Hackers invadem computadores portugueses através do Facebook

Phishing pisa território alheio, com Portugal na lista das maiores vítimas.

Hackers invadem computadores portugueses através do Facebook
O mundo deve começar a ter cuidados redobrados com o Facebook.

Cerca de dez mil pessoas receberam uma mensagem de um suposto amigo com um pedido de identificação na mesma rede social. Mas nada disso era verdade. Era sim um convite traiçoeiro que acabou por deixar os seus sistemas informáticos nas mãos de um hacker. Portugal foi um dos alvos favoritos destes experts em invasão de propriedade de outrem.

Este brilhante plano foi posto em prática entre 24 e 27 de junho passado. A estratégia dividiu-se em duas partes.

A primeira parte é a mais complexa de se materializar. Consiste no descarregamento e instalação de um Trojan no sistema do utilizador. O Trojan é um vírus muito perigoso para o bom funcionamento do computador. Mas é um vírus que engana muito facilmente o cibernauta. É um dano cínico. Camufla-se de boa ferramenta para ganhar a confiança do internauta e depois ataca sem dó nem piedade. Tal como o cavalo de Troia. O vírus é acompanhado ainda por uma versão hackeada do Google Chrome.

Já a segunda metade da tarefa é bem mais simples. Basta abrir a sessão a partir do browser contaminado e está feito. O computador nunca mais será o mesmo. Será conquistado por estes génios maléficos e utilizado da forma que eles bem entenderem.

O alvo preferido na mira dos hackers foi a Windows. Isto porque o iOS e o Android são inatingíveis por esta pólvora destruidora.
 
Este roubo é implacável. Mas é também um roubo que pode ser evitado por todos nós. Só temos de ter muita atenção aos programas que nos são oferecidos. A rejeição da maioria desses programas poderá significar a salvação e o resguardo da saúde dos nossos tão preciosos computadores que devem ser nossos e de mais ninguém.


Veja também: