O dinheiro traz felicidade?

Temos de nos colocar diversas questões para conseguirmos responder a uma pergunta aparentemente simples: o dinheiro traz felicidade?

O dinheiro traz felicidade?
O dinheiro facilita o caminho para a felicidade mas não consegue garanti-la

Os últimos anos têm mostrado uma nova faceta das pessoas em todo o mundo, sendo a crise financeira que vivemos atualmente resultado da mudança clara de visão sobre a função e o valor do dinheiro. Num momento como este poderá ser vantajoso colocarmo-nos algumas questões:
  • Para que quero dinheiro?
  • Vale a pena trabalhar apenas para ter mais dinheiro?
  • O que mais valorizo na vida?
 
Estas e outras tantas questões podem ajudá-lo a responder a uma pergunta de fundo, resposta essa que será fundamental para perceber o lugar que o dinheiro tem na sua vida. Será que o dinheiro, por si, traz felicidade?
 

É possível viver sem dinheiro?

Todos sabemos que é impossível vivermos sem dinheiro. Até podemos plantar ou criar os nossos alimentos mas em algum ponto da nossa vida precisamos de dinheiro. Quanto mais não seja para pagarmos algum imposto. Sabemos que não é possível viver sem dinheiro mas também sabemos que existe um montante que permite satisfazer as nossas necessidades. Restará saber qual esse montante.
 
TOME NOTA:
É bom ter dinheiro. É bom ganhar muito dinheiro. Mas não é positivo viver em função do dinheiro pois o dinheiro não garante a felicidade. Pode ajudar. Pode facilitar. Mas não substituiu muitas outras coisas mais valiosas. Coisas que não têm preço…

O que mais valorizo na vida?

Uma outra questão consiste em perceber aquilo que tem maior valor na nossa vida. Serão a nossa família, os nossos amigos e os bons tempos que passamos com eles? Serão alguns desafios ou ocupações que nos fazem sentir mais felizes e mais úteis? Só o leitor poderá dar a resposta a esta pergunta, mas recomendamos que se ocupe a procurar as respostas.
 

Quanto é suficiente?

O ser humano tem uma característica complicada de controlar. Tende a ser ambicioso e a sua ambição cresce com o atingimento de sucessivos patamares. Muitas pessoas tinham como objetivo acumular alguma quantia na sua conta bancária. Ao atingir esse valor rapidamente criarão novos desafios para aumentar a sua riqueza. Por que objetivo? Será pelo poder? Será pela sensação de domínio?
 
Independentemente de tudo, a nossa relação com o dinheiro irá marcar a nossa forma de vivermos entre pessoas. Facilmente vemos pessoas que não controlam os seus ímpetos consumistas e que gostam de exibir a sua riqueza, simplesmente porque têm uma má relação com o dinheiro.
 
O dinheiro serve para ser gasto. Seja hoje. Seja no futuro ou seja para ser gasto pelos nossos filhos e netos. O dinheiro não serve para nos fazer escravos. É um meio para atingir determinado fim e não o fim em si mesmo. Daí que seja necessário nunca esquecer que o dinheiro ajuda a atingir a felicidade mas que não é condição obrigatória. Torna o caminho mais fácil ou menos penoso, mas não substitui as coisas que são realmente importantes. Recordando a pergunta de Steve Jobs: Queremos ser o homem/mulher mais rico do cemitério?
 
Veja também: