3 dicas para uma boa gestão emocional no trabalho

Gestão emocional: tudo o que precisa de saber. Conheça algumas dicas para o ajudar a gerir as emoções e a construir o bem-estar pessoal e profissional.

3 dicas para uma boa gestão emocional no trabalho
Equilíbrio é a palavra-chave

Em contexto de trabalho, encontram-se personalidades muito distintas, bem como situações exigentes e, por vezes, stressantes. Importa, por isso, ter um bom controlo das emoções para não ceder ou deixar que elas afetem o seu bem-estar, as suas funções e o clima organizacional. A gestão emocional torna-se, então, crucial para a construção do bem-estar pessoal, favorece o sucesso profissional e contribui para a criação de um ambiente de trabalho mais feliz e positivo. Ainda precisa de mais motivos para querer conhecer mais sobre o assunto?

Por norma, quem consegue gerir as suas emoções, sabe interagir e relacionar-se, comunica com assertividade e está mais preparado para, por exemplo, lidar com a pressão na gestão de conflitos.

Também por estas razões, as organizações já começam a ter em consideração que as emoções são essenciais no novo estilo de gestão e representam igualmente um papel importante na dinâmica laboral. Até porque as emoções estão presentes nas diferentes relações de trabalho e influenciam o desempenho.

3 dicas para uma boa gestão emocional no trabalho


1. Ter uma atitude positiva e proativa

atitude

Para construir um ambiente saudável e feliz no trabalho, adote uma atitude positiva, proativa e de empenho.

Muitas vezes, os profissionais que se destacam numa equipa são aqueles que têm uma atitude positiva face aos desafios, que procuram alternativas criativas para a resolução de problemas e não desistem, conseguindo, por isso, ultrapassar obstáculos mais facilmente.

2. Agir eticamente e de forma cordial

cumprimentar

Respeitar para ser respeitado sempre foi uma boa opção, a par de agir eticamente e de não fazer aos outros o que não gostaríamos que nos fizessem. Por isso, uma atitude profissional e empática é meio caminho para criar um ambiente de trabalho sem conflitos, preconceitos e mal-entendidos.

Um ambiente positivo e feliz constrói-se também com atitudes simples, como dar bom dia, pedir licença para entrar na sala de alguém, manter um tom de voz adequado, ajudar e pedir ajuda, respeitando o espaço e as funções dos colegas – e, claramente, é muito melhor trabalhar num local onde nos sentimos bem e onde gostamos de estar. Vale a pena tentar ser ético e cordial.

3. Desenvolver a inteligência emocional

comunicar

A inteligência emocional é a capacidade de compreender e gerir as nossas emoções. Para tal, importa desenvolver competências especiais e simples – como autoconsciência, autorregulação, motivação, empatia e competências sociais.

Em contexto de trabalho, é fundamental adotar uma postura equilibrada, evitando misturar os problemas pessoais com as atividades profissionais. Quem consegue entender as suas emoções aprende a controlá-las, evitando colocar-se em situações vulneráveis. Desenvolver a inteligência emocional vai ajudá-lo a responder e a atuar de forma positiva – e não condicionada por emoções e estados de espírito.

A inteligência emocional torna-se, então, fundamental para todos os profissionais que têm relações de trabalho com colegas, gestores e subordinados, bem como para as suas equipas e organizações.

Resumindo, as emoções fazem parte do ser humano, do dia a dia (no trabalho, nas amizades e relações amorosas) e, por isso, determinam a nossa qualidade de vida.

Importa, cada vez mais, desenvolver a inteligência emocional, tanto dentro como fora do nosso local de trabalho, para realizarmos um percurso profissional e pessoal bem-sucedido.

Pratique a melhor gestão emocional e prospere na carreira.

Veja também: