Exposição de Miró em Serralves prolongada até junho

A exposição “Joan Miró: Materialidade e Metamorfose”, na Casa de Serralves, no Porto, deveria encerrar a 29 de janeiro, mas vai ser prolongada até 4 de junho.

Exposição de Miró em Serralves prolongada até junho
Exposição aberta ao público por mais 5 meses

A exposição de Miró "tem sido um grande êxito, tem tido grande afluência, por isso, Serralves e o Ministério da Cultura decidiram prolongá-la porque há muito público que continua interessado”, disse a presidente do Conselho de Administração da Fundação de Serralves, Ana Pinho, durante a apresentação da programação para 2017.

Desde a sua abertura, a 30 de setembro, até ao momento já passaram pela exposição cerca de 95 mil visitantes. Ana Pinho lembrou que a coleção de obras de Miró vai ficar em exposição permanente na Casa de Serralves, mas ainda não tem data para a abertura desta porque o espaço terá de sofrer obras de adaptação.

As obras da Casa de Serralves, da responsabilidade do arquiteto Siza Vieira, que já está a trabalhar no projeto, também ainda não estão programadas.

Sobre o local onde serão guardadas as peças do artista catalão durante a realização dos trabalhos, Ana Pinho disse que essa questão está “em estudo”, podendo ser em Serralves ou noutro local a definir.

A coleção em causa, proveniente do antigo Banco Português de Negócios (BPN), “inclui um total de 85 obras de Miró, do ano de 1924 até 1981”, nas quais se encontram “desenhos e outras obras sobre papel, pinturas”, além de seis tapeçarias de 1973, uma escultura, colagens, uma obra da série “Telas queimadas” e várias pinturas murais.

Veja também: