Publicidade:

A Xiaomi vai abrir lojas oficiais em Portugal em 2019

É oficial: ainda no decorrer de 2019, serão abertas novas lojas Xiaomi em Portugal. A data ainda não foi revelada, mas tudo indica que está para breve.

A Xiaomi vai abrir lojas oficiais em Portugal em 2019
A novidade foi confirmada pela marca

Há muito que os fãs ansiavam por lojas oficiais no nosso país. As lojas Xiaomi em Portugal deverão abrir ainda em 2019 para comercializar uma série de produtos, que vão desde os smartphones a outros acessórios. Como uma das maiores fabricantes de tecnologia da atualidade, este era o passo óbvio.

O que já se sabe sobre as lojas oficiais da Xiaomi em Portugal


Como uma das principais fabricantes tecnológicas da atualidade, este passo já era de prever. No entanto, a verdade é que já há muito se especulava sobre quando é que a marca chinesa abriria portas, de forma oficial e em nome próprio, no nosso país.

Parece que a vontade chegou aos ouvidos da marca, que já confirmou que vai abrir lojas oficiais em Portugal durante 2019. A novidade foi dada pelo YouTuber Nuno Agonia, um dos YouTubers portugueses mais populares da atualidade.

A par do “Maior Unboxing Xiaomi de Sempre”, Nuno leu, nos minutos iniciais do vídeo, uma carta enviada pela própria empresa onde avança que a abertura de lojas oficiais estará para (muito) breve. Ainda não foi confirmada uma data, mas sabe-se que a abertura diz respeito a mais do que uma loja.

Sabe-se, também, que a distribuição oficial dos produtos da marca será feita pela jp.di, como, de resto, já acontece nas principais lojas de tecnologia (como a Fnac, a Worten ou a PhoneHouse). A entidade oficial mantém-se, então, ainda que não se saiba quais serão exatamente os produtos vendidos.

Especula-se que os produtos enviados a Nuno Agonia sejam uma preview daquilo que poderá ser visto nas lojas oficiais – como acessórios de diferentes gamas, colunas e outros dispositivos. É de salientar, ainda, que estes produtos já estão à venda em Espanha, pelo que tudo indica que a distribuição e venda se expanda até ao nosso país.

Os produtos vendidos

Espera-se que se possam experimentar gadgets da marca, nomeadamente os seus telemóveis – muito cobiçados pela sua relação qualidade-preço. Mas tendo em consideração que a Xiaomi é, também, especialista em acessórios e outros gadgets, adivinha-se que também essas gamas de produtos serão vendidas nas lojas.

As lojas Xiaomi abrem em Portugal em 2019 e irão localizar-se em diferentes pontos do país. O que se espera é que, à semelhança daquilo que acontece em lojas oficias de outras marcas concorrentes, também seja possível experimentar e comprar, sobretudo, smartphones.

A verdade é que esta notícia não poderia vir em melhor altura, até porque o Xiaomi Mi 9 está mesmo aí e prevê-se uma grande procura. Ora, poder experimentá-lo e, eventualmente, comprá-lo, é algo que os consumidores anseiam.

xiaomi mi 9Fonte da Imagem: Xiaomi/Divulgação

Mas há mais: a vaga de trotinetes elétricas veio fazer-se notar um pouco por toda a Europa e a Xiaomi, não querendo ficar “para trás” na corrida, desenvolveu scooters do género que já vende em Espanha. A seguir o mesmo esquema de comercialização, os mesmos veículos serão igualmente vendidos em Portugal.

Quando e onde?

2019 é o ano, mas a empresa não avançou, especificamente, a partir de que data se poderá comprar nas lojas Xiaomi em Portugal. O que também não foi confirmado foi a localização das mesmas, mas espera-se que, primeiramente, sejam abertos espaços em Lisboa e Porto.

No entanto, se a marca implementar a mesma estratégia que implementou no país vizinho, rapidamente irá espalhar e abrir uma loja em cada canto do nosso país. As lojas oficiais vêm, por isso, contrariar uma das maiores desvantagens em comprar Xiaomi em sites chineses: o facto dos produtos não virem com garantia.

Com esta notícia, cada produto já irá trazer consigo dois anos de garantia incluídos, o que é uma grande vantagem para os consumidores.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.