Publicidade:

Ilhas da Madeira: como ir, o que ver e o que fazer?

As ilhas da Madeira têm muito para oferecer: património histórico e cultural, gastronomia, deslumbrantes paisagens e riquíssimas reservas naturais.

Ilhas da Madeira: como ir, o que ver e o que fazer?
Desvende os segredos das ilhas da Madeira

Se está a pensar visitar alguma das ilhas da Madeira, mas não sabe qual, temos o artigo certo para si. Vamos dar-lhe a conhecer as principais ilhas do arquipélago, as suas caraterísticas, os seus principais atrativos e dizer-lhe tudo sobre como ir, o que ver e o que fazer. Curioso? Então espreite o cartão de visita da ilhas da Madeira que preparámos especialmente para si.

Ilhas da Madeira: descubra as paragens obrigatórias


FunchalFonte: Pixabay/Jean-Paul-V

O arquipélago madeirense é formado pelas ilhas da Madeira e de Porto Santo, pelas ilhas Desertas e pelas ilhas Selvagens. Do total das oito ilhas, apenas as da Madeira e do Porto Santo é que são habitadas.

Ilha da Madeira

A ilha da Madeira carateriza-se pelo seu clima ameno, com temperaturas médias muito suaves, que rondam os 25° C no verão e os 17° C no inverno. A água do mar é também temperada, o que a torna um destino de férias apetecível em qualquer altura do ano.

Ilha de Porto Santo

A ilha do Porto Santo é conhecida pelas suas praias de areia fina e dourada (e com propriedades terapeuticas) que convida a demorados banhos de sol e de mar. Mas, para além da praia, a cidade de Vila Baleira guarda histórias e lendas que nos são contadas na Casa Museu onde em tempos viveu Cristóvão Colombo. A beleza primitiva das paisagens encanta todos e convida-nos a passear ou a pedalar os vários atalhos e caminhos da ilha.

Ilhas Selvagens

As ilhas Selvagens compreendem um conjunto de ilhas e ilhotas de origem vulcânica e muito agrestes. As temperaturas destas ilhas excedem as da Madeira e a temperatura do mar permanece estável durante todo o ano. Constitui, ainda, um importante reservatório de aves.

Ilhas Desertas

As ilhas Desertas englobam três pequenas ilhas: o Ilhéu Chão, a Deserta Grande e o Bugio. De origem vulcânica, nestas ilhas vai encontrar muitas cinzas de cor avermelhada e amarelada. É ainda uma importante reserva de lobos-marinhos, uma espécie em extinção. Existe também aqui um centro de nidificação de aves marinhas.

Como ir para a Madeira?


A forma mais cómoda de chegar à Madeira é de avião. Pode fazê-lo, facilmente, a partir quer de Lisboa, quer do Porto. O arquipélago só dispõe de dois aeroportos: o Internacional da Madeira – situado no concelho de Santa Cruz -, e o da ilha do Porto Santo.

Voe por 17€ até ao Funchal. Saiba como >>

Outra possibilidade é optar pelo navio cruzeiro que atraca no Funchal e usar um serviço de ferry que liga o Funchal à Vila Baleira, na ilha do Porto Santo. Para explorar a ilha, pode alugar um carro, optar por um táxi, pelos transportes públicos ou pelo serviço Tuk Tuk Madeira.

Quais os lugares obrigatórios na Madeira?


SantanaFonte: Pixabay/ArvidO

Funchal

Na capital da ilha da Madeira não deixe de conhecer o teleférico do Monte, os carros de cesto, o mercado de lavradores, a zona histórica em torno da rua Santa Maria e os jardins magníficos.

Cabo Girão

O Cabo Girão é o maior promontório natural em Portugal. Admire as vistas magníficas sobre as fajãs cultivadas que é possível apreciar através do seu miradouro.

Curral das Freiras

Atualmente com acessos facilitados, aqui vale a pena usufruir sobretudo dos miradouros, como é o caso do Miradouro do Paredão e do Miradouro da Eira do Serrado.

Pico Areeiro

Para os aventureiros, aqui irão encontrar o trilho PR1 – Pico Areeiro – Pico Ruivo, que vale a pena fazer, desde logo pelas vistas soberbas sobre a ilha.

Pico Ruivo

O Pico Ruivo é o ponto mais alto da ilha da Madeira, logo vale a pena a caminhada pelo deslumbramento das vistas que vai alcançar.

Santana

Dirija-se ao Parque Temático da Madeira e, por 1€, fique a conhecer como eram por dentro as tradicionais casas de Santana. Vale a pena a visita, até porque ficará a perceber como viviam os habitantes locais que residiam nessas mesmas casas.

Grutas e Centro de Vulcanismo de São Vicente

Visitando o Centro de Vulcanismo de São Vicente ficará a perceber o que é o vulcanismo e, particularmente, como se formou a ilha da Madeira. Além disso, poderá visitar as grutas, os túneis de lava por onde escorreu o material fluido expelido pelo vulcão e que se deslocou para o oceano. Absolutamente fascinante.

O que fazer na Madeira?


MergulhoFonte: Pixabay/skeeze

Na Madeira, há programas para todos os gostos. Tanto que os podemos subdividir em quatro categorias: terra, ar, mar e caminhadas.

Terra

Escalada: Para quem adora adrenalina – e não sofre de vertigens -, deve aproveitar as falésias do arquipélago, fabulosas graças à rocha balsática.

Ar

Asa delta e parapente: Não há melhor forma de conhecer o arquipélago como esta: uma vista aérea sobre a ilha. Aí sim se conseguirá aperceber do maravilhoso maciço montanhoso central da Madeira, assim como da sua lindíssima costa marítima.

Mar

Mergulho: A Madeira é um dos melhores sítios para a prática deste desporto. Isto porque as suas águas temperadas e cristalinas permitem mergulhar nas suas reservas naturais e observar cnidários como anémonas, corais negros, peixes como meros, moreias, mantas e até lobos-marinhos, as focas mais raras do mundo. Há muitos locais para fazê-lo, porém recomendamos a Madalena do Mar, pois aí pode avistar o “Bowbelle” – o navio que ali afundou há alguns anos e que constitui hoje um recife artificial.

Caminhadas

Vereda da Ponta de São Lourenço: O percurso pedestre que lhe propomos tem 4 Km e a duração de 2horas e 30minutos. O caminho é ondulante, mas está em boas condições e permite observar as paisagens de arriba da ponta Este da ilha. O trilho percorre a Ponta de São Lourenço, península mais a Este da ilha da Madeira, batizada com o nome da caravela de João Gonçalves Zarco, um dos três descobridores da ilha da Madeira.

De certeza que já está a marcar na sua agenda uns dias para visitar estas maravilhosas ilhas da Madeira, certo? São realmente uma tentação, pois tudo nelas é belíssimo e, como viu, elas têm muito a oferecer. Paisagens, atividades, histórias… Já não parece difícil escolher o próximo destino das suas férias, certo?

Veja também: