O que visitar no Porto: 15 atrações obrigatórias

A cidade Invicta está na moda. Monumentos, museus, ruas e miradouros incríveis: saiba o que visitar no Porto, com este nosso top 15 de atrações portuenses.

O que visitar no Porto: 15 atrações obrigatórias
Saiba o não pode deixar de conhecer na cidade Invicta

Portugal é um dos três melhores países do mundo para visitar em 2018, de acordo com o conceituado guia de viagens Lonely Planet. E em 2017, a cidade Invicta foi aclamada como “Melhor Destino Europeu”. Não surpreende, por isso, que a capital do Norte esteja a fervilhar de turistas. Mas se viesse cá um amigo seu estrangeiro, sabia o que visitar no Porto?

Confessamos que foi difícil escolher apenas 15 locais portuenses de visita obrigatória. A cidade está cada vez mais cosmopolita e dinâmica e há cada vez mais ruas e edifícios recuperados, que vale a pena conhecer. Embarque neste roteiro tripeiro e descubra uma cidade carismática, que conjuga passado e modernidade de uma forma única.

O que visitar no Porto: o nosso top 15


Torre dos Clérigos

Torre dos Clérigos

É um dos grandes símbolos do Porto e após as obras recentes de limpeza e renovação, não há desculpas para não visitar este Monumento Nacional. Tanto a Torre como a Igreja dos Clérigos foram projetados por Nicolau Nasoni – arquiteto italiano que faleceu no Porto estando sepultado, precisamente, na Igreja dos Clérigos. Ambas as construções, de meados do século XVIII, refletem uma inspiração barroca.

Subir à Torre é altamente aconselhável, desde que não sofra de claustrofobia, pois a escadaria é apertada. Após uma subida suada de 225 degraus, a coragem e a resistência são premiadas com uma espetacular vista de 360º. Estará a mais de 75 metros de altura e poderá alcançar com o olhar toda a cidade, identificando vários outros monumentos da Invicta e avistando o mar.

Livraria Lello

Detalhe da fachada do edifício da Livraria Lello

Não muito longe da Torre mais famosa do Porto, fica uma das mais bonitas e antigas livrarias do mundo. Falamos da incontornável Livraria Lello, cuja decoração peculiar, com destaque para a escadaria central em madeira, terá inspirado J. K. Rowling na saga de Harry Potter.

De portas abertas desde 1906, desde cedo que a livraria se mostrou especial, tanto para os intelectuais, como para os meros curiosos. Com o recente boom de turismo no Porto, para evitar a sobrelotação e o desgaste do seu interior histórico, os proprietários decidiram cobrar uma entrada aos visitantes, dedutível na compra de livros.

Avenida dos Aliados

Avenida dos Aliados

Um museu a céu aberto: assim é a desafogada Avenida dos Aliados, em cujo topo se impõe a Câmara Municipal. A partir daqui, comece a descer e a apreciar os prédios elegantes e clássicos de ambos os lados. Vai com certeza reparar no Guarany, um dos cafés míticos da Invicta, ali desde 1933. Ao fundo, a estátua de D. Pedro IV a cavalo e outro edifício imponente: o Palácio das Cardosas, onde está instalado o luxuoso Hotel Intercontinental.

Da Avenida dos Aliados, poderá tomar vários rumos à descoberta da cidade: ir por exemplo à rua do Almada, que mistura lojas tradicionais com comércio contemporâneo e modernos conceitos de restauração; visitar a rua de Santa Catarina e o famoso Café Majestic, passando pelo Mercado do Bolhão; visitar a Estação de São Bento; dar um salto à Sé ou descer até à Ribeira, por exemplo.

Rua das Flores

Rua das Flores

Num roteiro sobre o que visitar no Porto, não há como não incluir a pitoresca Rua das Flores, uma artéria onde agora só podem circular peões. Nos últimos anos, multiplicaram-se os edifícios recuperados e os espaços reconvertidos em lojas, cafés e restaurantes.

