AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Motivação profissional: 4 fatores principais

Se não sabe nós dizemos. Conheça os principais fatores que contribuem para a motivação profissional. 

Motivação profissional: 4 fatores principais
Sabe o que motiva os profissionais?

Que a motivação profissional é essencial para aumentar a produtividade já todos sabem. Mas e o que está por detrás dessa motivação? É certo que cada profissional terá os seus próprios fatores de motivação, mas há alguns fatores-chave e comuns a muitos (se não todos) os profissionais.
 

Os 4 fatores de motivação

Os fatores de motivação profissional de cada profissional estão sempre relacionados com os seus valores e os seus objetivos. Sabendo isso, cabe aos empregadores identificar as formas de potenciar essa motivação de forma a obterem a melhor performance dos seus colaboradores e alcançar melhores resultados para o seu negócio. Conheça alguns dos principais fatores que contribuem para a motivação profissional.
 

1. Reconhecimento

Todos os profissionais ambicionam ver o seu trabalho (ou os seus esforços) reconhecido e valorizado. Até porque significa que está no bom caminho para progredir profissionalmente, para obter aquela promoção que tanto ambiciona ou para atingir os seus objetivos profissionais. Muitas das vezes o reconhecimento pode ser feito de forma simples, como por exemplo através da atribuição de bónus ou prémios de produtividade. Claro que isso depende sempre da cultura da empresa e até dos próprios colaboradores, mas uma coisa é certa, ajuda a manter bons níveis de motivação e o empenho no trabalho.
 

2. Satisfação pessoal

Qual é o profissional que não ambiciona fazer algo que realmente goste? Os estudos revelam que os profissionais que se sentem verdadeiramente satisfeitos e felizes nos seus trabalhos encaram cada dia de forma positiva e mostram-se mais empenhados e produtivos. Claro, nem todos têm essa sorte, mas há sempre forma de melhorar um pouco as coisas. Há empresas que apostam, por exemplo, na criação de um ambiente laboral onde os colaboradores se possam sentir valorizados e reconhecidos. Isto conduz à criação de um ambiente de trabalho positivo, que fomenta – inclusivamente – a lealdade dos colaboradores para com a empresa.
 

3. Flexibilidade

Oferecer a possibilidade dos colaboradores gerirem de forma flexível o seu trabalho, permitindo-lhes – por exemplo – coordenar os horários laborais com os escolares ou trabalhar a partir de casa em casos excecionais, são bons exemplos de incentivos. Pode mesmo dizer-se incentivos poderosos. Ainda que lhe pareçam coisas simples, a verdade é que estas possibilidades geram certos sentimentos de inclusão e lealdade por parte dos colaboradores. É como diz o ditado: “uma mão lava a outra”. Se a empresa oferece alguma flexibilidade, o colaborador (em troca) dá empenho e motivação.
 

4. A compensação financeira

Sejamos francos, o dinheiro também conta. Afinal, todos têm contas para pagar. E quem trabalha espera (e muito bem) ser recompensado financeiramente por isso. Não quer isto dizer que apenas os profissionais com salários mais elevados se sentem motivados. Nada disso. Até porque a motivação profissional resulta da conjugação de vários fatores (como os que enumeramos anteriormente). Mas qualquer profissional espera ser remunerado de acordo com as suas funções e desempenho.
 

Motive-se!

Mas nem só aos empregadores cabe assegurar ou fomentar a motivação dos seus colaboradores. Você também deve procurar manter-se motivado e dar o seu melhor. E depois, quanto mais motivado estiver, maiores serão as suas possibilidades de alcançar o sucesso profissional.
 
Veja também: