Quer receber a melhor informação sobre impostos ?

Inscreva-se já e receba todas as dicas e notícias atualizadas ao minuto.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

Enviar

IRS para quem passa recibos verdes

O que muda em 2016.

Tudo o que precisa saber relativamente ao IRS dos recibos verdes. Conheça quais as novidades para o IRS dos recibos verdes em 2016.

Algumas das alterações sofridas pelo IRS em 2016 também surtiram efeitos no imposto para os trabalhadores a recibos verdes. O IRS para 2016 – relativo aos rendimentos obtidos em 2015 – traz, assim, algumas novidades para os contribuintes com este tipo de rendimentos, nomeadamente novos modelos de faturas, recibos e fatura-recibo no âmbito da categoria B e alterações no prazo de entrega das declarações. Saiba tudo o que precisa saber sobre o IRS dos recibos verdes em 2016.
 

Regime de tributação

Primeiramente importa saber que os trabalhadores independentes (vulgarmente designados recibos verdes) podem pertencer a dois regimes de tributação de rendimentos: o regime simplificado ou de contabilidade organizada

A principal diferença é que a contabilidade organizada (implica a contratação de um TOC) é dirigida a trabalhadores independentes que tenham um montante anual líquido de rendimentos superior a 200 mil euros. O regime simplificado é dirigido para os restantes – valores inferiores. Na contabilidade organizada o apuramento do rendimento coletável é executado através das receitas menos as despesas, enquanto no regime simplificado consiste na aplicação de um coeficiente ao volume de negócios.

 

Retenções na fonte

Quando o contribuinte emite um recibo eletrónico (obrigatório para aqueles que exerçam atividade constante na lista do artigo 151.º do CIRS) a uma entidade que tenha contabilidade organizada, o mesmo deve conter a retenção na fonte de 25%. No entanto, é possível legalmente a dispensa de retenção (facultativo) quando o titular pressuponha receber um rendimento anual inferior aos 10.000€. Neste caso, o sujeito passivo deve indicar a opção “Dispensa de retenção – art. 101.º-B, n.º1, al. a) e b), do CIRS”.

 

Novos modelos

Em 2016, entraram em vigor novos modelos de faturas, recibos e fatura-recibo para sujeitos passivos de IRS titulares de rendimentos da categoria B, conforme preconizado pela Portaria n.º 338/2015, que aprova os novos modelos em consonância com a nova redação do artigo n.º 115 do CIRS e do artigo n.º 29 CIVA.

 

Entrega das declarações de IRS

De 16 de abril e 16 de maio é o prazo de entrega da declaração de IRS para os trabalhadores a recibos verdes – independentes (e para quem tenha praticado um ato isolado e ou outros). As declarações que incluam os anexos B, C, D, E, I, L são de envio obrigatório pela internet.

 

Isenção da entrega da declaração de IRS

Foi alargada a dispensa da entrega da declaração de IRS aos trabalhadores independentes que prestem serviços para uma única entidade empregadora e optem pela tributação consoante as regras indicadas para a categoria A.

 

Tudo sobre os Impostos que aí vêm com a nossa Newsletter


Veja também: