Seguro de danos próprios

O seguro de danos próprios é conhecido como o seguro contra todos os riscos e apresenta uma vasta oferta de coberturas. Saiba, neste artigo, quais são.

Seguro de danos próprios
Este tipo de seguro permite várias coberturas
  • Quem tem carro novo ou faz muitos quilómetros, deve pensar em contratar um seguro de danos próprios

Quando compra um carro, seja novo ou sem segunda mão, uma das coisas que é obrigatória para que possa circular sem problemas de maior, é a contratação de um seguro automóvel. No mercado, existem dois tipos de seguros automóvel: o seguro de responsabilidade civil e o seguro de danos próprios. É sobre o segundo que lhe vamos falar neste artigo.

O que é o seguro de danos próprios?

Apesar da sua designação oficial ser seguro de danos próprios, este seguro é mais conhecido como seguro contra todos os riscos. No fundo, é um seguro mais completo que garante os prejuízos sofridos pelo automóvel seguro, mesmo no caso do proprietário ser o responsável pelos danos causados.

Quais as coberturas?

As condições contratuais de um seguro de danos próprios diferem de seguradora para seguradora, mas este tipo de seguro, de uma forma genérica, pode incluir várias coberturas, tais como:
  • Choque, raio e explosão;
  • Colisão e capotamento;
  • Quebra isolada de vidros;
  • Furto;
  • Roubo;
  • Vandalismo;
  • Incêndio;
  • Fenómenos naturais;
  • Impossibilidade de uso.

Para além destas coberturas, o seguro de danos próprios também inclui as coberturas já previstas pelo seguro obrigatório de responsabilidade civil. São elas:
  • Responsabilidade civil;
  • Assistência em viagem;
  • Protecção de ocupantes e condutor;
  • Quebra de vidros.

Como funcionam as franquias de um seguro de danos próprios?

Apesar da designação mais comum deste tipo de seguro estar associada a um seguro que é contra todos os riscos, não se iluda. Não existe no mercado nenhum seguro que cubra 100% todos os riscos. No caso do seguro de danos próprios, as coberturas são muito vastas, mas tenha atenção as franquias associadas a cada uma delas.

A franquia é o valor excedente que o cliente terá de pagar. No fundo, é a diferença entre a percentagem comparticipada pela companhia e o valor total da reparação. As franquias servem essencialmente para responsabilizar o condutor. 

Quanto custa?

Um seguro de danos próprios é sempre mais caro do que um seguro de responsabilidade civil. No entanto, o valor do mesmo vai depender de inúmeros factores. O cálculo de um seguro de danos próprios é feito segundo as seguintes características:
  • Idade e tempo de carta do condutor;
  • Características do carro (ano de matrícula, tipo de veículo, valor comercial, entre outros);
  • Zona de circulação;

O valor do seguro também está dependente do valor das franquias. Quanto mais altas forem as franquias, mais barato fica o seguro.

Nota: No caso das coberturas que têm franquia associadas, as seguradores só pagam os danos que ultrapassem o valor da mesma.

Porque devo contratar um seguro de danos próprios?

Um seguro de danos próprios é diferenciador principalmente pelo facto de apresentar várias coberturas. No entanto, é mais vantajoso se reunir estas condições:
  • Se o carro for novo ou recente;
  • Se o valor comercial for elevado;
  • Se o carro estiver muito exposto;
  • Se a utilização do carro for constante.

Como encontro o melhor seguro para mim?

Se já decidiu que vai contratar um seguro de danos próprios, então é altura de dispensar algum tempo a investigar que tipo de oferta há no mercado e qual aquela que se adequa melhor ao seu caso. As seguradoras desponibilizam uma oferta de mercado muito vasta para os seguros de danos próprios. Há grandes diferenças entre as coberturas, as condições, o preço e o serviço. Para ser mais fácil, faça uma pesquisa pela internet e simule aqui o seu seguro.

Se quiser poupar, saiba aqui como encontrar o seguro automóvel mais barato.

Veja também: