Publicidade:

Metro do Porto vai ter sensores para detetar quem não paga

Sistema de Inteligência Artificial vai ser instalado em setembro. Quem utilizar o metro e não pagar bilhete vai ser imediatamente identificado.

Metro do Porto vai ter sensores para detetar quem não paga
Detetar infratores vai custar 100 mil euros

A Metro do Porto vai instalar em Setembro, na estação da Casa da Música, um sistema de sensores que utiliza inteligência artificial para detectar utilizadores que não pagam bilhete ao usar a rede metropolitana.

De acordo com a Hitachi Consulting, a empresa responsável pelo projecto, os sensores vão “detectar acções, movimentos e direcções dos utilizadores do serviço de transporte no seu percurso de acesso ao metro, sem invadir a privacidade”. Já a forma como será feito o alerta para situações de infração ainda não está definida.

Na prática, os sensores permitirão detetar quem tem Andante válido, quem tem e não validou e quem não possui o título. O sistema permitirá identificar casos de pessoas que acedem às estações e não vão para o metro, como acontece com quem vai deixar ou esperar alguém ou quem se dirige a algum dos espaços comerciais que há nas gares subterrâneas. Daí a importância de detetar os movimentos e os percursos dos utentes.

O sistema vai custar 100 mil euros e vai ser instalado apenas naquela estação a título experimental. Posteriormente, a Metro do Porto decidirá se irá alargar o serviço às restantes estações.

Veja também:

O E-Konomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O E-Konomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].