Publicidade:

Seguro sem franquia: vantagens e desvantagens

Será que compensa optar por um seguro sem franquia? Antes de escolher esta opção para o seu automóvel, o melhor é conhecer os prós e contras.

Seguro sem franquia: vantagens e desvantagens
Este tipo de seguro é caro por cobrir todos os danos de um sinistro
  • Para saber se compensa ter um seguro sem franquia, deve avaliar o seu caso específico

Sabia que existe a possibilidade de fazer um seguro sem franquia? Pode escolher esta opção para o seu automóvel através de um seguro de danos próprios sem franquias.

Seguro sem franquia: para que serve

seguro-sem-franquia

Ao contrário do seguro com franquia, onde existe um montante que ficará sempre a nosso cargo, enquanto tomadores de seguro, caso aconteça um acidente de viação e a culpa nos seja atribuída, o seguro sem franquia faz com que a seguradora assuma por completo o pagamento dos prejuízos causados.

O que é uma franquia

Dá-se o nome de franquia ao montante previamente estabelecido em cláusula de apólice de seguro, onde o segurador não se responsabiliza pelo total dos danos de objetos segurados. Ou seja, a franquia é o valor que fica a cargo do tomador do seguro se ocorrer um sinistro, designação atribuída a um acidente que causar danos e/ou prejuízos a um bem segurado.

Tal significa que a responsabilidade pelo pagamento desses danos não só ficará a cargo da seguradora, como também do próprio cliente, enquanto tomador de seguro. Só se este pedir um seguro sem franquia é que não terá de pagar nada pelos danos, mesmo sendo o responsável pelo acidente.

As vantagens que existem para as seguradoras e segurados se houver uma franquia nas coberturas dos seguros estão relacionadas com o prémio do seguro, que fica mais baixo pelo facto de o tomador ficar responsável por uma parte dos prejuízos, e também por permitir às seguradoras reduzirem a sua estrutura de custos, uma vez que os sinistros com danos mais reduzidos não são indemnizados e parte desses acidentes nunca chega a ser participada às companhias de seguros.

Tipos de franquias

As franquias podem ser:

  • Obrigatórias: são inseridas obrigatoriamente nas condições gerais da apólice;
  • Facultativas: existe a possibilidade do segurado escolher entre várias opções;
  • Fixas: o valor destas é independente do valor do prejuízo ou do capital seguro;
  • Variáveis: são usados valores de acordo com o montante dos danos;
  • Absolutas: são sempre dedutíveis, independentemente do valor de indemnização;
  • Relativas: ficam dependentes do valor de indemnização;
  • Numerárias: estão ligadas a valores monetários;
  • Temporais: referem-se a tempo em vez de valores.

O facto de uma franquia poder ser obrigatória ou facultativa, por exemplo, significa que pode ser negociada entre o tomador e a companhia de seguros e ter um valor fixo em euros ou ser uma percentagem do valor do capital seguro ou do dano.

Por exemplo, se a franquia resultar de uma percentagem, imagine que comprou um automóvel que custou 18 mil euros e que o seguro do mesmo prevê uma franquia de 2,5%. Isto significa que os prejuízos até 450€ irão ter de ser assumidos por si. Só nos casos em que a reparação dos danos for superior a esse valor é que a responsabilidade de o pagar passa para a seguradora.

Seguro sem franquia: vantagens e desvantagens

A grande vantagem do seguro sem franquia é dispor das coberturas que fazem dele o produto de seguro que mais nos protege de encargos extraordinários, como foi explicado anteriormente, uma vez que cobre ainda os danos do seu veículo mesmo que seja culpado por um acidente automóvel e não o coloca como co-responsáveis no pagamento desses encargos.

Já a desvantagem reflete-se no preço do benefício da seguradora cobrir por completo o pagamento do prejuízo, o que torna o seguro sem franquia no seguro auto mais caro que existe. O custo irá depender do valor comercial do veículo seguro, que tem em conta características como o preço de aquisição e a idade do veículo, consultável em tabelas oficiais. Como esta opção não é apelativa para as seguradoras, estas evitam fazê-lo ou então sobem bastante o prémio do seguro, o que resulta em preços altos.

Compensa ou não ter seguro sem franquia

Segundo os especialistas, este seguro compensa nos primeiros anos de uso do carro para que o condutor se sinta mais descansado, principalmente se a viatura não tiver sido barata. No entanto, existirá uma altura em que o cliente poderá pesar prós e contras para tentar perceber se vale a pena continuar a manter o seguro sem franquia ou aderir a outro seguro que possa corresponder às suas necessidades e, ao mesmo tempo, ser mais económico.

Veja também:

Cátia Tocha Cátia Tocha

Formada em Ciências da Comunicação pela Universidade Autónoma de Lisboa, onde concluiu Licenciatura e Mestrado, começou o seu percurso como jornalista na Rádio. Hoje, escreve sobre diferentes áreas e tem já alguns anos de experiência na escrita para meios online.

Também lhe pode interessar: