco

A Autoridade Nacional do Medicamento, Infarmed, determinou a retirada do mercado do remédio Pneumorel, xarope e comprimidos para tratamento de afeções das vias respiratórias, na sequência da identificação de um potencial efeito nocivo no ritmo cardíaco.

Infarmed informa: Pneumorel, xarope e comprimidos deve sair das prateleiras


Na nota oficial, disponível na página da Internet, o Infarmed determina a retirada do mercado dos medicamentos Pneumorel, xarope, 2mg/ml e Pneumorel retard, comprimidos gastrorresistentes, 80 mg.

A autoridade esclarece ainda que o laboratório Servier Portugal – Especialidades Farmacêuticas, Lda, decidiu suspender e retirar do mercado aqueles medicamentos devido à identificação de um potencial efeito nocivo no ritmo cardíaco associado à utilização de medicamentos contendo a substância fenspirida.

Estes medicamentos estão indicados no tratamento de afeções das vias respiratórias como rinofaringites, laringites, manifestações respiratórias e otorrinológicas da alergia, otites e sinusites e das afeções das vias respiratórias inferiores como rinotraqueobronquites, bronquites, bronquites crónicas com ou sem insuficiência respiratória crónica.

Os medicamentos são também utilizados nas manifestações respiratórias da gripe e possível tratamento de fundo da asma pura ou complicada.

Por isso, o Infarmed informa que os médicos não devem prescrever estes medicamentos e os farmacêuticos não devem dispensá-los e proceder à sua devolução.

Aos doentes, o Infarmed recomenda a interrupção do tratamento e a devolução das embalagens às farmácias para destruição. “Em simultâneo, deverão consultar o médico para prescrição de uma alternativa terapêutica, caso necessário”, refere o Infarmed.

Veja também: