ebook
GUIA DO IRS
Patrocinado por Reorganiza
Paula Landeiro
Paula Landeiro
14 Dez, 2021 - 11:01

Seguro da casa: como escolher o mais adequado para si

Paula Landeiro

Saiba como escolher o seguro da casa que melhor se ajusta às suas necessidades, tanto a nível de coberturas como de preço. Partilhamos algumas dicas.

Seguro da casa

Quando falamos em seguro da casa falamos em proteção para todos os imprevistos. Inclui o seguro de incêndio obrigatório em edifícios em propriedade horizontal, mas também pode incluir o seguro multirriscos, que apenas é obrigatório se pedir empréstimo bancário para aquisição da sua habitação.

No entanto, como o seguro multirriscos cobre um conjunto alargado de situações (incluindo o de incêndio), a sua contratação é aconselhável em todas as habitações.

Mas, o mais importante é escolher o seguro de casa que mais se ajusta à suas necessidades, tanto a nível de coberturas quanto a nível de preço.

Seguro da casa: como escolher?

Se o seu imóvel é um apartamento num edifício em propriedade horizontal terá de contratar um seguro de incêndio, ou, mais concretamente, “Incêndio e Elementos da Natureza”. Mas, como dissemos, o seguro multirriscos é mais abrangente. Vejamos cada uma das opções para que possa tomar um decisão informada.

Seguro de incêndio: como funciona e quais as coberturas?

O seguro de incêndio, que é obrigatório por lei, deve ser contratado pelo proprietário do imóvel e cobre o risco de danos provocados por incêndio. Deve cobrir não só a fração respetiva, mas também as partes comuns do edifício. Se o proprietário não o contratar, será o administrador do condomínio a fazê-lo, sendo posteriormente reembolsado desse valor.

A sua contratação pode ser autónoma ou incluída num seguro multirriscos.

Coberturas do seguro de incêndio

Este seguro cobre danos causados por incêndios sobre os elementos que constam nas plantas da fração autónomas (paredes, louças, móveis encastrados) e partes comuns.

Os danos podem ter sido causados por fogo, calor, fumo, vapor ou explosão, pelos meios usados no combate ao incêndio ou remoções ou destruições feitas por bombeiros, polícia, etc. em ações de salvamento.

Seguro multirriscos: principais coberturas

seguro multirriscos é, como dissemos, mais abrangente. Cobre não só outros riscos para além de incêndio sobre o edifício, mas também sobre o recheio da habitação.

Embora apenas seja obrigatório se recorrer ao crédito habitação, dada a sua abrangência deve contratar este seguro de casa para garantir a sua segurança contra qualquer imprevisto que aconteça no seu imóvel. E independentemente de ter crédito habitação ou não.

Se tiver uma inundação e não tiver este seguro, todos os prejuízos causados na sua habitação e mesmo na dos vizinhos terão de ser suportadas por si. É uma forte razão para contratar este seguro para o seu imóvel, seja ele de habitação permanente, casa de férias ou mesmo destinada a arrendamento).

Para além das coberturas pré-determinadas, comuns à generalidade destes seguros, qualquer que seja a seguradora que o comercializa poderá adicionalmente adicionar algumas coberturas complementares e facultativas de danos no imóvel ou no seu recheio. Pode também incluir uma cobertura de responsabilidade civil.

Coberturas do seguro multirriscos

Para além das coberturas do seguro de incêndio, o seguro multirriscos pode garantir:

  • Danos no imóvel, partes comuns e outras frações causados por inundações, tempestades e riscos elétricos;
  • Danos causados nos bens móveis do imóvel;
  • Indemnização por furto ou roubo.

Pode também incluir a responsabilidade civil do segurado e agregado familiar ou indemnizações por morte do segurado ou cônjuge em consequência de incêndio, queda de raio, explosão ou roubo, quando ocorrida na habitação.

Normalmente, não cobre fenómenos sísmicos. Estes terão de ser contratados como cobertura complementar. Se o seguro de casa não incluir coberturas sobre os seus bens pessoais, considere juntar um seguro sobre o recheio da sua habitação.

O prémio a pagar pelo seguro da casa

As seguradoras são livres de fixar o preço a pagar pelo seguro da casa, no entanto, este irá sempre depender das características do imóvel, do seu recheio e do valor do imóvel e está associado ao capital seguro.

Quanto maior o capital seguro, maior será o prémio que irá pagar.

Prémio de seguro
Veja também Tudo o que importa saber sobre o prémio de seguro

O valor do capital seguro

O valor do capital seguro é fixado sempre pelo tomador do seguro no ínício e durante o contrato. Consta das condições particulares da apólice e será o valor máximo de indemnização que a seguradora lhe pagará se ocorrer um sinistro, mesmo que o prejuízo seja superior.

Tenha em atenção que o capital seguro tem de ser adequado às características do imóvel, já que a seguradora apenas o indemnizará pelo valor correspondente ao custo de mercado de reconstrução do imóvel. Assim, não vale a pena indicar um valor de capital muito superior ao valor de reconstrução do imóvel.

No entanto, para poder saber o capital a segurar tem de saber o custo de reconstrução do imóvel, tendo em conta o seu tipo de construção e outros fatores que podem influenciar o seu custo.

Quanto ao recheio do imóvel, o valor do capital seguro deve ser o custo de substituição dos bens. Na proposta de seguro identifique de forma clara os bens mais raros ou valiosos através de uma fotografia, o que inclui obras de arte, joias e antiguidades.

Mas tenha também em atenção que nas condições particulares estão incluídos valores máximos para cada uma das coberturas incluídas no seguro.

Calcular o custo de mercado de reconstrução do imóvel

Pode calcular o custo de mercado de reconstrução do seu imóvel de duas maneiras:

  1. Multiplicar o preço de habitação por metro quadrado da zona do imóvel, pela área bruta do imóvel constante na caderneta predial;
  2. Usar o Simulador do Custo de Reconstrução de Imóveis (SCRIM) desenvolvido pela Associação Portuguesa de Seguradores (APS).

Como este é um valor aproximado, ao valor obtido aplique uma majoração de 10% para determinar o capital seguro.

Se o valor do capital seguro for superior ao custo de mercado de reconstrução do imóvel ficará prejudicado, já que só irá receber este último em caso de sinistro e esteve a pagar um prémio superior ao que deveria pagar.

Mas se for o inverso também ficará prejudicado já que, se ocorrer um sinistro, a indemnização será proporcional à relação entre capital seguro e o custo de mercado de reconstrução à data do sinistro. Ou seja, aplica-se a chamada regra proporcional.

Vejamos um exemplo:

Fez o seu seguro com um capital seguro de 100.000 euros, mas o custo de reconstrução é de 200.000 euros. Neste caso, como o rácio capital seguro e o custo de mercado de reconstrução é de 50%, a seguradora é apenas responsável por 50% dos prejuízos.

Assim, se ocorrer um sinistro com prejuízos de 80.000 euros, a seguradora apenas pagará uma indemnização de 40.000 euros, ficando o restante a seu cargo.

7 dicas para escolher o seguro da casa adaptado às suas necessidades

Sabendo que existem inúmeras ofertas no mercado cabe-lhe a si escolher a que melhor se adequa às suas necessidades e ao seu orçamento familiar.

1

Decida quais as coberturas que pretende contratar no seu seguro da casa

No caso de o imóvel não ter financiamento bancário, decida se apenas vai contratar o seguro de incêndio ou o seguro multirriscos.

Neste último, decida que coberturas complementares quer incluir.

Não se esqueça que quanto mais coberturas incluir, mais situações de imprevistos estarão abrangidas e, por isso, maior será a sua segurança, mas também maior será o prémio a pagar.

2

Determine o valor do custo de mercado de reconstrução do imóvel

Calcule este valor para determinar o valor do capital seguro em termos do imóvel. Ajuste para não ficar prejudicado em termos de pagamento do prémio, nem na indemnização a receber em caso de sinistro.

Lembre-se que a indemnização é paga pela regra proporcional. Assim, o ideal é que o rácio capital seguro e custo de mercado de reconstrução à data do sinistro seja 1.

3

Peça simulações a várias seguradoras

Como existe liberdade na fixação do preço, peça simulação a várias seguradoras. Indique as coberturas que pretende.

4

Analise coberturas e exclusões

Recebidas as propostas, verifique se as coberturas propostas são de facto as que escolheu e leia atentamente as exclusões. Estas são tão importantes quanto as coberturas, já que são as situações que não darão lugar a qualquer indemnização.

5

Compare as proposta e tenha em conta o seu orçamento

Compare as propostas, mas tenha em atenção que só poderá comparar as que tiverem pressupostos iguais, e veja se se enquadram no seu orçamento familiar.

6

Escolha a proposta que tiver melhor relação preço/coberturas

Embora seja importante ter coberturas o mais extensivas possíveis, o certo é que mais coberturas significa ter de pagar mais, pelo que o seu orçamento familiar pode ser um fator limitador. Assim o importante é ajustar a relação preço / coberturas.

8

Poupe no pagamento do prémio do seu seguro da casa

Como a generalidade das seguradoras cobra uma taxa de fracionamento do seguro, opte pelo pagamento anual. Informe-se se pagar por débito direto lhe dará também algum desconto adicional, algumas seguradoras fazem-no.

Veja também