Publicidade:

Exame Nacional de Português: como ter sucesso no grupo III

Sendo uma das partes subjetivas do Exame Nacional de Português do 12º ano, o Grupo III é um desafio, devendo ser praticado desde o início do ano letivo.

Exame Nacional de Português: como ter sucesso no grupo III
Exame Nacional de Português do 12º ano

No Exame Nacional de Português do 12º ano, os temas podem ser diversos. No entanto, em termos formais, a estrutura do texto argumentativo pode ser estudada e treinada, assegurando a obtenção de uma pontuação mais elevada neste grupo, frequentemente temido pelos estudantes, pelo seu elevado grau de complexidade.

Mas como deve, então, ser redigido um texto argumentativo, tipologia que tem sido selecionada nos últimos anos, no grupo III do Exame Nacional de Português do 12º ano, com número mínimo de duzentas e um número máximo de trezentas palavras? Apresentamos, de seguida, algumas linhas de orientação nesse sentido.

Exame Nacional de Português: dicas para o grupo III

1. 4 parágrafos deverão ser suficientes.

2. O 1º parágrafo deverá ser uma breve introdução ao tema, uma apresentação da tese, em que o aluno, ainda não apresentando argumentos, transparece já a sua opinião relativamente ao mesmo. Poderá este parágrafo ter duas frases.

3. O 2º parágrafo deverá conter a exposição do primeiro argumento e do respetivo exemplo que o ilustra.

4. O 3º parágrafo deverá conter a exposição do segundo argumento e de um exemplo comprovativo.

5. O 4º parágrafo deverá ser uma conclusão agregadora das ideias expostas ao longo do texto, reiterando a opinião formulada no início do mesmo.

6. A primeira pessoa gramatical não deve ser usada, optando-se pela forma passiva ou pela utilização de um sujeito nulo indeterminado.

7. A utilização de articuladores do discurso torna-se fundamental para garantir a coesão textual, como por exemplo: em primeiro lugar; em segundo lugar; por um lado; por outro lado; efetivamente; não obstante, etc.

8. A repetição de palavras deve ser evitada.

9. O vocabulário deve ser rico e variado.

10. Os argumentos e exemplos apresentados têm de ser do conhecimento geral e não retirados do quotidiano particular do aluno.

11. Há palavras que nunca devem ser usadas, por serem típicas do discurso oral, como “gente”, “coisa”, “acho”, etc.

Exemplo de um texto argumentativo

Desta forma, e para concretizarmos todas estas ideias, segue-se um exemplo de um texto argumentativo simples mas bem redigido, para Grupo III do Exame Nacional de Português de 12º ano, em que o tema seria: “A necessidade de fuga ao quotidiano nos dias que correm”:

Nos dias que correm, denota-se uma necessidade cada vez maior de fuga à rotina quotidiana. Na verdade, vários são os fatores que poderão ser responsáveis por esta realidade atual e que conduzem a esse desejo de evasão do pequeno mundo que habitualmente nos rodeia.

Em primeiro lugar, hoje em dia, o trabalho exige uma maior entrega por parte dos indivíduos. De facto, estas passam grande parte do seu dia nos seus empregos e, como se isso não fosse suficiente, é também muita a quantidade de trabalho que trazem para casa, para complementarem a atividade desenvolvida durante o dia. Pensemos, por exemplo, nos profissionais que, além de hoje possuírem um horário de expediente rígido, trazem ainda para casa muito trabalho a desenvolver, além de se dedicarem à preparação da jornada de trabalho do dia seguinte. Assim, é normal que, nas férias, sintam a necessidade de uma viagem para longe do quotidiano, explorando novos espaços e vendo diferentes pessoas, de modo a descansarem e recuperarem energias.
Em segundo lugar, por vezes, a realidade que algumas pessoas vivem diariamente pode ser muito dura, em contato com vidas difíceis e dramas pessoais de outros indivíduos, o que pode influenciar negativamente o dia a dia, devido à carga emocional que este contato acarreta. É o caso dos médicos que lidam com pacientes com doenças muito graves e terminais, acompanhando o sofrimento diário dos mesmos e das respetivas famílias, o que se torna muito penoso. Daí que sintam necessidade de, por exemplo, no fim de semana, terem atividades de lazer como o cinema ou um passeio em família, entre muitas outras.

Em suma, reitera-se a opinião formulada no início do texto, reafirmando-se que a realidade diária dos indivíduos conduz a uma necessidade cada vez maior de fuga ao quotidiano, através de atividades de lazer. Na verdade, à medida que o mundo do trabalho se transforma, cada vez mais absorvente, esta necessidade de evasão torna-se ainda mais evidente.

No Exame Nacional de Português do 12º ano, os alunos podem, pois, adaptar esta estrutura a qualquer tema sobre o qual tenham de dar a sua opinião, tornando-se muito mais fácil alcançarem uma classificação mais elevada.

Veja também:

Catarina Mesquita Catarina Mesquita

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Ingleses, Pós-Graduada em Linguística Portuguesa e Mestre em Estudos Portugueses Multidisciplinares, possui experiência de mais de quinze anos ao serviço da educação, da tradução e da escrita.