Músicos de rua, esplanadas convidativas e alguns tesouros escondidos, como a Igreja e o Museu da Misericórdia, fazem do passeio pela Rua das Flores um momento obrigatório numa visita ao Porto. No extremo sul da Rua, o Largo de São Domingos é igualmente encantador. E ali bem perto não faltam atrações como o Palácio da Bolsa, a Igreja de São Francisco ou a Ribeira.

Palácio da Bolsa

Palácio da Bolsa

Sede da Associação Comercial do Porto, o Palácio da Bolsa é outro dos edifícios emblemáticos da cidade, hoje em dia palco de muitas festas e jantares de gala, bem como congressos e outros eventos. Trata-se de um edifício onde predomina o estilo neoclássico. Apesar da sua construção se ter iniciado em 1942, só ficaria pronto 70 anos mais tarde.

E se o exterior do Palácio da Bolsa, classificado como Monumento Nacional, já causa boa impressão, lá dentro, a imponência do átrio com varandim e a beleza das salas, nomeadamente do majestoso Salão Árabe, cativam todos os que o visitam.

Igreja de São Francisco

Interior da Igreja de S. Francisco

Um pouco abaixo do Palácio da Bolsa, encontra-se a Igreja de São Francisco, célebre pelos seus altares em talha dourada. De facto, são estes trabalhos em madeira, surpreendentemente rebuscados, superando o já de si complexo estilo barroco, que mais prende o olhar do visitante, até porque contrastam fortemente com as linhas góticas do exterior do edifício.

Monumento Nacional desde 1910 e Património Mundial da Humanidade pela UNESCO desde 1996, a Igreja de São Francisco guarda ainda outras singularidades no seu interior, como o Cemitério Catacumbal e o “arrepiante” Ossário.

Ribeira

Ribeira

O rio Douro é o responsável máximo pela configuração da paisagem portuense e é na Ribeira que ganha um estatuto único, abraçado pela icónica Ponte D. Luís. Passear pelas ruas da Ribeira, por entre a roupa a secar que sai das janelas e varandas exíguas dos prédios e ouvir os habitantes do bairro a falar de forma genuína e descomplexada como só eles sabem é, por si só, um programa imperdível.

E depois há a paisagem ribeirinha: as Caves do Vinho do Porto perfiladas na outra margem, as esplanadas, os barcos Rabelo a marcar o cenário e as embarcações que sobem o Douro num alegre vaivém. Verdadeiramente original.

Caves de Vinho do Porto

Caves de Vinho do Porto em Vila Nova de Gaia

E como falamos no Douro e na margem de Vila Nova de Gaia, torna-se obrigatório mencionar as Caves de Vinho do Porto. Foi por aqui que começou a notoriedade da cidade Invicta, pelo famoso néctar com origens na mais antiga região vinhateira demarcada do mundo, que chegava de barco às caves de Gaia para envelhecer.

Ainda hoje este é uma atividade importante para o Douro e para a cidade do Porto e são muitas as caves que oferecem ótimas experiências ligadas ao vinho. Taylor’sFerreiraCroft ou Cálem, esta última com um novo espaço, que inclui um centro de acolhimento e um museu interativo, são nomes a reter na hora de escolher uma cave para visitar.

Sé Catedral

Sé Catedral do Porto

A origem da igreja onde está sedeada a Diocese do Porto remonta ao século XII, ainda que tenha sofrido alterações ao longo dos anos. Da época românica mantém-se a fachada, onde predominam as torres (as cúpulas destas, no entanto, foram colocadas mais tarde e são barrocas) e a rosácea de vitrais.

Foi aqui que D. João I casou com D. Filipa de Lencastre em 1387. Para além da importância religiosa do local, do seu valor arquitetónico e de alguns detalhes relevantes no seu interior, como um altar em prata, do Largo da Sé pode obter-se excelentes vistas sobre o rio.

Jardins do Palácio de Cristal

Jardins do Palácio de Cristal

E por falar em vistas, nada bate as vistas dos Jardins do Palácio de Cristal. Não é dos locais mais badalados nos roteiros e guias da cidade, mas siga o nosso conselho e não se irá arrepender. Desça as escadas junto ao parque infantil, guiado pelo rio, e encontrará excelentes pontos de contemplação.

Se for para a direita, encontrará uma ligação a outro jardim, junto do Museu Romântico. Aqui, onde dantes funcionava o Solar do Vinho do Porto, está agora um restaurante com estrela Michelin, o Antiqvvm. Se não quiser cometer a extravagância de fazer aí uma refeição, goze da paisagem, verdadeiramente deslumbrante.

Estação de São Bento

Estação de S. Bento

As estações de comboio, sobretudo as maiores e mais antigas, são sempre ótimos locais de visita, para tomar o pulso ao ritmo da cidade, ao mesmo tempo que se contacta com o seu passado. A centenária Estação de São Bento, em pleno centro histórico da Invicta, já foi considerada uma das mais bonitas do mundo.

O principal motivo para tal distinção? Os painéis de azulejos pintados por Jorge Colaço e que retratam momentos importantes da História de Portugal. São cerca de 550 m2 de painéis pintados ao estilo da Arte Nova. A imponente fachada é igualmente digna de nota, com traços renascentistas e outros da Belle Époque.

Casa da Música

Casa da Música

Nem só de passado e tradição se faz o Porto. A Casa da Música, na Rotunda da Boavista, é o ex-libris da abertura da cidade à contemporaneidade. Neste edifício ousado da autoria de Rem Koolhas, dedicado à música, cabem todos os géneros e experiências ligados a esta arte.

Com uma acústica incrível e detalhes arquitetónicos únicos, vale a pena conhecer este edifício – nascido no âmbito do Porto Capital Europeia da Cultura 2001, mas inaugurado apenas em 2005, através de uma visita guiada.

Fundação de Serralves

Jardins da Casa de Serralves

E continuando na senda da modernidade, nesta lista sobre o que visitar no Porto, não podia faltar a Fundação de Serralves, com destaque para o Museu de Arte Contemporânea, internacionalmente aclamado. Na verdade, é muito mais do que um museu: rodeado de apetecíveis jardins e com uma programação eclética e abrangente, é um espaço de fruição para toda a família.

E depois, há o elevado interesse arquitetónico dos edifícios da Fundação: o museu propriamente dito é um projeto de linhas depuradas do Arquiteto Siza Vieira; já a Casa de Serralves, dos anos 30, é um belíssimo exemplar do estilo Art Déco, que juntamente com os lagos e jardins perfeitamente cuidados forma um cenário inesquecível.

Rua de Miguel Bombarda/ Quarteirão das Artes

Galeria do

E se gosta de arte, não pode deixar de percorrer o Quarteirão das Artes da cidade, formado pela Rua de Miguel Bombarda e artérias próximas. As galerias sucedem-se porta sim, porta sim, a par de algumas lojas de produtos de autor, artesanato contemporâneo, design alternativo e até restaurantes da moda.

Esta zona fica especialmente animada a cada dois meses, devido a uma iniciativa conjunta dos donos das galerias: as “Inaugurações Simultâneas”. Estas acontecem normalmente ao sábado à tarde e para além de se poder visitar as exposições, há sempre outros eventos paralelos, como concertos e animação de rua.

Foz do Douro

Pérgola da Foz

E fechamos esta seleção de locais e monumentos a visitar no Porto com um passeio pela Foz. Esta é a zona nobre da cidade, muito frequentada pelas classes mais abastadas, mas aberta a todos os que queiram usufruir da retemperadora paisagem marítima e das longas e amplas calçadas, onde sabe bem caminhar, correr ou pedalar.

Se preferir, esta é igualmente uma excelente zona para fazer uma pausa e tomar um café ou uma bebida numa das muitas esplanadas em cima da areia. Num dia de sol, ir da Ribeira até à Foz, passear pela Avenida Brasil e, quem sabe, chegar à Praia de Matosinhos, é uma experiência memorável.

Veja também: