IRS – O que declarar em 2016

Saiba o que declarar no IRS e conheça todas as despesas dedutíveis no referido imposto. Que faturas pode colocar na sua declaração de IRS.

IRS – O que declarar em 2016
Descubra o que lhe vai diminuir o valor a pagar às Finanças.

A obrigatoriedade de validar faturas no e-fatura e posterior permissão para que os contribuintes possam inserir despesas de educação e formação, saúde, encargos com imóveis e lares (apenas aplicável a estas), através do anexo H da Declaração de Rendimentos, criou ainda mais dúvidas nos contribuintes sobre o que declarar no IRS em 2016, ou seja, saber o que é passível de dedução neste imposto. Assim, conheça quais os encargos que pode colocar na referida declaração para que a fatura a pagar ao fisco reduza.
 

O que declarar no IRS 2016

 

Educação

Quer as despesas com educação, quer com formação profissional são possíveis de deduções no IRS. São dedutíveis à coleta 30% dos encargos associados. No entanto, o limite máximo para deduzir é de 800€ (15% por sujeito passivo — para casados que optem tributação separada — e um limite de 400€). O limite é reduzido em 50% no caso de casais divorciados ou separados de facto em que as responsabilidades parentais dos filhos são repartidas pelos dois progenitores.

 

IVA suportado

Pode deduzir, até um limite de 250€, 15% do valor total pago em IVA de despesas com a manutenção e reparação de veículos automóveis e de motociclos; alojamento, restauração e similares; salões de cabeleireiro e institutos de beleza (os valores são reduzidos para metade no caso dos casados eu optem pela tributação separada).

 

Saúde

São deduzíveis 15% das despesas de saúde e/ou com seguros de saúde, até um limite de 1.000€ (os valores são reduzidos para metade no caso dos casados eu optem pela tributação separada).

 

Despesas gerais familiares

35% do valor suportado com o limite global de 250€ por sujeito passivo (45% do valor suportado por qualquer membro do agregado familiar com o limite global de 335€, no caso das famílias monoparentais).

 

Habitação

Pode declarar para dedução 15% dos encargos com juros de dívidas da aquisição de habitação permanente ou rendas de locação financeira (por contratos formalizados até 2011), até ao limite máximo de 296€. Já nas rendas de imóveis pagas ao abrigo do RAU ou NRAU, os contribuintes podem deduzir 15% dos valores pagos até a um limite máximo de 502€. Em ambos os  casos, os valores são reduzidos para metade no caso dos casados eu optem pela tributação separada).

 

Pensão de alimentos

Pode-se proceder a uma dedução de 20% dos valores comprovadamente suportados e não reembolsados.

 

Lares

Nesta categoria de despesas é possível deduzir 25% do valor dos encargos gerais com lares e apoio domiciliário até ao limite máximo de 403,75€.

 

Donativos

Dedução de 25% dos valores em dinheiro doados a instituições sociais, num limite de 15% da coleta para entidades não estatais. Nos donativos ao Estado, dedução de 25% das importâncias doadas.

 

PPR

Se possui um Plano Poupança Reforma — PPR ou fundos de pensões poderá fazer uma dedução na declaração de IRS de 20% das quantias aplicadas antes da reforma, até ao limite de 300€/400€ consoante a idade do beneficiário (quanto menor a idade do beneficiário, maior o limite máximo).

 

Seguros de vida

Dedutíveis 25% das importâncias despendidas com o limite de 15% da coleta do IRS.

 

Regime público de capitalização

Dedução de 20% do valor aplicado com o limite de 350€.

 

Recuperação ou reabilitação de imóveis

São dedutíveis 30% dos encargos suportados pelo proprietário, relacionados com a recuperação ou reabilitação de imóveis localizados em áreas de reabilitação urbana ou arrendados passíveis de atualização ao abrigo do NRAU, com um limite de 500€.


Veja também: