Entrevista de emprego: como falar dos defeitos e qualidades

Para brilhar na sua entrevista de emprego deve estar preparado para responder às perguntas que a maior parte dos candidatos acha desconfortável.

Entrevista de emprego: como falar dos defeitos e qualidades
Saiba como driblar as perguntas mais traiçoeiras da entrevista de emprego.

“Fale-nos das suas qualidades” ou “quais são seus defeitos?” são perguntas que (salvo raras exceções) todos os recrutadores colocam durante a entrevista de emprego. Se deixa os candidatos confortáveis?! Provavelmente não.
 
Mas ao contrário do que possa pensar, estas perguntas não têm como objetivo intimidar quem está a ser entrevistado. Na verdade é apenas uma forma que os recrutadores têm para perceber como reage a este tipo de questões e, simultaneamente, se tem consciência das suas melhores e piores qualidades ou que aspetos da sua personalidade tem a melhorar.
 
Uma entrevista de emprego pode ser considerada uma espécie de jogo mental, jogado a duas frentes: entre o recrutador e o entrevistado. E do seu lado, importa que inspire uma imagem de confiança no seu recrutador, de forma a conduzir o seu “adversário” para que construa uma ideia específica sobre a sua personalidade pessoal e profissional e, consequentemente, a ser o escohido.
 


Como reagir? 

Apesar de poder ser uma das perguntas mais complicadas durante a entrevista de emprego, lembre-se que pode ser a chave para que o seu recrutador avalie não só o seu nível de confiança, mas também a sua honestidade. É aqui que reside o segredo para escapar ileso a esta pergunta: seja honesto e mantenha sempre as suas respostas baseadas nas suas qualidades profissionais.

Se notar uma maior informalidade e abertura, pode introduzir uma ou outra faceta da sua vida pessoal; isto vai dar um “rosto” ao trabalhador e permite também ao recrutador conhecê-lo noutro contexto e tentar perceber como é que é enquanto pessoa. Deixe escapar que tem dois filhos que adora, que tem animais de estimação, que faz voluntariado em alguma associação, que adora fotografia... tudo questões positivas que demonstram o seu outro lado do espelho. 



Qual a reposta correta?

Não existe! Lamentavelmente, a fórmula exata para ultrapassar esta pergunta durante uma entrevista de emprego não foi ainda calculada. Mas uma coisa é certa: tentar fugir à pergunta não o vai ajudar. Da mesma forma, usar os clichés habituais para responder à questão, também não será positivo. Todos temos defeitos, por isso não os esconda, pelo contrário, saiba lidar com eles. Admitir que tem qualidades menos positivas não implica que não vá conseguir o emprego a que se está a candidatar. O importante é que mantenha uma postura positiva.

A reação à questão dos defeitos deve ser o mais natural possível. Não há nenhuma pessoa sem qualquer defeito e fuja de respostas como “o meu maior defeito é trabalhar de forma demasiadamente árdua”. Qualquer recrutador vai identificar imediatamente que respondeu para “ficar bem na fotografia” e isso vão ser pontos em desfavor!  



Qualidades sim, mas sem exagero!

Por norma, é mais fácil para os candidatos apontarem as suas qualidades numa entrevista de emprego. Mas sejamos francos, todos temos tendência a exagerar um pouco. 


Além da honestidade, um pouco de humildade não é nada mal vista. É óbvio que deve puxar pelas suas mais valias, mas tente não parecer o supra sumo que tudo sabe e tudo faz. Os sabichões não são os perfis mais procurados pelas empresas. Ao responder a esta questão destaque as suas competências e qualidades que possam ter um impacto positivo para desempenhar as suas funções. No entanto, evite dar respostas demasiado “pré-fabricadas”. Lembre-se, fuja aos clichés! 
Ao responder a esta questão destaque as suas competências e qualidades que possam ter um impacto positivo para desempenhar as suas funções. No entanto, evite dar respostas demasiado “pré-fabricadas”. Lembre-se, fuja aos clichés!
 


Converta os seus defeitos em desafios e soluções

Qualquer resposta que dê durante uma entrevista de emprego deve ser orientada para as funções específicas a que se está a candidatar. As perguntas sobre as qualidades e defeitos não são exceção. O segredo aqui passa por mostrar que está disposto a usar esses defeitos para evoluir e melhorar enquanto pessoa e profissional.

“Sou bastante teimoso, mas geralmente uso essa característica para não desistir de um projeto”, ou “evito o conflito a todo o custo, o que me torna geralmente na balança de equilíbrio numa equipa” são algumas das respostas exemplo que poderá dar ao entrevistador.

Se, por outro lado, não vir forma de transformar o(s) seu(s) defeito(s) em soluções, assuma que está a tentar melhorar essa faceta; a sinceridade vai ser valorizada na sua entrevista, acredite!



E se pedirem para trocar de papéis?

Esta é outra das situações que tem vindo a acontecer cada vez mais e para a qual deve estar preparado. Por vezes o recrutador pede-lhe a si para lhe fazer perguntas, as que achar mais indicadas.

Aproveite esse momento para se mostrar interessado pela empresa em que pretende trabalhar. Pergunte, por exemplo, como é um dia habitual de trabalho nesse local, pergunte quais as características mais valorizadas, que tipo de perfil gostariam de recrutar e qual a faceta indispensável para se trabalhar nesse local.

À medida que faz essas perguntas, deixe sair algumas informações que estudou da empresa (ex: “sendo uma empresa com x colaboradores, o espiríto de equipa é das características mais valorizadas?” ou “existindo xx delegações no país, o que é mais importante para manter a equipa unida e motivada?).

Em suma, por muito que gostasse de evitar, o mais certo é que lhe perguntem quais são as suas qualidades e defeitos. Por isso, antes de entrar na sua entrevista de emprego, prepare-se devidamente para estar apto a responder de forma segura e consciente às perguntas chave (que nem sempre o deixam confortável!). Se quer impressionar, lembre-se que deve deixar todo e qualquer nervosismo ou insegurança à porta. Lembre-se que as primeiras impressões podem ser decisivas e a sua entrevista de emprego vai além das perguntas colocadas. Não há uma segunda oportunidade para criar uma primeira boa impressão...Por isso, prepare-se para que na hora “H” possa responder a todas as perguntas de forma segura, incisiva, mas sempre com sinceridade. 

Veja também:

Continuar a Ler