Duas semanas de férias são um desperdício, diz a ciência

Se a ciência diz que duas semanas de férias são um desperdício, cabe-lhe a si contrariar as provas. Entenda a razão científica e como pode contorná-la.

Duas semanas de férias são um desperdício, diz a ciência
Serão duas semanas de férias um desperdício?

Será mesmo que duas semanas de férias são um desperdício? Mesmo que duas semanas de férias sejam mais do que uma semana de férias, será que o facto de ser um período maior, dobra as suas memórias? Não conte com isso, pois está cientificamente comprovado que quando voltar não trará consigo o dobro das recordações.

De acordo com o psicólogo Daniel Kahneman, as férias mais curtas são geralmente tão boas quanto as mais longas, pois a quantidade não aumenta o número de lembranças que trará consigo. O psicólogo sugere ainda que as férias podem ser melhoradas se lhes fizer ajustes simples, como planeá-las antecipadamente e falar sobre elas quando regressar a casa e à normalidade da rotina.

A razão científica por que duas semanas de férias são um desperdício

A carreira de Kahneman assentou muito no estudo da forma como as experiências pessoais e a memória se relacionam e, em geral, descobriu que a psicologia das pessoas pode ser dividida entre “eu experimentei” e “eu lembro-me”, sendo que o essencial é que se viva a experimentar o presente, o momento.

A felicidade pode ser definida de forma diferente dependendo da pessoa que nos estamos a referir. Se deseja maximizar a felicidade da experiência da sua própria mente, deve planear férias mais longas, mas mais inesquecíveis, com momentos mais invulgares que jamais esquecerá.

aproveitar as ferias

Mude a rotina, beba um cocktail ao pôr-do-sol, faça uma corrida para começar o dia, experimente fazer um mergulho profissional. Fala algo que jamais esquecerá e acrescente novidade a cada dia das suas férias para que, de facto, as sinta como longas.

O nosso cérebro tende a lembrar o que é novo, o que foi incomum. Se reparar, coisas comuns como rotinas e refeições, caem rapidamente no esquecimento, mas se algumas vez foi a um restaurante e provou algo que lhe soube mal, não esqueceu e jamais esquecerá que foi no restaurante “x” que aconteceu e que a comida que lhe serviram foi “y” ou “z”.

Quando vai de férias duas semanas em vez de uma, provavelmente não irá acrescentar muito à história das suas férias, ou pelo menos não o suficiente para criar novas memórias sobre essa experiência. Em vez disso, tudo irá acabar misturado no seu pensamento, mas cabe a si ficar com um, dois ou mais momentos destacados.

Por outras palavras, se precisa mesmo de desfrutar de um longo período de férias, tem duas opções:

  • Pode mudar as férias dramaticamente até ao meio, para que crie novas memórias para manter boas lembranças;
  • Pode gastar a metade do tempo a fazer algo menos caro, como ficar em casa e evitar taxas de hotel e aluguer de carros, até porque, a longo prazo, o dinheiro não lhe comprará grandes memórias.

Recomendamos que planeie tudo com muita novidade à mistura, faça o que não pode fazer durante o ano. Uma noite só de conversas, experimente uma refeição nova, pratique um desporto diferente, jogue cartas com desconhecidos ou prove bebidas com sabores novos. Faça com que dia tenha um valor na sua memória, pois na verdade, todos vivemos das nossas memórias.

Será mesmo que duas semanas de férias são um desperdício? Só se não fizer nada para que seja diferente. Está nas suas mãos e não quererá gastar dinheiro e tempo em vão!

Veja também: