Invasão em "call-center"

O movimento Precários Inflexíveis invadiram ontem "call-center" de um banco de forma a mobilizar trabalhadores para a greve de 24 de Novembro.

Invasão em

Com este protesto inédito em Portugal pretendia-se alertar para a precariedade dos actuais empregos e atrair trabalhadores para a greve geral que se irá realizar no dia 24 de Novembro.

 

Este protesto foi realizado por 6 elementos do movimento "Precários Inflexíveis", que invadiram o "call-center" de um dos mais importantes bancos nacionais - o BES.

 

Já no interior do edifício enquanto uns desenrolavam uma faixa onde se lia: "Não pisem mais o precário, Greve Geral dia 24 de Novembro", outros distribuiam folhetos e ainda outro apelava à adesão à greve através do megafone.

 

Após esta acção, os "Precários Inflexíveis" explicam no seu site, que a escolha deste call-center não foi aleatória.
Segundo um dos membros deste movimento, "são trabalhadores altamente policiados, com ritmos de trabalho violentos, desumanos, com poucos ou nenhuns direitos, com muito baixos salários, com elevadíssima rotatividade e, portanto, sentem muito profundamente a chantagem desta nova realidade nas relações laborais".

 

Este movimento pretende chegar junto daqueles trabalham sob as piores condições e consideram que nos "call-centers" os trabalhadores são muito chatageados e explorados.

 

O objectivo com estas acções é acabar com o silêncio que se faz sentir nestes locais de trabalho precários que não permite aos trabalhadores usufruirem dos seus direitos mais simples.

 

Agora tudo está a postos para o grande teste final - a Greve Geral de dia 24 de Novembro.