ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Ivo Monteiro
Ivo Monteiro
20 Jun, 2022 - 10:21

O que é a taxa de juro e como calcular

Ivo Monteiro

Saber o que é a taxa de juro e como calcular, ajuda-nos a perceber se uma poupança ou investimento é rentável ou quanto nos custa um crédito.

Taxa de juro: o que é e como calcular

Compreender o que é a taxa de juro e como calcular pode ser um trunfo importante para analisar a rentabilidade de um investimento ou o custo real associado aos juros que suportamos num crédito.

De forma simples, a taxa de juro é o custo da utilização do dinheiro, ou seja, é o preço pago por um indivíduo pela utilização do dinheiro que lhe foi cedido por outrem.

O que influencia a taxa de juro?

Taxa de juro

Se não sabe o que é a taxa de juro e como calcular aqui vão alguns dos fatores preponderantes na sua definição. Assim, a taxa de juro em vigor, é influenciada por:

1

Taxa de Inflação

A taxa de inflação influencia a taxa de juro nominal de forma positiva. Assim quando sobe a inflação, as taxa de juros sobem. Idealmente, a taxa de juro real deve ser positiva.

2

Política Monetária

Através da Política Monetária, os Bancos Centrais conseguem ter impacto nas taxas juro através do aumento ou da redução das suas taxas de referência, aumentando ou diminuindo o preço do dinheiro para os bancos, e forçando-os a subir ou baixar as taxas de juro em vigor.

3

Procura de Moeda

A procura constitui, obviamente, uma das determinantes do preço. Assim, representando a taxa de juro o preço pago pela utilização do dinheiro, quanto maior for a procura de moeda, maior será o seu preço, ou seja, a taxa de juro.

4

Risco do Devedor

Quanto maior for o risco associado ao devedor, ou seja, quanto maior for a possibilidade deste não ter capacidade de assumir o pagamento do valor em dívida, maior será o juro.

Taxa de juro nominal e real

Na avaliação de um depósito a prazo convém sempre ter em vista o impacto resultante da inflação para que perceba a real evolução do seu poder de compra.

Há, assim, duas taxas que deve ter em conta quando analisa a rentabilidade de um depósito a prazo: a taxa de juro nominal e a taxa de juro real.

A Taxa Anual Nominal (TAN) é a taxa que é acordada quando faz o seu depósito, e é a taxa que será utilizada no cálculo do montante de juros que irá receber.

Mas não se pode esquecer que durante o período em que tem o seu depósito imobilizado no banco, existe inflação. Ou seja, para saber quanto efetivamente será a rentabilidade do seu depósito deverá ter em conta a inflação.

E é aí que entra a a taxa de juro real (que surge da taxa de juro nominal expurgada da taxa de inflação). É tendo em conta este indicador que concluímos a efetiva remuneração da disponibilização de dinheiro a outrem.

De facto, a  taxa de inflação representa no período em análise uma perda de poder aquisitivo. E piora a remuneração associada ao empréstimo feito por quem que disponibilizou o dinheiro.

Vejamos um exemplo:

Fez um deposito a prazo de 1.000€ a um ano com uma TAN de 1%. Ao final de um ano deveria receber 10€ de juros ou seja 1.010€ (ignorando a aplicação dos impostos).

Mas se a taxa de inflação nesse mesmo período tiver sido de 2%, necessita de 1.020€ para comprar o que no ano anterior lhe custava 1.000€. Como com o seu depósito só obteve 1.010€ então perdeu de facto poder de compra. Ou seja, a rentabilidade do seu depósito foi de -10€ ou seja -1,00%.

Assim apesar da Taxa Anual Nominal ter sido de 1,00% a sua taxa de juro real foi de -1,00%.

  • Taxa de juro real= taxa de juro nominal – taxa de inflação = -1%

Mas sobre o valor dos juros ainda incidem os impostos a pagar, reduzindo adicionalmente este montante.

Ao fazer o seu depósito a prazo são apresentadas duas taxas: a Taxa Anual Nominal Bruta (TANB) e a Taxa Anual Nominal Líquida (TANL), que não é mais do que a taxa nominal deduzida dos impostos.

Mas note que nada lhe é dito sobre a taxa real. Para conhecer a rentabilidade não se esqueça de ter em conta a inflação.

Em conclusão

A taxa de juro representa o preço a que quem empresta está disposto a disponibilizar dinheiro, privando-se da sua utilização para quem o recebe possa usufruir de liquidez que não detém no presente.

Desta feita, percepcionar que este conceito representa uma compensação permite-nos perceber o que é a taxa de juro e como calcular a mesma ao longo dos tempos.

Veja também