Crédito ao consumo é o motivo da maioria da reclamações

É principalmente pelo facto de as taxas máximas no crédito ao consumo serem ultrapassadas que o Banco de Portugal vê-se obrigado a actuar, tendo gerado 90% das contra-ordenações naquele tipo de produto financeiro em 2010.

Crédito ao consumo é o motivo da maioria da reclamações

 

Em relação a 2009, as reclamações contra instituições financeiras diminuiram em 2.315, num total de 15.093 reclamações.

Produtos como o crédito à habitação, contas de depósitos e créditos ao consumo são os temas que mais reclamações reúnem, quase 70%, no entanto, registou um grande decréscimo.

O crédito ao consumo é o responsável pela maioria das contra-ordenações e também o que provoca mais alterações a nível de publicidade, devido à supervisão efectuada pelo Banco de Portugal no que respeita a campanhas sobre produtos financeiros.

Note-se o ano de 2010 em que 203 campanhas foram alteradas e dessas 156 respeitavam ao crédito ao consumo, portanto, 77% das campanhas alteradas.

Os cartões de crédito, crédito pessoal e crédito automóvel foram os produtos financeiros com maior peso nas campanhas alteradas.

Apesar de parecer que se está a falar de valores altos, as reclamações não são assim tantas quanto isso. Vejamos por produto financeiro: por cada 100.000 contratos de crédito habitação, registam-se 105 reclamações; já por cada 100.000 contratos de contas de depósito existem 16 reclamações.