O que não fazer com a caixa manual do seu carro: 5 erros

Descubra algumas dicas para saber o que não fazer com a caixa manual do seu automóvel.

O que não fazer com a caixa manual do seu carro: 5 erros
Como prevenir problemas na caixa de velocidades

O sistema de transmissão do carro tem que cumprir a árdua tarefa de transformar o movimento do motor na energia que faz circular o veículo. Para isso, recorre a vários sistemas que fazem parte do automóvel. Mas para que o veículo se desloque é preciso que o condutor recorra à caixa de velocidades. Como tal, é importante que a caixa de velocidades funcione na perfeição. Para que nunca tenha problemas explicamos o que não fazer com a caixa manual do seu carro.

Dicas para saber o que não fazer com a caixa manual do automóvel

1. Colocar a primeira mudança ou recuar sem que o carro esteja totalmente parado

Colocar a primeira ou recuar sem que o veículo esteja totalmente parado vai forçar a sua transmissão a realizar ações para o qual não está preparada e que podem causar danos no eixo de transmissão, a longo prazo. Portanto, evite fazê-lo. O vídeo seguinte reporta alguns erros que fazemos com a caixa de velocidades manual e que devemos evitar.

2. Arrancar com a segunda mudança colocada

A consequência deste hábito é a redução de vida útil do disco de embraiagem em até 50%. Como tal, deve evitar arrancar com o seu automóvel em segunda.

3. Conduzir com a mão na maneta das mudanças

Este é um hábitos mais comuns entre os condutores e que podem ter consequências dispendiosas. Isto porque o peso da mão, em algumas caixas de velocidades manuais, aumenta o peso sobre alguns componentes do sistema de transmissão, causando assim um desgaste desnecessário. Deve habituar-se a conduzir com as duas mãos no volante e a colocar a mão na manete das mudanças apenas quando vai mudar a mudança.

4. Motor engatado não dá mais segurança

Quando estiver parado em frente a um semáforo ou STOP, por exemplo, deve colocar a caixa de velocidades em ponto morto e tirar o pé da embraiagem. Enquanto o veículo estiver engrenado, vai estar a prejudicar os rolamentos do disco.

Muitos condutores preferem ter o motor engatado pois acreditam que será mais seguro se um outro carro bater por trás, mas na verdade não é. O mais correto é ter o pé no travão, pronto para atuar de forma instintiva caso lhe batam por trás.

5. Não ser “preguiçoso” a mudar

Se estiver a circular com o carro num regime de baixa rotação, vai sentir que o veículo tem um rendimento inferior ao esperado, e mesmo que carregue no pedal o carro não vai aumentar a velocidade se não passar para a mudança seguinte. Caso não o faça, o esforço que o motor está a fazer irá torná-lo mais lento e causar problemas a longo prazo.

Veja também: