Banco de Portugal contra taxas de juro negativas no crédito habitação

O Banco de Portugal tem receio de algumas medidas do Governo aplicadas ao crédito à habitação. Saiba do que se trata.

Banco de Portugal contra taxas de juro negativas no crédito habitação
Banco não quer que as instituições paguem pelos empréstimos aos clientes.

Remodele a sua casa sem olhar a despesasComeçar Já
O Banco de Portugal está em desacordo com o Governo no que refere às taxas de juro relativas ao crédito à habitação. Segundo notícia avançada, o Banco de Portugal não concorda que a aplicação das taxas negativas seja integral

Para vincar a sua posição, o Banco de Portugal já enviou uma carta ao Governo para “evitar que as instituições tenham de pagar pelos empréstimos concedidos aos clientes”. A comunicação foi enviada a Mário Centeno, ministro das Finanças, sugerindo que existissem “alterações à lei para que nos contratos de crédito em curso houvesse a obrigatoriedade de taxas de juro igual a zero sempre que da soma de indexante à margem spread resultasse uma taxa de juro final negativa”.

O que está em causa é a obrigatoriedade de os bancos assumirem integralmente o valor negativo do indexante de referência que é, normalmente, a Euribor. Estes valores têm sempre impacto nos contratos de crédito à habitação o que “poderia levar um banco a ter de pagar pelo dinheiro emprestado”.

Hoje em dia, os bancos já têm de abater o valor negativo da Euribor, “mas só até ao patamar zero”.

Uma das principais preocupações de Carlos Costa, governador do Bando de Portugal, é o fato de ser preciso ter em atenção “os efeitos sobre o sistema financeiro” que determinadas medidas podem gerar, sendo que podem existir “custos irreversíveis a médio e longo prazo”.
Decore a sua casa como sempre idealizou, sem complicações financeiras >>
Veja também: